19.1.08

O DR. NUNES


Em Abril de 1962, o Doutor Salazar foi buscar o Major Silva Pais às "actividades económicas" e colocou-o à frente da PIDE. Ainda lá estava quando a coisa acabou, melancolicamente, em Abril de 74. O dr. Vara, antes de ser "dr.", foi buscar o dr. António Nunes a um lado qualquer e fê-lo membro do seu gabinete no primeiro governo de Guterres. Daí o dr. Nunes passou para cargos de direcção na administração pública - nos bombeiros e como director-geral de viação, por exemplo - dos quais a "direita", no seu derradeiro e curto interregno governativo, não o removeu. Agora o dr. Nunes é o "patrão" da polícia mais poderosa do regime, a ASAE. O ministro que o tutela, Manuel Pinho, pediu-lhe para ser "mais discreto". Não passa pela pobre cabeça de Pinho que, muito antes de ele aparecer, o dr. António Nunes já andava por aí. Com maior ou menor "discrição", uma coisa é certa. Imagino que ao longo dos anos o dr. Nunes tenha "armazenado" informação das mais diversas proveniências que lhe deve ser da maior utilidade nas presentes funções. Não é impunemente que se fuma uma cigarrilha em público, num local fechado, quando a sua polícia já possuia todas a prerrogativas para exigir a aplicação de uma lei entrada em vigor há apenas uma hora e meia. O dr. Nunes ficará para além de Pinho. Tão certo como o Major Silva Pais ter sobrevivido ao homem que o foi recolher ao anonimato administrativo onde vegetava.

9 comentários:

Rui Vasco Neto disse...

j,
À procura de Nemo?

JoseM disse...

Não terá sido o sr ASAE,o director da DGV no tempo do Dr Sampaio na PR?
É que se foi , pode estar explicado o seu actual comportamento, conforme com a lei da compensação, da psicologia.
Quando perante os problemas dos camiões vindos da Alemanha para a Auto-Europa, a perderem-se no percurso de aproximação por audência de sinalização, foi incapaz de mandar sinalizar as vias de acesso.
Porque não haveria regulamenta para o efeito!?
Problema resolvido depois de uma intervenção pública do PR.

Anónimo disse...

João, escreva sem aspas. Não torna mais irónica a realidade se as usar.

Copos de Plástico disse...

Espero que o Nunes tenha cortado o bigode marroquino entretanto. Não é muito higiénico para comer caldo verde, por exemplo. Fica ali muito molho pendurado e depois vêm as moscas.

VANGUARDISTA disse...

João,
Nada mais acertado que a foto de Estaline para ilustrar o teu post.
ah ! não é ?
É o próprio "EstaNunes" !
Sai aos seus, está visto.
Tal como Estaline saiu da penumbra da insignificância para o mais tenebroso poder!

António de Almeida disse...

-Deve achar-se uma espécie de J.E.Hoover á portuguesa!

Anónimo disse...

Frase para 2008 :

- «Que bom seria se um deputado tivesse febre aftosa, peste suína ou gripe das aves.
Aí seríamos obrigados a sacrificar todo o rebanho!».

T disse...

Ainda me lembro deste senhor a trabalhar na autarquia de Sintra, na área da Protecção Civil.
Mas o seu post está perfeito. Define tudo.

Nuno Castelo-Branco disse...

Só falta dizer uma coisa. Foram os primórdios da mobilidade. a diferença é que a actual é simplex.