22.3.07

PRIMAVERA AUTÓNOMA DA OTA - 2

Mário Lino, o paladino da OTA, começou a recuar. Como? Atirou para a oposição a "culpa" por Bruxelas poder vir a torcer o nariz a tão sublime projecto. Falou em "lesão" dos interesses nacionais - como se ele encarnasse tamanha desígnio - uma vez que, parte dos fundos para a obsessão, vêm da UE. Não percebo como é que uma pessoa inteligente como o Eduardo Pitta acompanha (não é possível outra conclusão) a preclara figura do ministro da Obras Públicas nesta choruda, inútil, mal explicada e mal situada aventura. Eu sei que não é bem este, é mais o senhor engenheiro. Caramba, Eduardo, mas o senhor engenheiro defende-se tão bem.

1 comentário:

FT disse...

Sobretudo é o repetir da imagem de um Portugal dos pequeninos, incapaz de traçar o seu destino e sempre alerta aos aplausos da Europa dos grandes, que dá dinheirinho e mimos quando nos portamos bem e nos castiga quando somos maus meninos. A Ota é má em si mesma, independentemente do que se diga ou se pense em Bruxelas.