27.6.10

QUATRO A UM



Parece que a Alemanha derrotou valentemente a Inglaterra na África do Sul, remetendo a respectiva selecção de volta à ilha. Heidegger escreveu que a língua é a casa do ser e, talvez não por acaso, da língua alemã saiu a literatura filosófica mais decisiva para o século XX e, pelos vistos, para os primeiros anos do XXI - a do dito Heidegger e a de Nietzsche - sem a qual, aliás, outra qualquer jamais teria sido escrita ou redescrita. Também Wagner, na música, com o conceito dos leit-motiven, operou uma pequena revolução com o seu Ring que até hoje não foi superada. A Alemanha é um país de excessos. Ora a vida vale justamente por causa deles embora dure por causa da mediania. Dich teure Halle, grüss' ich wieder. (Wagner, Tannhäuser. Jessye Norman. 1991, Nova Iorque)

3 comentários:

Xico disse...

Post muito bem disfarçado para quem não gosta do fenómeno futebol.):

Fado Alexandrino disse...

Houve uma trafulhice imensa que favoreceu a Alemanha.

Anónimo disse...

Parece esquecer-se da filosofia analítica... que ignora os dois autores alemães.