1.6.10

«ESTA GENTE ERA ALGUMA SOLUÇÃO»



- Que esperamos na ágora congregados?

Os bárbaros hão-de chegar hoje.

- Porquê tanta inactividade no Senado?
Porque estão lá os Senadores e não legislam?

Porque os bárbaros chegarão hoje.
Que leis irão fazer já os Senadores?
Os bárbaros quando vierem legislarão.

- Porque se levantou tão cedo o nosso Imperador,
e está sentado à maior porta da cidade,
no seu trono, solene, de coroa?

Porque os bárbaros chegarão hoje..
E o imperador espera para receber
o seu chefe. Até preparou
para lhe dar um pergaminho. Aí
escreveu muitos títulos e nomes.

- Porque os nossos dois cônsules e os pretores,
saíram hoje com as suas togas vermelhas, as bordadas,
porque levaram pulseiras com tantas ametistas,
e anéis com esmeraldas esplêndidas, brilhantes;
porque terão pegado hoje em báculos preciosos
com pratas e adornos de ouro extraordinariamente cinzelados?

Porque os bárbaros chegarão hoje.
e tais coisas deslumbram os bárbaros.

- E porque não vêm os valiosos oradores como sempre,
para fazerem os seus discursos, dizerem das suas coisas?

Porque os bárbaros chegarão hoje;
e eles aborrecem-se com eloquências e orações políticas.

- Porque terá começado de repente este desassossego
e confusão. (Como se tornaram sérios os rostos.)
Porque se esvaziam rapidamente as ruas e as praças,
e todos regressam tão às suas casas muito pensativos?

Porque anoiteceu e os bárbaros não vieram.
E chegaram alguns das fronteiras,
e disseram que já não há bárbaros.



E agora que vai ser de nós sem bárbaros.
Esta gente era alguma solução.


Konstandinos Kavafis

8 comentários:

Garganta Funda... disse...

E ainda dizem que Israel é o único «estado democrático» naquela zona do globo...

Por muito menos o Ex-Presidente da República Sprska da Bósnia, Radovan Karadici, está a ser julgado no TPI...

Há muito tempo que os responsáveis politicos e militares do «Estado» de Israel deviam ser julgados como os nazis foram julgados em Nuremberga.

Onde estão os advogados ligados e financiados pelos lobbys abortista, judaico, maçónico e gay internacionais que queriam prender o Papa Bento XVI?

Agora estão caladinhos como ratos e ninguem intenta uma acção contra o Presidente daquele «Estado», o nobelizado e «pacifista» Shimon Perez...

Quem não conhece estas reses que as compre!

Anónimo disse...

Pelos vistos deveriam ter-se deixado linchar com uma espingarda de paintball nas mãos.

lucklucky

Anónimo disse...

Os judeus estão (sempre estiveram ao longo da história) tramados. Foram queimados, gaseados, purgados, exterminados. E tentam resistir no bocado de chão que lhes concederam. Vivem num vespeiro, atacados por grupos "nacionalistas" generosamente financiados, cujas chefias absorvem a parte de leão, para as quais a paz seria a ruína.
Pretendia fiscalizar os navios do "combóio da paz", mas foram agredidos. O que tentavam esconder?Como queriam que reagissem?

burns disse...

eu acho que deveriam ter afundado o barco
o conceito de pacifista anda pelas ruas da amargura
se linchar com facas e barras de ferro militares numa acção de fiscalização na sua própria ZEE é pacifismo , então estamos conversados
Gostava que a indignada comunidade internacional questionasse os cobardes organizadores desta provocação,devem estar refastelados num hotel de 5 estrelas na europa

Nuno Castelo-Branco disse...

Apenas os entusiastas das "grandes causas" poderão negar a evidência: o governo Erdogan optou por uma saída airosa - mas com bastante ruído mediático - da já tradicional aliança entre a Turquia e o Estado de Israel. Hoje ninguém duvida da escalada de um islamismo mais radical que o primeiro-ministro turco tenta ingloriamente colocar em paralelo com a democracia cristã europeia. Nada de mais falso. O assalto ao poder total, a destruição do Estado khemalista, a obliteração do poder das forças armadas, a conquista do palácio presidencial e a aproximação ao Irão, são factos que denotam uma evolução que apenas poderá preocupar os europeus. Praticamente afastado o ingresso na periclitante União Europeia, a Turquia prepara-se para se tornar numa potência regional com influência segura em algumas regiões da Ásia Central e no Médio Oriente, ao mesmo tempo que recupera o papel outrora reservado à Sublime Porta como protectora dos muçulmanos. No entanto, este afastamento acaba por ser uma feliz ocorrência para uma Europa ciclicamente ameaçada pela recessão e declínio demográfico. Serve como um alerta.

Entretanto, os apoios que Erdogan recebe imediatamente, são bastante elucidativos. Pequim já disse presente!

Não está em causa a crítica à abusiva política israelita na região, mas esta incursão à Faixa de Gaza consiste num mero pretexto para o corte de relações e realinhamento político. O planeamento foi cuidadoso e o efeito mediático esclarece quem disso tenha qualquer dúvida. Restará saber qual será a reacção norte-americana e as consequências na OTAN.

Apesar da solidez da sociedade liberal de Constantinopla, terá início uma escalada nas ruas e coloca-se a questão de uma reacção turca, no caso de uma atitude estrangeira relativamente ao problema curdo. É uma arma que decerto não tardará a ser utilizada em caso de imperiosa necessidade. Junto dos radicais islamitas, a Turquia perfila-se já como o seu próximo campeão, infinitamente mais credível, poderoso e ameaçador do que qualquer arrivista iraquiano, sírio ou líbio. Sem comparação possível.

Jacinto disse...

Muito bem observado, NCB.
O que levanta uma questão "interessantíssima" : qual o papel da "Santa" Rússia nesse novo realinhamento?
Ser a "Nova Jerusalém" acarreta obrigações históricas ...
A ironia de termos a Rússia,após o desmoronamento comunista, a servir de escudo ao "Ocidente" face aos novos tártaros...

Nuno Castelo-Branco disse...

Jacinto, já há muito soou a hora do ocidente ver a Rússia como um aliado essencial. No entanto, Bruxelas e Washington ensimesmaram-se no convencimento daquele país ser uma mina a céu aberto. Para explorar. Grande erro.

Anónimo disse...

É preciso referir que a Turquia tem beneficiado do comércio de equipamento militar e tecnologia israelita, que lhe tem permitido, nas últimas duas décadas, manter os seus tanques, caças, forças terrestres e navais devidamente apetrechadas de modo a desempenharem as funções "domésticas" de defesa que os EUA, e de um modo geral o Ocidente, não apoiam - e às quais fazem vista grossa. A Turquia pertence à Nato e é armada pelos EUA e pela Alemanha; mas com o material de base", por assim dizer. Estas potências não subescrevem ou patrocinam as operações "fronteiriças", em zonas remotas e contra gente ou povos, mais ou menos clandestinas que nos últimos anos se têm multiplicado. Sobretudo em zonas onde a Turquia está nitidamente cercada de bandidos. Apenas Israel lhes forneceu miras laser, opticas IR, mísseis ar-solo "Raphael" e ar-ar "Python-5", radares de vigilância, sistemas de recolha de informações, actualizações para os seus F-16C e muitas outras coisas. Não é só a situação israelita que é frágil no presente (e num futuro próximo); a Turquia está mal colocada neste caso pois se tem publicamente de condenar com veemência, por outro lado - laica ou não - tem de rezar para que este embrulho se desembrulhe depressa. Até a China é o que é hoje devido à transferência de tecnologia militar israelita para lá. E não só: a França "dos valores" e a Itália "da cultura" venderam, vergonhosamente e por pratos de lentilhas, segredos tecnológicos ocidentais à China, sem os quais esta ainda operaria Migs-21 e Migs-17. Tudo isto é duma grande hipocrisia. E o que se vê nas TV's é fogo-de-vista, para distraír. E têm conseguido.

Ass.: Besta Imunda