4.10.06

AMANTE, DISSE ELE


Ela ter tido um amante é uma enorme vulgaridade. O que é que o João tem contra os amantes a as amantes dos outros e das outras? Um mundo sem amantes, ou seja, só com maridos, mulheres e casais same sexers fidelíssimos, era uma enorme chatice. É por isso que ele não existe.

6 comentários:

Anónimo disse...

Marido e mulher estavam a jantar num restaurante de luxo, a comemorar
vinte anos de casados, quando entrou uma rapariga absolutamente
fantástica, dirigiu-se à mesa deles, deu um beijo apaixonado no marido e disse:
- Vemo-nos mais tarde - e foi-se embora.
A mulher fitou o marido, furiosa, e perguntou:
- Quem diabo é aquela lambisgoia?
- Oh! É a minha amante - respondeu o marido com a maior das calmas.
- Ai é? Pois então fica sabendo que esta foi a última gota de água-disse a mulher. Para mim chega! Quero o divórcio.
- Compreendo - respondeu o marido - mas, lembra-te, se nos
divorciarmos acabam as compras em Paris, os Invernos na República
Dominicana, os Verões em Itália, os Porsches na garagem e o iate na
marina. No entanto, a decisão é tua.
Nesse momento entrou um amigo comum no restaurante com uma loura
estonteante apranchada nele.
- Quem é aquela mulher que entrou com o Bernardo? - perguntou a mulher.
- É a amante dele - respondeu o marido.
- A nossa é mais bonita, não é Eduardo?!

io disse...

A Anedota tem graça mas é tremendamente machista..

Maia disse...

Nada machista, apenas realista!

Anónimo disse...

Continuo a entender que a monogania é o melhor regime para o entendimento amoroso. O resto, desculpem, é porcaria. Quem não está bem que se mude.O amor próprio é muito importante para ser, assim, ridicularizado. Ninguém que ame verdadeiramente alguém escreve estas anedotias. Mundo asqueroso é o que é o nosso mundo. Não, não sou Amish. Gostava apenas de ver lutar por um mundo com menos dor. É que aquelas brincadeiras, quando são a sério, são muito dolorosas. Portanto, grandes patetices de gente crescida. Será verdade o que se diz da Ségolène? Em campanha pré eleitoral, vale tudo seus inocentes. Amem cinquenta, se forem capazes, mas, um de cada vez, pode ser. Senão, serão concerteza, candidatos para fazer crescer a estatistica psiquiatrica. Podemos ser tolerantes na blogosfera de gente crescida e culta, mas não devemos brincar com coisas mais sérias, pode ser? Falei de amor, entenda-se. Até lá Eduardo.

Anónimo disse...

As "coisas" mais sérias são aquelas com as quais podemos e DEVEMOS brincar....para poder-se suportá-las!!! Além disso, a realidade é a descrita o que não significa que não se relate com um sorriso triste.....

Anónimo disse...

O irmão dela - fica prá fofoca - é um dos assassinos (serviços secretos franceses) de um português do Grenn Peace, lá prós lados da Nova Zelândia ...