17.8.10

UM REGIME SEM GRANDEZA


Um jornal faz capa com uma pergunta imbecil: «e agora, Cavaco?». Tudo porque, dizem eles, a "direita" vai chumbar o orçamento de Estado. Duas notas apenas. Como é previsível até por cegos de nascença ou de profissão, o "agora" de Cavaco está diferido para Março de 2011 quando ele puser a mãozinha, de novo, na constituição que tanto ama. Agora Cavaco fará tudo - conversinhas de pé de orelha e coisas deste género, recatadas como ele aprecia - para que o orçamento passe como passará. As "condições" de Passos, emitidas no calçadão, são conversa de chacha. Depois, mesmo que não fosse, o dr. Portas, refrescado pelas excelentes vistas marroquinas, terá sempre qualquer coisa para a troca. O batalhão de comentadeiros nacionais - que precisa de crises como de carne para canhão - vai ter de esperar. O regime gosta do mar do Algarve e não se revê no do Guincho. Cavaco, aliás, obterá uma vitória retumbante porque muito eleitorado socialista confia mais nele do que no impetuoso bardo que, com um bocadinho de sorte, até já podia estar expulso da seita. Como a senhora comunista de 1986, ando a tomar sais de frutos para votar em Cavaco de novo, seguramente com o entusiasmo de uma anémona. Ao que isto chegou. Ele e eu.

21 comentários:

Nuno Castelo-Branco disse...

João, lá terás de emborcar os sis de frutos. Eu faria o frete, se estivesse disposto a uma transfusão de sangue. Infelizmente, não estou para esse tipo de ajustes, pá... Que se desenrasquem!

Anónimo disse...

Não é preciso tomar sais de frutos. E não é preciso votrar no Cavaco. Ir votar presencialmente, nos tempos que correm, já é uma maçada. Para ir votar no Cavaco, só se fôr por penitência.

PC

Alves Pimenta disse...

Também eu, meu caro, também eu.

Ramiro Marques disse...

Pois eu não sairei de casa nesse dia. Nunca apreciei Cavaco. É o criador do monstro. Não gosto nem do estilo nem da substância. Do bardo ainda gosto menos mas como não há o perigo do poeta ganhar, ficarei em casa.

David Oliveira disse...

À minha conta tem por garantido que já mandou para o tecto com quatro. Certinho!garantido. Estou como o sr. Nuno Castelo-Branco- desenrasquem-se!
Cumprimentos
David Oliveira

P.S:: e ao bardo não lhe faço a cova porque não posso. O que gosto deles!

Karocha disse...

Eu também estou como o Nuno Castelo-Branco!

Anónimo disse...

A aguarela, sanguínea ou acafezada, que o Dr. Gonçalves escolheu para a ilustração é significativa: alguém chora ou cisma literalmente aos pés dos gigantes destroços da gigante estátua de Constantino, brutais recordações de um passado glorioso.
O regime sem grandeza. Ela morreu e ficou toda no passado. Estamos, em pasmaceira, à espera do desenrolar mole dos acontecimentos - que se podem antever a dias de distância, não produzindo surpresa. Já toda a minha gentinha percebeu os joguinhos de espera e de toca-e-foge que são pachorrentamente praticados no regime por sócrates, Passos, Cavaco, alegre etc, etc. Grande política! Com critérios assim, a política está ao alcance dos dependentes do RSI, que vadiam pelos cafés ou barbearias de Lisboa, arrotando sobre Queiroz e o Benfica...
Os "Capitolinos" são um impressionante depósito de informação; além de tudo o resto, a fantástica colecção de estátuas, bustos e cabeças do tempo de Marco Aurélio, e de outros, permite-nos a quase 2000 anos de distância perceber, conhecer, tirar conclusões, entender modos-de-vida, humores, quase as intrigas! e completar assim umas leiturazitas.
A RTP, a SIC e a TVI, actualmente e com todos os meios ao seu alcance, estão muito aquém do que aquela vetusta estatuária nos transmite. Como sítio de eleição para chorar por nós e pelo regime - em vez dos fantásticos Capitolinos - sugiro, pifiamente, a Travessa dos Mastros e as suas tabernas assardinhadas, logo ali colada à Rua de S. Bento. É mais à escala cá do sítio.

Ass.: Besta Imunda

Anónimo disse...

Caro João,
Ainda o vou ler afirmando que não votará em Cavaco... tal como eu, aliás.
Este mandato de Cavaco é uma desilusão absoluta.
Cumprimentos.

Anónimo disse...

Bem, raínha de Inglaterra já temos uma, vamos votar noutra para quê?

Anónimo disse...

Cavaco foi, como prometeu, o garante da estabilidade. Só que o que o PS lhe ofereceu foi à base de incompetência, mentiras, transformação do parlamento numa feira medieval, propaganda, desorçamentação e demagogia como as Novas Oportunidades e o computador azul dos joguinhos. E Cavaco, para manter a sua palavra, manteve-a. Esqueceu-se foi de pôr Portugal acima da sua promessa.

RuiAlmeida disse...

Com um Governo destes e (sobretudo) com um PM destes; com uma comunicação social incompetente e parcial; com um país acéfalo e desinteressado, entre outros problemas, só um milagre poderia salvar o mandato de Cavaco.
Não que prefira (será sempre o meu candidato) mas se fosse a ele passava a tomar só conta dos netos e deixava este fim de mundo entregue aos bichos. Pode ser que se batermos de vez no fundo ainda haja esperança.

Fado Alexandrino disse...

Há coisas que custam a acreditar.
Então não é que o "Dr." Manuel Alegre convocou uma reunião nacional de todos os mandatários para 11 de Setembro.
Não houve ninguém que lhe desse um lembrete?

joshua disse...

Não combaterei politicamente Cavaco, mas também não posso votar nele. Um fraco presidente faz esfrangalhada a esmifrada a explorada gente.

Combaterei alegremente esse triste militante presidencial que o PS não ousa expurgar com a coerência mafiosa que se lhe reconhece.

floribundus disse...

na minha quase desaparecida aldeia norte-alentejana
rachavam madeira dura para obter cavacos.
a outra não dá carvão, desfaz-se em cinzas

o país está completamente escavacado
não tem conserto possível

Anónimo disse...

Aprecio o sr Cavaco,enquanto melhor PM depois da tragédia de 74.
Mas,como PR,foi colaboracionista da quadrilha que arrasou o país.
créditos para as próximas = 0.
Aliás,nunca mais votarei em males menores.
Ou servem,ou não.E este não serve.
Se o bandalho Alegre é pior ou não,que se lixe.
Isto também já não é o Portugal que conheci.É uma estrumeira sucialista,com a colaboração da maioria.

Luísa disse...

João, quando se vota, não para entregar o poder a um sujeito, mas para evitar que outros lhe deitem a mão, só a sais de frutos. Mas eu farei exactamente o mesmo, nas presidenciais e nas legislativas, com o entusiasmo de uma anémona.
P.S.: Mas tenho notado que às vezes os presidentes, no seu segundo e último mandato, se tomam de brios...

joshua disse...

Ainda estou para ver, Luísa, este PR a tomar-se brios. Teve tantas, mas tantas oportunidades para DIZER o que todos observam e pensam e nunca o fez.

É imperdoável.

Alexandre Carvalho da Silveira disse...

Nunca ouviram falar do voto em branco? Quem fica em casa e não vai votar com a justificação de que não gosta de nenhum candidato, merece mais 48 anos do que já tivemos.
Infelizmente há mais pessoas a pensar assim; não gosto de politicos: desenrasquem-se. Mas quem?
Com quase 900 anos de vida e de historia, começo a ter fortes duvidas que este país e este povo mereçam viver em democracia.

Anónimo disse...

As dúvidas, para mim, desapareceram totalmente e há muito tempo. Muito tempo para mim são 15 anos.

Ass.: Besta Imunda

Nuno Castelo-Branco disse...

Alexandre Carvalho da Silveira:

Fica então tudo a preto e branco. Sou um INIMIGO da república. Está claro? Não voto para presidenciais. estou no meu direito, pois não perfilho da opção bomba, pistola ou golpe de Estado. Não tenho qualquer tipo de admiração pelo republicanismo de fachada, treta ou teatro, como lhe queiram chamar. Assim, ignoro-o. Não lhe parece um direito? Sim, DESENRASQUEM-SE (estou mesmo a gritar).

Alexandre Carvalho da Silveira disse...

Nuno Castelo Branco:

Longe de mim negar seja a quem for o direito de votar ou não em eleições, presidenciais ou outras.
O que eu quiz dizer é que há outros instrumentos para manifestar a nossa discordancia, e para mim o voto em branco, que já utilizei varias vezes, é o mais eficaz. Penso até que deveria haver em proximas eleições uma campanha pró voto em branco, só para os assustar.
Quanto ao resto...Viva o Rei!