30.3.07

A "INDEPENDENTE"

Uma das coisas curiosas a propósito do estabelecimento comercial denominado "Universidade Independente" é a idade dos alunos. Pelo menos daqueles que dão a cara nas televisões e pontapés nas portas. Tudo pessoas que podiam ser pais do average aluno universitário, adolescente e alheado da realidade. Deste género, nem rasto. Mariano Gago prepara-se para trancar o estabelecimento. Aliás, deve ser o único no mundo que, ao fim de uns míseros anos, destrói coisas sem importância como o registo da "vida académica" dos seus alunos. Que papéis pode aquele estabelecimento, afinal, certificar? Ao certo, que alunos e que professores são aqueles? Que "cursos" frequentaram? Tiraram um ou limitaram-se a levar um papel para casa a dizer que é "dr.", sim senhor? O papel vale alguma coisa ou foi "passado" pela empregada de limpeza ou escrito num salto nocturno furtivo através de uma janela? Incomoda-me pensar que podem andar por aí "doutores" arranjados assim. Talvez o "boca-a-boca" tivesse levado as tais pessoas "de idade" a procurar, no referido estabelecimento, uma "mais-valia" para os seus currículos. É normal e é humano. O que não é normal nem é humano, mas sim puro caso de polícia, é a venda de gato por lebre ou o gato virar lebre sem saber bem como. Nenhuma daquelas reitorais figuras que foram aparecendo nos últimos dias inspira a menor confiança nem sequer a um cego. Algumas delas já estão, como lhes compete, detidas. É por estas e por outras que, ao ouvir falar em "qualificação" pela boca de determinadas pessoas, me apetece puxar da pistola que não possuo.

4 comentários:

Anónimo disse...

Como se o canudo de qualquer outra instituição tida por respeitável, na hora da contratação do seu detentor, servisse para alguma coisa!

Anónimo disse...

Para quem passou pelo IGAI é significativo esse "Puxar pela Pistola"...

Anónimo disse...

No tempo, «Vincennes», também denominada Paris VIII, de quando em vez parecia ter destas estranhas vicissitudes. Mas tinha bons Professores de Filosofia.

Como este :
- «« Le précurseur sombre », c'est ce qui mettait en rapport des potentiels différents. Et une fois qu'il y avait le trajet du sombre précurseur, les deux potentiels étaient comme en état de réaction. Et, entre les deux, fulgurait l'événement visible : l'éclair. Il y avait le précurseur sombre et puis l'éclair. C'est comme ça que le monde naît. Il y a toujours un précurseur sombre que personne ne voit et puis l'éclair qui illumine. C'est ça le monde. Ça devrait être ça la pensée. Ça doit être ça la philosophie. C'est ça aussi la sagesse du Zen. Le sage, c'est le précurseur sombre et puis le coup de bâton - puisque le maître Zen passe son temps à distribuer des coups de bâton - c'est l'éclair qui fait voir les choses. » - Gilles Deleuze, « Z comme Zigzag ».

luikki disse...

presumo que o conteúdo da pistola seria para usar num duplamente falso engenheiro e falso licenciado...

esta história tem pormenores muito interessantes:
- só começam a prender gente quando se descobre - face a documentos - que o primeiro-ministro da cholda "adquiriu" um papel a dizer que é licenciado...
- os mesmo acontece com as "diligências" dos inspectores de ensino superior...

e, o assunto não vai, felizmente, ficar por aqui. quando o sr (dos) santos cortar na torneira dos financiamentos em pedras preciosas, as comadres vão começar a dar com a lingua nos dentes....