24.8.10

O ESPIÃO QUE SAIU A FRIO

Só um provinciano que não percebe nada de informações (intelligence), militares ou outras, é que informa graciosamente o respeitável público que se dispõe a instalar um "centro" delas algures.

Adenda (de um leitor habitual): Como é que possível que gente que não «assentou praça» e que tem como «habilitações» a «sociologia da batata» esteja numa pasta tão transversal, nacional e de Estado? Não resta dúvidas que o ex-MES forneceu ao PS e PSD quadros e personalidades para todos os gostos e feitios, desde Jorge Sampaio, Ferro Rodrigues, Catalina Pestana, Vieira da Silva, David Justino, Alberto Martins, João Cravinho, Augusto Mateus, Joel Hasse Ferreira, Manuel Braga da Cruz (reitor da Universidade Católica), etc. É curioso saber que o próprio Jorge Sampaio foi o primeiro a sair deste notável grupo, um bocadinho assustado com as propostas do então líder, Augusto Mateus, que prentendia cavalgar a «onda revolucionária» e ultrapassar pela esquerda o velhinho PCP. Também a ex-UDP tem sido uma boa fornecedora de «quadros», desde Jorge Coelho, António Perez Metello, José Manuel Fernandes, Henrique Monteiro, João Carlos Espada, António Vitorino (da UEDS), Nuno Ribeiro da Silva, etc. Por sua vez o glorioso MRPP forneceu e ainda fornece quadros de alto gabirito, desde o mais mediático, o Durão Barroso, ao Fernando Rosas, à Maria José Morgado, ao recentemente falecido Saldanha Sanches, Ana Gomes,etc. Nunca a «ex»-extrema esquerda (a doença infantil do comunismo) teve tão poder nestas últimas duas décadas num país europeu como a «ex»-extrema-esquerda portuguesa. Chegaram ao topo do Estado, desde a Defesa e Informações até às assessorias de S.Bento e Belém. Não é por acaso que estamos como estamos... São especialistas na balbúrdia, indisciplina, agitação e propaganda!»

23 comentários:

Cáustico disse...

O SS das forças do Rato não é apenas um provinciano. É muito pior do qe isso.

João Sousa disse...

O responsável pela pasta que gere as Intelligence nunca me pareceu particularmente inteligente.

v disse...

Por acaso até dava um bom truque, mas duvido que tenha sido essa a intenção.

Anónimo disse...

Não há problema. As informações que poderão circular por aquelas bandas são referentes a presuntos, conservas, vinho e edições d'A Bola.

Ass.: Besta Imunda

sampy disse...

Trata-se apenas de uma encenação à portuguesa da famosa operação Mincemeat.

Os verdadeiros espiões de Sócrates há muito que estão instalados...

Garganta Funda... disse...

Ao estado a que chegámos.

Um ministro da Defesa (!!!) a comunicar a todos os possíveis interessados que a República Portuguesa vai colocar «espiões» em determinados e bem identificados sítios (teatros de guerra)!!!

Como é que possível que gente que não «assentou praça» e que tem como «habilitações» a «sociologia da batata» esteja numa pasta tão transversal, nacional e de Estado?

Não resta dúvidas que o ex-MES forneceu ao PS e PSD quadros e personalidades para todos os gostos e feitios, desde Jorge Sampaio, Ferro Rodrigues, Catalina Pestana, Vieira da Silva, David Justino, Alberto Martins, João Cravinho, Augusto Mateus, Joel Hasse Ferreira, Manuel Braga da Cruz (reitor da Universidade Católica),etc.

É curioso saber que o próprio Jorge Sampaio foi o primeiro a sair deste notável grupo, um bocadinho assustado com as propostas do então líder, Augusto Mateus, que prentendia cavalgar a «onda revolucionária» e ultrapassar pela esquerda o velhinho PCP.

Também a ex-UDP tem sido uma boa fornecedora de «quadros», desde Jorge Coelho, António Perez Metello, José Manuel Fernandes, Henrique Monteiro, João Carlos Espada, António Vitorino (da UEDS), Nuno Ribeiro da Silva,etc.

Por sua vez o glorioso MRPP forneceu e ainda fornece quadros de alto gabirito, desde o mais mediático, o Durão Barroso, ao Fernando Rosas, à Maria José Morgado, ao recentemente falecido Saldanha Sanches, Ana Gomes,etc.

Nunca a «ex»-extrema esquerda (a doença infantil do comunismo) teve tão poder nestas últimas duas décadas num país europeu como a «ex»-extrema-esquerda portuguesa.

Chegaram ao topo do Estado, desde a Defesa e Informações até às assessorias de S.Bento e Belém.

Não é por acaso que estamos como estamos...

São especialistas na balbúrdia, indisciplina, agitação e propaganda!

Anónimo disse...

Facto é que o rapaz, quando se limitava a ser sociólogo (vd.artigos no defunto "O Jornal), até tinha umas ideias e daí passou a idiota, mas atenção muito ortodoxo e perigoso.
Este e outros exemplos citados no comentário anterior (e mais haveria) só contribuem para descrer totalmente nos "políticos e politiqueiros" e, desculpem a heresia(?) ter saudades de outros tempos (já cá cantam 65 anos).

Nelson Marques disse...

LOL, com o título!!!!

A frio de facto!

De resto, sosseguem as hostes: como isto está, ninguém espera pelos nossos "espiões" para "resolver" nada. Aliás, a julgar pelo país não-secreto, deve ser assim à séculos...

Agora, que diz muito sobre o senhor ministro ASS, lá isso diz.

Paz

Ramiro Marques disse...

O Garganta Funda tem razão. Está explicado.

Anónimo disse...

Este é outro caçador de mosquitos que por azar caiu na defesa nacional.
Outro "intelectualoide" de pacotilha que o PS deu à luz, no seu imenso útero de aluguer, onde se tem gerado a maior trupe de malabaristas que a nação viu nascer.
O tal que adora cascar na oposição, e que gosta também de ver filmes de espionagem, teve um momento de excitação e metendo-se na pele de Orson Welles, arrisca com as suas diatribes pôr em risco a segurança dos novos mercenários portugueses.
Estes políticos da nova geração rasca, são aquilo que normalmente ridicularizam a nobre missão que deveria ser o governo sério de um país a sério, mas infelizmente são apenas caceteiros alcandorados a postos de chefia, para nossa vergonha.
Cps
Scaramouche

Licurgo disse...

Certeiro, o Garganta Funda...
Boa análise. Com factos.
Na verdade, entregue o País a tal escumalha, que se poderia esperar senão a porca miseria em que nos encontramos?!

Anónimo disse...

NA altura o "velho Simão" - Veiga Simão era rapaz no tempo de Guterres para regar os almoços com tintos de 100 euros a garrafa.

Vamos ver como vão as tendências para os tintos.

A

Rui

observador disse...

Caro João,

está perante de mais uma maleita deixada por S.

No tempo dele, toda a gente sabia que havia um núcleo de espionagem chamada PVDE/PIDE/DGS de que toda a gente sabia a existência, e sobre a qual toda gente suspeitava sobre quem eram os membros e informadores.

Mas era mais fácil, porque era cá dentro ....

Daniela Major disse...

Intelligence não é de facto o ponto forte de Santos Silva.

Anónimo disse...

SS, especialista em espionagem, aposta na contra-informação.
A Mossad está apreensiva.

antónio chulado disse...

Depois das mini-bacoradas expelidas pelo 'simpático' ministro da defesa, que mais parece um ministro de ataque, veio, na sicn, um tal de Vegar, dito jornalista/especialista, advogar que foi muito conveniente a intervenção do SS àcerca da espionagem.

Nem os vómitos do SS e os arrotos do Vegar merecem comentários.

Este cemitério de gente decente a que, teimosamente, insistem em chamar de 'país', está cada vez mais convidativo a 'dar o fora'.

Estranho que o pavão de S. Bento diga que 'crescemos' acima das previsões - eu, por mim, estou com a mesma altura e não é com 'perto' de 70 que vou 'esticar' (só se for o 'pernil'!) - e, olhando à nossa volta, esta 'caca' está cada vez mais no fundo.

Por fim, o pavão diz que é necessário exportar: comecem por ele.

observador disse...

João,

Já agora outra ideia:

- trata-se duma manobra do Ministério das Finanças para reduzir custos.

Célula de espiões denunciada, é célula fechada, logo custa zero.

Conforme vê, é o mesmo princípio do encerramento de escolas e da reforma do ensino da música e afins, adaptado á espiongem.

nat disse...

é uma contra manobra de espionagem
ninguém acredita nele
é o típico espião pateta
ou o pateta espião?

joshua disse...

Nunca se subestime a piece of ASS.

Nuno Castelo-Branco disse...

Deve ser um admirador do embaixador Oshima. Quando esteve em Berlim, este entusiasta da minúcia informava detalhadamente o seu governo, acerca de tudo o que se passava nas frentes de combate. Assim, quem estava em Bletchley Park podia decifrar as mensagens e reencaminhá-las para quem enfrentava as situações. O camarada Estaline, em primeiro lugar. Nada de novo.

Anónimo disse...

Bem lembrado, Garganta Funda. Os factos que refere devem ser tidos permanentemente em conta, pois explicam muita coisa.

Anónimo disse...

Esta questão das informações militares é idiota e própria deste pobre país que deixou de ser militarmente credível com o fim da Guerra Colonial. Simão, Caldas, o outro pobre idiota ex-CDS (escuteiro!...) e agora S. Silva; este friso de incapazes, ex-revolucionários de pastelaria e bandidecos ex-MES, de facto, só têm piorado e ridicularizado ainda mais o que já estava aflitivamente ridicularizado.
Posto isto, é preciso afirmar que mais do que denunciar perigosamente uma qualquer inteligente manobra das informações militares portuguesas, esta imbecil entrevista de SS veio antes informar o "inimigo" de que NÃO ESTAVA NO TERRENO QUALQUER REDE DE INFORMAÇÕES MILITARES DE PROTECÇÃO ÀS TROPAS PORTUGUESAS. Foi, sem dúvida, uma novidade para "eles" - pois parte-se sempre do princípio de que estas redes de informação existem e precedem SEMPRE a chegada dos contingentes. Os talibãs e os criminosos da AK-47 e do RPG lá no Líbano ficaram pois a saber que os portugueses foram "para lá" apenas (mal) apoiados por informações de outro país nosso aliado na zona. Apenas isso. Em termos reais (no teatro de operações) nada mudará. Internamente (aqui, na terra da falta de oportunidades e dos babosos do esquerdalhismo criminoso que aluga soldados) passa a haver mais um caso tristemente grotesco para comentar. De João de Deus Pinheiro a Augusto Santos Silva, a irresponsabilidade e a estupidez tradicionais da política externa e estratégica à portuguesa - com batatas salteadas.

Ass.: Besta Imunda

Anónimo disse...

O "descuido" não é assim tão grave.O homem sabe que pode dizer o que quizer,porque também sabe que já ninguém liga, e muito menos acredita no que ele diz.Não será antes uma manobra de contra-informação?