6.8.11

SOMÁLIA E AS HIENAS DOMÉSTICAS


«Patrulheiros e laracheiros parece não se preocuparem com isto. Três milhões de pessoas sem abrigo, a morrer de fome todos os dias. Isto é insuportável. Os fascistas islâmicos do bando Al-Shabad, ligado à Al Qaeda, ainda ameaçam as agências humanitárias que tentam ajudar. Mas que gente é esta?»

Lourdes Féria

8 comentários:

Anónimo disse...

É a 'gente' com quem a UE por vezes negoceia na sombra, que 'é comprada' com 'donativos' para o Hamas e o Hezbollah; é a 'gente' que ameaça o Ocidente com o abuso da democracia (que eles jamais tolerariam nos seus paraísos), que quando emigra nunca aprende a língua ou os hábitos de quem os recebe, que ameaça bombardear teatros de ópera por levarem à cena Mozart; é a 'gente' que escraviza e mutila mulheres (e homens), que corta mãos e força pobres mulheres queimadas e cegas com ácido a perdoar os seus agressores; são piores que os socialistas-negros do sr. Adolfo. E, todavia, medram impávidos. As Nações Unidas - como associação indiscriminada de torcionários - são a vergonha da humanidade; ou são isso mesmo: uma amostra bem exemplar do que é a merda da humanidade.

Ass.: Besta Imunda

Lura do Grilo disse...

É um terreno sem lei e ordem que, de vez em quando, a ONU descobre e os jornalistas, magrinhos e num lugar seguro, vão ver para exercitar os sentimentos da plebe.

De resto volta tudo ao mesmo daqui a mê e meio mas é difícil distinguir as vítimas dos culpados: pela fome só não chega.

A ligação é mais fácil de fazer com o comunismo de Pol Pot.

jsp disse...

Etiópia, Uganda , Ruanda, Zimbabwe, e um longo etc. ao longo das últimas dezenas de anos.
Muito úteis para preencher telejornais e excitar a retórica anti - Ocidente ( curiosamente quase sempre sob a batuta da ON"U".
Mas a pulsão suicida de parte desta península da Ásia conhecida por Europa prefere ter opiniôes ( cuidadosa e diligentemente formatadas )sobre o que se está a passar com os Nórdicos...

Isabel disse...

Subscrevo, se mo permite, BI.

Cáustico disse...

Após a guerra de 1914/18 foi criada a Sociedade das Nações. Desconheço que fim visava. A concórdia entre as diversas nações para se evitarem guerras? Não sei. Como todas as sociedades cujos fins não são plenamente atingidos por má gestão ou por antagonismo de interesses dos diversos sócios, fechou portas. Acabou.
Como a maior parte dos seres humanos são ambiciosos, tarados, imbecis e brutos, foi iniciada em 1939 uma nova guerra que só terminou em 1945. E que guerra. Como a inteligência humana, para além de muitas coisas úteis que sabe criar, também sempre descobre os meios mais sofisticados para matar, a hecatombe foi enorme.
Como a guerra foi, em certa medida, provocada por ditadores, após o termo das hostilidades desenvolveu-se uma campanha contra os regimes políticos de ditadura e incensaram-se as democracias, mesmo aquelas que tinham ditadores encapotados no comando.
Começou-se a sonhar com a existência dum mundo sem guerras, como se isso fosse possível na sociedade humana. Do sonho à constituição de algo que pudesse impedir, de uma vez por todas, os conflitos, foi um passo. Nasceu assim uma organização de nações unidas: a ONU, que, se tinha efectivamente por finalidade acabar com os conflitos na Terra, fracassou redondamente.
Para haver união numa organização, seja ela qual for, tem de existir entre os seus membros, que se devem reger por princípios não antagónicos, uma perfeita harmonia de interesses e o respeito pelos fins para ela fixados e pelos métodos que foram definidos para os atingir.
Como se trata de uma organização dominada pelos seres terrenos que mais taras acumulam, faliu. Mas faliu porquê? Por causa dos múltiplos interesses dos tais seres terrenos. Por causa de tais interesses nunca pôde evitar as guerras. Por causa de tais interesses nunca lhe foi possível acorrer com eficácia aos locais onde a natureza mostra a sua força. Por causa de tais interesses deixa morrer à fome milhões de pessoas que sofrem com as consequências de certos caprichos da natureza, mas também com o resultado da insensatez, da cobiça de quem julga que o mundo é seu e que nele pode fazer tudo o que lhe apetecer mesmo praticar os actos mais vis.
O mal da ONU começou logo, por uma questão de interesses, pela admissão no seu seio de países onde imperavam regimes ditatoriais. Como impor sanções a esses países? Ainda hoje isso não é possível.
Então para que serve a ONU? Apenas para proporcionar uns “tachitos” a uns felizardos.

katespero disse...

Parece que a comunidade internacional está mais preocupada em derrubar Khadafy. Comparada com esta tragédia, a Libia é un fait divers. Talvez por ter importantes reservas petrolíferas o que não é o caso da Somália

www.angeloochoa.net disse...

...'ISTO'...NOS ENVERGONHA A TODOS OS DO PLANETA...

Streetwarrior disse...

"Que gente é esta "
O importante é mandar chavões como estes e continuar a manter a raiz do problema bem escondida.
Até parece que a Lurdes não é deste Planeta e se o é, que objectivos obscuros terá, defendendo quem?

Não saberá ela que para ter o seu PC, o seu plasma, o seu Tlmv e outras mordomias, é necessário " gente desta " como mostra a reportagem da SicN acerca das minas no Congo.
A extracção de Coltan para a NOKIA alimenta todo o trafico de armas, protegido pela mesma ONU que prima pela PAZ mas que no fundo....bem lá no fundo, está no Congo só para proteger os interesses da NOKIA....as populações, essas que se F::AM.

É por causa deste tipo de jornalismo, a mando não sei de quem, é que metade do mundo anda a arrancar os olhos á outra metade...mas isso são teorias da conspiração.

http://www.youtube.com/watch?v=3rBDcqWpVG0