20.8.10

NÃO SOMOS TODOS CIGANOS ROMENOS

Miguel Serras Pereira costuma ser um tradutor que não me desilude. Quanto ao mais que perpetra - versos? - não leio. Mas li isto e, a sério, sorri com o título, o famoso cliché do "somos todos" qualquer coisa, na circunstância, ciganos romenos. Não somos e o Miguel também não é a não ser a título retórico. Ninguém está a atacar cidadãos por serem romenos e, muito menos, ciganos. O que se aplaude - eu aplaudo e pode chamar-me racista ou fascista que dormirei descansado na mesma - é a repatriação de ladrões. Porque, Miguel, para ladrões já temos quanto basta com bilhete de identidade nacional. Se viaja, sabe perfeitamente a que é que estes coirões e coironas se dedicam com inusitada proficiência. É evidente que há sempre injustiças nestas coisas e nem todos e nem todas são gatunos. Todavia, a vida é mesmo assim, injusta, e não uma casa na pradaria. E não, não somos todos ciganos romenos. O que todos devemos ser é decentes e civilizados - ciganos, brancos, pretos ou amarelos. Nenhum Estado pode usar os impostos dos seus concidadãos para sustentar gatunagem tenha ela a cor que tiver. Isto não é bonito de se dizer no meio de tanta tenda falsamente montada no estafado "multiculturalismo" dos congressos em hotéis de cinco estrelas onde as carteiras estão, em princípio, seguras. Mas o mundo é porventura bonito?

15 comentários:

Anónimo disse...

Ando a concordar muito consigo... estou a tentar decidir se é bom ou mau sinal.

Alex disse...

Concordo com J.G. novamente. Não estou a ser complacente nem J.G. aceitaria a minha complacência. Mas é verdade. Que dever temos nós de contribuir para o “não faz nada” e para a gatunagem?

Anónimo disse...

Neste caso, João Gonçalves, subscrevo tudo o que diz. Essa gente, se quiser cá estar, tem que trabalhar como os outros.

Ramiro Marques disse...

Certeiro. É de bom tom vir em socorro da gatunagem, avançando com 3 ou 4 justificações sociológicas, mas a realidade é crua. desta vez, concordo a 100% com o PR francês e parece-me que a esmagadora maioria dos franceses também.
No retiro onde o Serras Pereira vive - a bonita e pacífica Constância - não há gatunagem. Por isso, ele fala assim...

Garganta Funda... disse...

Curioso é que os arautos da vivência em «multiculturalismo» se fossem convidados a viver num qualquer bairro problemático entre ciganos e pretos, fugiriam a sete pés destes como o Diabo foge da Cruz.

O «diálogo das civilizações» é muito bonito, mas é num hotel de cinco estrêlas, com segurança e ar condicionado...

Karocha disse...

Plenamente de acordo.
Quando o Dr. João Soares, enquanto presidente da CML, resolveu fazer um bairro social com ciganos e pretos, ao lado do Gemini,nem imaginam o que foi!

Anónimo disse...

"No retiro onde o Serras Pereira vive - a bonita e pacífica Constância - não há gatunagem. Por isso, ele fala assim..."

Este homem escolheu qualidade de vida e pode falar assim. Quem o critica deveria repensar a sua vida.
Todos os comentários atrás sofrem de RACISMO puro, melhor, XENOFOBIA. Utilizando a linguagem vernácula do autor do blog digo vão todos para o c*r*lho.

Cláudia Tomazi - Brasil SC disse...

Até que por fazer parte da Europa, andam mesmo tolerantes. O que não faz uma boa crise, a pensamentos nem sempre católicos em...

Anónimo disse...

Do Miguel Serras Pereira pode ser dito que é um histérico que logo se dota de citações e frases "conhecidas"; e que se precipita - aos gritinhos - a confundir tudo; o que já é costume nesta javarda desonestidade mental cá do sítio. É, portanto, um teórico-do-caralho.
Ao rapaz das 4:54PM mando-o simplesmente fazer felácios a equídios.

Ass.: Besta Imunda

Alex disse...

Eu não sofro de xenofobia. Os estrangeiros que venham mas que trabalhem como toda a gente. Não sejam um peso para a minha bolsa. Já tenho pessoas suficientes para sustentar pelas quais sou responsável. Se no meio de ciganos, instintivamente protejo a minha carteira/mala de mão. É ser xenófoba? Não é.

Anónimo disse...

PORQUE É QUE TODOS PARARAM NO TEMPO E,CONTINUAM A REFERIR-SE AOS CIGANOS COMO LADRÕES,INCLUINDO O SENHOR?
AS COMUNIDADES CIGANAS,JÁ DESDE HÁ LONGOS ANOS,DEDICAM-SE MAIORITÁRIAMENTE AO TRÁFICO DE DROGA.O FURTO OU ROUBO PASSOU A SER UMA SIMPLES CARACTERÍSTICA CULTURAL QUE VÃO PRATICANDO PARA NÃO ESQUECER!
PORQUE É QUE NÃO CHAMAM OS BOIS PELO NOME?É POLÍTICAMENTE INCORRECTO?
QUANTO AO RESTO,ACHO QUE A CULPA NÃO É DELES,MAS DE QUEM OS DEIXOU CÁ ENTRAR...

Anónimo disse...

Hoje fiquei com a sensaçao que o Besta Imunda e um pseudonimo de JG. Sera?

Anónimo disse...

A França expulsa ciganos ilegais
e todos ficam contentes.Os ciganos, que recebem trezentos euros cada, o que lhes dará bastante jeito quando chegarem à Bulgária e à Roménia e decidirem regressar a França.
Os pró-imigração, que têm a oportunidade de exprimir a sua recorrente indignação com o racismo e a xenofobia.
Os políticos pseudo-securitários, a começar por Sarkozy, que assim garantem alguns votos, desviam atenções de outros problemas e passam a imagem de firmeza.
Os populares, que lá se deixam enganar mais uma vez por uma medidazita pontual, que não terá qualquer impacto na dissolução da sociedade francesa.

Nuno Castelo-Branco disse...

Ontem, sexta-feira, decidi-me ir a banhos na linha do Estoril. No comboio, cheio às 11 da manhã, entrou um grupo de seis "miúdos" - 4 brancos e 2 pretos - com aquele inconfundível estilo ruidoso "à Bairro Alto". ApósAlgés, um deles disse de forma bem audível: Vamos? De forma também sonora, o chefe lá lhe respondeu que ..."é melhor à volta, agora está muita gente!"

Muita gente. Qual era o problema? Apenas o grupo de matulões que estava na mesma carruagem. Estrangeiros e de aspecto entre o as Waffen SS e os Marines USNavy. Escolham quem preferirem.

Cáustico disse...

Não me parece haver paragem no tempo.
O nosso povo, sabiamente, costuma dizer: quem cabritos vende e cabras não tem de alguma banda lhe vem.
Isto aplica-se a todos que não são honestos, seja qual for o patamar social onde se situem.
Mas os ciganos fizeram e continuam a fazer escola em matéria de roubalheira. Não roubam tanto em valor como um empresário, como um director, como um administrador, como um político, mas fazem-no em número.
Os que ainda se deslocam em caravanas vão surripiando as galinhas e outras bichezas que não dêm alarme ao serem roubadas e qualquer equídeo que encontrem a jeito.
Actualmente dedicam-se mais à droga, por ser negócio mais lucrativo, e à burla, aproveitando a estupidez que muito português exibe.
Mostrem-me um cigano, um apenas, a trabalhar como sapateiro, carpinteiro, serralheiro ou em qualquer outra profissão do género.
A maioria deles, senão todos, não tem uma profissão decente.
E como não têm profissão estão praticamente sempre desempregados.
E como desempregados tem direito a subsídio atribuído pela imbecilidade dos homens do governanço que têm assento nos mi nistérios, subsídio que acumulam com o rendimento daquilo que andam a vender nas feiras, com aquilo que roubam, com o resultado das burlas que praticam.