28.6.10

O CURSO INCESSANTE


O mais relevante desta sondagem, se bem percebi de manhã, na rádio, não é o PSD ultrapassar, em intenções de voto, o PS ou o PC aparecer em terceiro. Essa será a ordem natural das coisas, com o CDS sempre subestimado nas ditas sondagens. Interessante mesmo é a taxa de rejeição do governo - mais de setenta por cento (mau e muito mau). E a noção - 51% - de que dificilmente outros fariam melhor. Isto é uma raça complicada de governar, já dizia, nos anos sessenta do século passado, Jorge Dias. Depois há outro "estudo", do inefável ISCTE, em que a raça aparece preocupada com o pouco que ganha e com o pouco que pode fazer com isso para além de comprar arroz e batatas. Mesmo assim, dizem, a raça é moderadamente feliz. No inferno em que tudo se tornou, semi-felizes é sinal de imoderada idiotia colectiva. Nada de surpreendente num povo irresponsável pastoreado por ilusionistas profissionais. Já não saímos disto, deste curso incessante do pior.

6 comentários:

Mani Pulite disse...

O PS E O INGINHEIRO ESTÃO EM QUEDA LIVRE.A REJEIÇÃO NÃO CRIA AUTOMÁTICAMENTE QUALQUER CONFIANÇA NA ALTERNATIVA.A ALTERNATIVA TEM DE TRABALHAR MUITO PARA MOSTRAR QUE É MESMO OPOSIÇÃO E ALTERNATIVA E NÃO SÓ MAIS DO MESMO.DOS DUPOND E DUPONT ESTAMOS TODOS FARTOS.

Anónimo disse...

Pouca gente neste país vota informada ou em consciência.
Em conversa - com gente dita normal - no trabalho, num intervalo, no café, podemos perceber que, independentemente da idade, a maior parte vota com o tubo digestivo e mergulhados na amnésia. Mesmo os mais velhos.
O instinto substitui a informação.
A moleza substitui a convicção.
Ninguém se lembra com precisão do que os partidos A, B ou C fizeram, disseram, defenderam ou anunciaram.
Os nomes, os protagonistas etc, são todos confundidos, tal como os actores de novelas na mente de velhas.
Os preconceitos e as teimosias "ideológicas" baralham tudo e ocultam a verdade mais gritante e obscena.
A negação e a ignorância deliberadas imperam.
Tudo é medido a pensar turvamente nos últimos dois meses ou três e a pensar cobardemente nos próximos dois meses ou três.
Eis a democracia.

Ass.: Besta Imunda

Ariel Sharon Tate disse...

No meio desta tragédia, salve-se a propensão - involuntária, como a cabala de que falava Rui Gomes da Silva - para a generosidade. Com efeito, os principais actores da cena política nacional "dão-se" ao riso público de forma notável (cfr, por exemplo, as "redacções" aqui abordadas ou a troca de palavras a propósito do "país insustentável" de Cavaco Silva. Qual Parque Mayer?

Anónimo disse...

Não há maneira do inefável ISCTE aparecer com uma sondagem onde se possa ver que, apesar de se ganhar pouco, para o que se produz e faz muito se ganha. A maior parte dos inquiridos jamais poderá, sem corar, descrever com verdade o faz durante 7 horas diárias. Deve ser esse sentimento do "não levantar a a lebre" que leva a raça a babujar que é moderadamente feliz.
Alguém ainda vai pagando isto - por essas raras fábricas, escritórios, repartições e empresas onde o resultado não pode falhar.
Depois existem outros - falo dos verdadeiros - que já perderam o emprego, não sabem o que lhes acontecerá no dia seguinte (às vezes com filhos) e aos quais ninguém liga.

Ass.: Besta Imunda

Anónimo disse...

O mais grave de tudo, segundo o "sistema", é o PR vir dizer que a coisa esrá insustentável. Todas as mensagens, para serem patrióticas, têm que apelar à esperança, não vão os credores cortar a ração e a malga ficar vazia - temem os guardadores do rebanho. Vamos ver quanto tempo ainda vai durar esta comédia, agora com o Governo a acusar o PSD de que está a governar mal...

Anónimo disse...

Acho que já escrevi isto aqui (ou algo parecido): se tivesse 20 anos, punha-me a andar daqui para fora!

PC