27.12.07

VARA


A escaramuça levantada em torno da eventual subida de Armando Vara aos céus do BCP - abençoado por várias extraordinárias figuras de accionistas, desde o improvável Berardo ao ex-jornalista Ulrich cuja intervenção foi considerada "decisiva" pelos "especialistas" - vale a pena? Quando ele foi para a administração da Caixa, levantou-se idêntica escaramuça. Aí, porventura com mais razão do que agora. Agora, se bem que curta, o homem já possui alguma biografia na matéria. E não deve ser constantemente perseguido por ter tido a ideia de criar uma fundação paralela à então Prevenção Rodoviária Portuguesa, por ter concluído um curso superior na defunta Independente, numa premonitória antecipação das "novas oportunidades", ou por ter sido sócio de Sócrates e de outros numa empresa de gasolinas na Amadora onde foi candidato a presidente de câmara. Como diria o velho Shakespeare, ele é o que ele é. A questão, parece-me, é outra. Vara não deve nada do que é presentemente na banca à banca. Deve-o apenas ao currículo partidário e governativo. Ele e outros, de outros ou do mesmo partido. Assumir isto, os tais extraordinários accionistas assumirem isto, representa uma mudança de paradigma relativamente ao maior banco privado português - e, por tabela, ao sistema bancário nacional -, já que a CGD faz, por natureza, parte do bolo repartível entre o "centrão" mais um: o PP depois da reciclagem no governo. As últimas desvergonhas perpetradas pelas derradeiras administrações do BCP, nas quais só agora Constâncio reparou, autorizaram o avanço das patrulhas partidárias. Uma carreira puramente partidária, boa, má ou assim-assim, passou a ser mais cotada do que uma carreira exclusivamente ao serviço da gestão bancária. A culpa é de Armando Vara?

10 comentários:

excrente disse...

Creio que ao "pessoal" já não importa que o Vara vá para ali ou acolá, que o Constâncio repare ou não veja, que o Berardo e os seus milhões seja improvável ou previsível, que o ex-jornalista fale ou se cale ...

Julgo que o "grosso" do "pessoal" está mais interessado em saber porque é que tudo fecha ... menos os cemitérios ! Porque será ?

VANGUARDISTA disse...

Que interesses estarão por detrás destas “marionetas”?
Que perversão de valores comanda estes "voos" da CGD para o BCP, da “baixa politica” para uma pseudo “alta finança”?
O futuro da CGD e do BCP vão mostrar, mais tarde ou mais cedo, o que agora se esta a maquinar.
Quem vai ganhar com tudo isto?

Quem vai perder? Esta sei . Nós!

Anónimo disse...

O regime vai-se degradando firme e exponencialmente. Não é um desgosto que tenhamos de ter. Acho mesmo que é um forte sinal de Esperança.

Anónimo disse...

Continuo a achar a comedia diaria um devertimento que ja nao dispenso ...So nao acho piada ao Cavaco que me parece sempre muito serio...

z1971 disse...

Mais estranho que o Vara - apenas mais um contabilista com sorte - é o Berardo. De que fundilhos do planeta surgiu esta criatura e porquê logo agora?

birnbaum disse...

Não é um regime - é o pinhal da Azambuja queirosiano...

kaiser chief disse...

Queimar as pestanas no Técnico ou numa Fac de Economia, trilhar caminhos árduos, para quê?...se com uma carreira partidária e aproveitando a promoção de “novas oportunidades” concedida pela Independente, o futuro é promissor. Consuma-se pois o casório do ano, o da banca com a política!

“ E o burro sou eu, o ruim sou eu?”

Anónimo disse...

Com tanto parasitismo numa pequena produção o que é que se poderia esperar?
Mestres na distribuição , principalmente para eles , os próprios quanto mais alto subirem de mais alto cairão...
Só espero que um dia alguém com eles pretos vá "recuperar" para o estado o que eles andaram a roubar...

Anónimo disse...

...e alguém arranja uma alternativa a esta bagunça?

Kaiserslautern disse...

Mais uma vez se confirma que o "grande capital" não tem moral nem ética; vale tudo neste jogo. O pior será admitir que a "politica de estado" se submeteu áquele e que foi contagiada pelos mesmos valores: os valores da selva.
E a procissão ainda não vai no adro, pois que com um povo "akulturado" pelo por este sistema de ensino público, formatado pela MTV e animado pela TV/Futebol, não se vislumbra pressão minimamente capaz de originar mudanças.
O fruto só cairá de podre ou se os "compadres" brigarem.