2.6.11

A MASSAGEM DA MENSAGEM


«Quanto tempo levará a combater - além do estado de ruína, além das mentiras e falsificações, além dos gastos escondidos, além do amiguismo ruinoso, além do abaixamento moral e intelectual do debate político, além do desmantelamento dos cartéis governo/empresas amigas, além do saque do nosso dinheiro para os boys rosa - quanto tempo levará a erradicar esta mania dos jornalistas de, em vez de investigarem, correrem a ofender os mensageiros?»

José Mendonça da Cruz, Corta-Fitas

5 comentários:

Anónimo disse...

Talvez o tempo necessário para que deixem de ser pagos pelo PS; e o tempo necessário para ganhar independência e desenvolverem um encéfalo completo. E estudar História, e leis, e ciência política, e economia e finanças. E aprender uma profissão e uma ética antes de ir para o jornalismo.

Ass.: Besta Imunda

Anónimo disse...

Belos tempos em que existiam Jornalistas a sério. No tempo da ditadura eles eram capazes de escrever nas entrelinhas tudo o que fosse informação privilegiada e com interesse jornalístico sem alterar nem acrescentar floreado balofo. Era o tempo em que a bajulação era praticamente inexistente.
Hoje em dia os escribas, mais não são do que meras excrescências dos partidos do poder, sabujos sem vergonha, salvo raras excepções que só confirmam a regra.

SRG

Anónimo disse...

Infelizmente a podridão, constata-se, é muito mais profunda do que se possa pensar.

A total decadência de Princípios e Valores é o cerne da questão.

Sei que o João, desde a primeira hora, manifestou reticências e levantou algumas questões sobre o assunto "DSK". Leiam esta notícia: http://www.congress.org/congressorg/bio/userletter/?letter_id=6963765931&content_dir=congressorg e poderão perceber muita coisa do que se tem passado nos últimos tempos, nesta maravilhosa "economia global".

M.S.

Cáustico disse...

Como acontece com a minha classificação do socialismo, também no jornalismo descortino três tipos bem distintos: o verdadeiro jornalismo, quase diria puro, se tal pode ter existência possível, exercido por gente que para ele nasceu, sabedora, honesta, com a indispensável cultura, com a preparação e somatório de conhecimentos proporcionadores de trabalho aceitável e merecedor do maior acolhimento; o jornalismo exercido por quem veio para ele apenas como alternativa de qualquer outra actividade, sem a indispensável preparação que exige, sem a tão apreciada verticalidade, falhos as mais das vezes da experiência necessária e de conduta escrupulosa, que designo de jornalismo de merda e o que é exercido pelos jornaleiros, isto é, por aqueles que carecem duma cultura mínima, duma preparação adequada e que padecem dum certo espírito mercantil que os leva a escreverem por encomenda ou mesmo até o que lhes é ditado a troco de um prato de lentilhas. Estes constituem o grande grupo que considero a merda do jornalismo.

Pensamento em revoluçao... disse...

Não são só as NOVAS OPORTUNIDADES que poluem as mentem e semeiam a iliteracia e a desinformação...
e provavelmente custam mais caro!!!!!!!