25.6.10

PARA O FUNDO


«Muitas vezes sinto-me sozinho a puxar pelo país.»O que lhe vale é que há sempre uma alma cristãmente caridosa para lhe lamber as feridas fora do "circuito profissional lambe-botista Canas e Cia."

21 comentários:

Mani Pulite disse...

ESTE JÁ NEM UM ESQUELETO É.SÓ ASHES AND DUST.

mcorreia disse...

Não adianta.
Ele não se enxerga, MESMO!.
É, decididamente, um caso perdido.

Anónimo disse...

Esta estante de livros é mais esmagadora do que as do Pacheco Pereira.

Luísa disse...

Tão patético! Mas é para o fundo bem fundo, sem dúvida nenhuma. :-)

Anónimo disse...

Porra, nem a companhia do Alegre tem?

Anónimo disse...

Vai renovar escolas outras vez com fundos comunitários; vai aproveitar melhor os fundos comunitários; vai abrir linhas de crédito com os fundos comunitários;

Quem lhe pegasse pelos fundos(ilhos) comunitários e o atirasse janela fora, como em qualquer western, teria uma estátua de homenagem no Freepór.

Daniel disse...

Uma frase reveladora de um egocentrismo e um narcisismo que julga que os outros estão enganados e que só ele sabe o caminho para "transformar" o País num Paraíso.
"Orgulhosamente só".
Nunca devia ter saído de Castelo Branco e dos "planos urbanísticos".

Anónimo disse...

Este foi o primeiro ou um dos primeiros actos oficiais. O "brinquedo" explosor foi oferecido pelo Engº Berlmiro de Azevedo para implodir as torres da Torralta.
Consta que, mesmo nessa altura, quem carregou, verdadeiramente, no explosor não foi quem consta das imagens. Parece que foi tudo a fingir. Assim se inaugurou a época do fingimento e, espera-se que, o acto, não tenha sido um prenúncio da implosão do País.

Anónimo disse...

Sim, a puxar... p´ra baixo, e não se dá conta do que faz. Este "injinheiro" da farinha amparo, tira-me do sério. O País que outrora fora um império, hoje está reduzido e transformado num talhão rectangular, sem espaço para enterrar os mortos caso surja uma catástrofe. Oxalá que não. Cheio de dívidas e de uma plebe(esquerdalhada parasitária desavergonhada que se pavoneia) habituada a mamar à custa dos poucos que ainda trabalham e produzem, não auguro nada de bom. Apenas fome e mais fome e miséria a crescer. E viva o futebol, que é o que eles querem.
Trabalhar faz calos.

Ass: Patrulheiro do Asfalto

Bic Laranja disse...

Ah! Ah! Ah!

Anónimo disse...

A ideia de si, a noção insuflada que tem dele próprio são tão constantes na sua mente amoral que frases destas escapam-lhe naturalmente. Já não é só o esforço permanente da mentira.

Ass.: Besta Imunda

Garganta Funda... disse...

Se o PR não desligar o mais rápidamente a ficha da «tomada eléctrica», não tenho dúvidas que o proto-inginheiro vai acabar de rebentar com o país.

E na minha terra diz-se: tanto é ladrão aquele rouba as laranjas na quinta como aquele que fica a vigiar...

Manuel Brás disse...

P'ra o fundo é que é o caminho!

Tantas afirmações babadas
nestes tempos desgovernados,
tantas asneiras carimbadas
por políticos enfunados.

O Estado insustentável,
e que não parece melhorar,
é uma marca lamentável
que será difícil de sarar.

M. Abrantes disse...

Percebe-se, afinal, por que é que a carroça lusa não avança: só há uma besta a fazer força; as outras limitam-se a gemer.

Anónimo disse...

Parece que no parque-das-nações estão já muitos a puxar pelo país mas contrariados, pobre gente, pelas balas de borracha e bastões da polícia. Edificante. Esta gente delinquente e ébria devia ser deportada para poderem melhorar, com a sua ordem e progresso, o crescimento da economia do país-de-lula.

Ass.: Besta Imunda

Daniel Santos disse...

E quem disse a Sócrates que o país quer ser puxado por ele?

De nihilo nihil disse...

Devia demitir-se o coitadinho, este país não o merece.

Raquel disse...

Eu sabia que por de trás estava uma bela estante de livros:)

Zé Rui disse...

Lá estamos nós a pessoalizar os problemas...a culpa de estarmos, desgraçadamente, assim é do Socrates e do Gueterres? Os excessos que cada um cometeu na vida privada são culpa dos Governos? Lá estamos nós a acreditar num amanhã brilhante e esplendoroso.....qd este palerma sair...as coisas vão melhorar....esta mania esquerdista de acreditar em utopias é ridicula.

Mentalizem-se.....isto está nos nossos genes, não somos,nem nunca seremos um povo europeu...somos um bando de preguiçosos, oportunistas e maldizentes. Com Socrates ou sem Socrates.........

Anónimo disse...

Estou inclinada a concordar com o Zé Rui!
Alex

aristófanes disse...

"... a puxar pelo país". Não haverá alguém que corte a corda?