7.8.10

NA MORTE DE UM HOMEM DECENTE


Morreu Dias Lourenço. Tinha 95 anos e era militante do PC desde a adolescência. Desses 95, quase vinte foram passados na prisão. Se recordo aqui Dias Lourenço é porque, em tempos de patos-bravos e de saloios arvorados em elites, se tratava de um homem decente. Não é preciso estar politicamente de acordo com pessoas como Dias Lourenço para homenagear a decência da vida de um homem simples. De profissão, era torneiro mecânico. E tinha, ao contrário de tantos palhaços de serviço, uma biografia forjada na dificuldade e que nunca renegou. Até amanhã, Dias Lourenço.

16 comentários:

Anónimo disse...

Tenho pena, mas é um facto que o PC (o partido) se tornou um dos últimos redutos da decência e dos princípios (os deles).

Não vejo esta coluna vertebral em mais lado nenhum. E no peiésse é o completo nojo, já desde o tempo do bochechas....

PC

Anónimo disse...

Caro Autor do blogue:

Um grande bem haja para si. Um obrigado especial por referenciar um grande militante do PCP, pois para a maioria dos portugueses era um anónimo, mas é graças a muitos "anónimos" como Dias Lourenço que sem pedirem absolutamente nada em troca, lutaram por um País melhor, mais justo e mais fraterno.
Para os mais curiosos e que queiram descobrir quem foi Dias Lourenço, procurem e talvez venham a descobrir como se luta por ideais sem se pedir absolutamente nada em troca.

Anónimo disse...

O que nos falta mesmo, hoje, é gente decente. Com certeza.
Mas quase vinte anos de cadeia é uma incomensurável, indizível, falta de decência do doutor Salazar.

joshua disse...

Nada nos separa dos que amam Portugal e se sensibilizam com as gentes. Os Patos amam-se a si mesmos, furtam galinhas, vendem a alma e o cu a quem der mais e, quando na política, são expressamente desprezivos e insensíveis para com a gente comum.

Paz à alma de esse enorme e digno chaparro noduloso chamado Dias Lourenço.

floribundus disse...

se fosse do ps era tratado por engenheiro mecânico.
talvez nos encontremos no dia da Ressureição. espero não ver o sapatilhas e pandilha

jpt disse...

Vénia para o post. E, claro, para o falecido.

AG disse...

A decência não escolhe partidos. É coisa de humanos.Ao fim de meses, decidi voltar a dizer qualquer coisa. Daqui para aí, boa sorte.

Mani Pulite disse...

INTEIRAMENTE DE ACORDO CONSIGO.O QUE FAZ FALTA HOJE SÃO HOMENS DECENTES E CORAJOSOS.REQUIESCAT IN PACE.

Zè Rui disse...

Não gosto do Comunismo, mas tenho imenso respeito e admiração pela decência, honestidade e abnegação de muitos comunistas.

Não tenho idade para saber quem foi Dias Lourenço (apenas sei o que os jornais falam hoje), mas acho que ele iria gostar imenso da dignidade e respeito do seu Post.

Francisco disse...

Nada tenho a ver com o PC, mas reconheço que às vezes certas pessoas da esquerda (poucas, aliás)poderiam servir de exemplo à direita.
Há que ter a dignidade de as respeitar.

Anónimo disse...

"procurem e talvez venham a descobrir como se luta por ideais sem se pedir absolutamente nada em troca."

Mentiroso, 99% da gente que luta por ideais pede sempre em troca a coisa mais importante de todas:
O Poder sobre os outros.
Comunistas são um caso extremo de desejo de Poder sobre os outros.
A propósito sua frase aplica-se a Salazar...

Decente alguém que apoia o Gulag?

Decente o simpático apparathick que assina a ordem de prisão de alguém que só falou contra o poder totalitário?

Honestidade não é Decência.


lucklucky

Alex disse...

Não conhecia Dias Lourenço até ler a notícia da sua morte. Fiquei a conhecê-lo hoje. Muito significativa a sua homenagem neste post, João. Sensibilizou-me a forma como o fez. Admiro pessoas que ao longo de uma vida não descuram dos seus ideais e não necessitam da mediatização dos seus feitos, das suas vivências.

Anónimo disse...

Do Público:

«A viúva de José Saramago, Pilar del Río, considera que a alegada dívida do Prémio Nobel da Literatura português ao Estado espanhol é "uma perseguição claramente política" por parte de entidades espanholas, fruto das posições públicas de José Saramago contra a guerra no Iraque.»

Vejam só por que a marmanja pediu a nacionalidade portuguesa.

Anónimo disse...

Caro autor do blogue:

Se me é permitido, gostaria de responder ao anónimo da 1:26 que assina como lucklucky:

1º - começa por ser contraditório; não sabendo eu em que estudos estatisticos se baseia para pronunciar que 99% da "gente" afinal é oportunista, não deixa de considerar que 1% é sério na sua forma de lutar e acreditar nos seus ideais, portanto, Dias Lourenço, pertencia a esse 1%. Não vejo o porquê do "mentiroso".

2º - Ao considerar os tais 99% da "gente" que luta por ideais pede sempre em troca a coisa mais importante de todas: O poder sobre os outros; Dias Lourenço teve-o, não sei se sabe. Dias Lourenço foi Deputado entre 1975 e 1987 e fez parte da assembleia constituinte, portanto, teve uma pequenina parte do poder legislativo, mas usou-o sempre em prol do povo e nunca reclamou nada para si.

3º - Quando diz que a minha frase - "procurem e talvez venham a descobrir como se luta por ideais sem se pedir absolutamente nada em troca." - se aplica a Salazar; para além do ideal fascismo (para mim é um ideal abjecto), de idealismo, Salazar tinha muito pouco ou nenhum porque nunca consegui idealizar um futuro próspero e promissor para Portugal. Submeteu Portugal e os Portugueses á estagnação, ao subdsenvolvimento, ao analfabetismo, etc., etc., etc.

Dias Lourenço foi um dos muitos "anónimos" que lutou contra Salazar e o seu regime por um país melhor, mais justo e mais fraterno, sem pedir absolutamente nada em troca.

Que lhe sirva como referência caro lucklucky.

Anónimo disse...

Ao Anónimo que me respondeu:

1º Se não quer ser mentiroso terá de ser contraditório ou simplesmente não entende. Um idealista quer PODER. A larga maioria dos idealistas quer PODER de decidir sobre tudo na vida dos outros. Logo quer algo em TROCA.

2º O sr. Dias Lourenço foi para deputado a contragosto porque a sua ideologia e o seu Partido não queria que houvesse deputados.
E não o usou em prol do povo, usou-o em prol das organizações do Estado, ou para-Estado onde estava o PCP. Se há algo que caracteriza o PCP português é o querer tirar ao Povo o poder de escolher e colocar esse poder em organizações do Estado.

3º O Comunismo é um ideal muito mais abjecto que o Autoritarismo de Salazar
O Comunismo é Totalitarismo ,controlar os aspectos mais ínfimos das pessoas. Salazar estava-se nas tintas que o Senhor António tivesse uma produção de couves. O Comunismo queria controlar a produção de couves do Senhor António. Como tudo quer controlar o Comunismo precisa de um muito maior grau de violência e opressão sobre as pessoas. E por isso acaba na maioria das vezes a matar outros comunistas...

Dias Lourenço lutou para criar um País Comunista e um mundo Comunista.
Os seus ideais quiseram em troca Poder sobre tudo o que é dos outros. O Poder sobre "A Vida dos Outros" é muito mais valioso para os Comunistas que $500000 na conta bancária. Infelizmente.

lucklucky

Anónimo disse...

Caro autor do blogue:

Permita-me, novamente, responder ao lucklucky:

Agora é que fiquei confuso, como é?! "Se não quer ser mentiroso terá de ser contraditório..."

Vejamos então:

Contraditório: que envolve contradição.

Contradição: acção de contradizer; acção de se pôr em oposição ao que se disse ou fez anteriormente; palavras ou actos que se contradizem.

Está mais do que visto que o caríssimo lucklucky deve pertencer ou ser apoiante fervoroso destes novos politicos (conotados com a direita), que prometem mundos e fundos ao povo para poderem vir a ter o tal "PODER" para, aí sim, decidirem em prol do poder económico escravizando o povo de uma maneira muito subtil, através da economia.

Quando diz que a "larga maioria dos idealistas quer PODER", então não sabe o que é um idealista, mas para que saiba, aqui vai:

idealista: adepto do idealismo; que persegue um ideal.

idealismo: Doutrina filosófica que nega a realidade individual do "eu".

Ora se nega o individualismo é sinal que procura um ideal comum, algo que seja bom para um povo, uma sociedade ou até a humanidade. Não procura o tal "poder" para decidir sobre os outros. Deve pois, estar confundido com esta usurpação violenta (quer seja física ou não) que consolidou, em certa medida, o Capitalismo e que pode ser vista até aos nossos dias, nos quais já vigoram Leis e Costumes que tentam disciplinar esta mecânica de exploração e consequentemente a acumulação de riquezas por um lado e de miserabilidade por o outro. É o que se chama de “Social-democracia”.

Não quero que o nosso estimado lucklucky se torne comunista, ou seu defensor acérrimo, porque para acreditar e acima de tudo lutar pelo ideal comunista tem de ser uma pessoa que nunca mas nunca ambicione o "PODER", como parece ser o seu caso. Pois o comunista luta pela causa comum, que a todos é comum e um só homem nunca o há-de conseguir sózinho, tem de ser um ideal praticado, isso sim, pela maioria.

Aqui me despeço,

e um obrigado muito especial ao autor do blogue por permitir os meus comentários aos comentários do caro lucklucky.