7.8.10

A REAL MESA CENSÓRIA DA ESQUERDA MODERNA


»Que o José António Cerejo seja assistente do processo Freeport e utilize o seu estatuto para informar os leitores não envergonha os jornalistas. O que desonra e envergonha a profissão é que a Fernanda Câncio, assinando como jornalista, se esforce para que o calem. A pandilha, decididamente, enlouqueceu.»

Luís M. Jorge, Vida Breve

6 comentários:

Cirilo Marinho disse...

É um exercício absolutamente deslumbrante e (ao mesmo tempo) estarrecedor ler as discussões na caixa de comentários do jugular. Deixa muito assunto para reflectir.

Já foi tempo em que achava o pessimismo do João Gonçalves excessivo.

Anónimo disse...

O pior, é que quando chegar o momento (e é inevitável que chegue) de pôr cobro à esquizofrenia em que se vive, desconfio que escape o que quer que seja deste regime.

floribundus disse...

a esquerda (sinistra) transformou o rectângulo num gulag.
a escumalha não tem uma opinião,
é a OPINIÂO

joshua disse...

Nem sequer se lembram que, desde o dia 27 de Julho, o processo já não se encontra sob segredo de Justiça.

Fado Alexandrino disse...

Fernanda Câncio ou melhor fc como ela gosta de assinar é o meu sonho de mulher.
Mesmo repudiada continua fiel e a defender o seu amado, quem é que não quer uma coisa assim?

Anónimo disse...

A "jugular" é o tal blog onde a câncio escreve umas coisas regimenteiras, mais próprias do Pravda do tempo de L. Bresnev. "Jugular" é também uma importantíssima artéria (são duas) que transporta sangue ao cérbero e que passa "pelo pescoço"; é aí que os predadores - lobos, tigres, ursos, cães, coiotes, raposas, furões etc, - mordem, dominando e matando a vítima com o seccionamento cervical e arterial.
Mas câncio e os seus queridos do blog põem também umas manchas de sangue no cabeçalho - colocando também no grafismo um corte que desalinha as letras; também mantêm uma fotografia de uma lâmina de barbear (Gilette ou Nacette...). Tudo isto é um misto de agressividade descontrolada e ameaçadora, e de tendências histéricas para o suicídio - sendo a incontornável lâmina um dos últimos recursos dos cobardes que cortam os pulsos - para que sejam socorridos a tempo. Se por um lado querem ser "os predadores dos maus da sociedade" (como justiceiros da esquerda "dos afectos"), por outro não podem deixar de se denunciar nas suas fragilidades mais patéticas: a tendência para chamar histericamente a atenção com laminazinhas.
Minhas meninas: se quizerem de facto acabar com a própria vida, de maneira rápida e segura, dêem um tiro de caçadeira com zagalote pelas vossas trombas adentro, ou vão para um prédio muito, muito alto e mergulhem no asfalto de cabeça (pelo menos 20 pisos...e nada de tectos de carros lá em baixo). Estes processos obtêm taxas de sucesso de 99%. Deixem-se de laminazinhas marotas.

Ass.: Besta Imunda