12.8.10

OS PROVINCIANOS "LIBERAIS" PORTUGUESES


Esta dos "corporativos" tem graça. Evidencia a maleita provinciana dos "liberais" portugueses. Uma coisa que é objectivamente racional e lógica num país de burgessos - diminuir as doses de sal no pão que é comida que acompanha outra tanta de cujo sal se não pode fugir porque perde a graça, tipo as sardinhas assadas - tem forçosamente de ser má porque interfere com a privadíssima liberdade de me querer matar imolado no vestusto altar do "mercado" (do Bolhão, porventura). Como perguntava o outro, se te queres matar, por que é que não te matas ou vais viver para os liberais EUA onde é tudo "cholesterol free"?

9 comentários:

Anónimo disse...

Caro JG, a questão é que há anos que se vende pão sem sal, com menos sal, com mais sal,etc, etc. O que se faz agora é proibir um determinado tipo de pão (com algumas excepções: Avintes e outros). Sinceramente é a típica lei de políticos que não tem mais nada para fazer. Lamentável.

Anónimo disse...

No meu "Marlboro" diz hoje (em letras garrafais) que "o meu médico ou o meu farmacêutico podem ajudar-me a deixar de fumar". Não sei bem como; o primeiro fuma "Português Azul", o outro "SG Gigante". Ainda por cima bebem os dois, e ficam irritáveis e com tiques quando se lhes nega o vício (e quando as mulheres lhes telefonam). Agora esta do pão...Esta porcaria da saúde é exactamente como os "Alertas Vermelhos", que não existiam quando a televisão era a preto-e-branco. Sobretudo nunca entrar num hospital de livre vontade! que pode vir de lá um médico, destes de agora, que não conseguem diagnosticar uma decapitação.

Ass.: Besta Imunda

mag disse...

Um país maioritariamente "burgesso" é avesso a pãezinhos sem sal claro está.
E um bom local para um imolamento de omega3 (o Bolhão está descaracterizado, até na verborreia hard-core) será em Matosinhos; no Xarrôco ou talvez na lota propriamente dita que já foi palco de alguns.

De nihilo nihil disse...

Porque não fecham os Mac'Patos ou as Mac'Pizzas colossais aterros de colesterol e outras malditas substâncias?

Anónimo disse...

Sobem os impostos, o desemprego atinge números históricos, a inflacção homóloga regista a segunda maior subida dos últimos anos, o país arde sem que sejam apuradas responsabilidades, mas Deus livre o Manecas de ter de comer pão sem sal! Isso é que nem pensar!

PB

Anónimo disse...

Nesta coisa de excessos há coisas que me incomodam: é vulgar encontrar queijo intragável, com sal a mais, e açúcar a exceder o qb vezes sem conta. Aqui, as crianças são vítimas inocentes e seria de bom-senso fazer qualquer coisa. E antes que esta geringonça se afunde em chamas.

ricardo disse...

Nem o Salazar se atreveu a tanto.
Vamos começar a preparar esconderijos nos quintais, para guardar sal, manteiga, chouriços e queijos.
Quando vier a ASAE, mostramos os sacos da ração (certificada claro)e pedimos muita desculpa por ainda não termos posto na porta o selo da taxa do carbono que respiramos.

Anónimo disse...

A tirania avança passo a passo. Agora pelas mãos dos Sociais Democratas que nunca conseguiram esconder ser uma espécie de puritanos e certamente mais salazaristas que salazar.

lucklucky

Anónimo disse...

É o pão sem sal e os preservativos de polegada e meia.
Vão chatear a avó !