30.10.11

A IGREJA E O "ESCRITOR"


Leio nos jornais que José Rodrigues dos Santos perpetrou mais uma coisa em forma de livro. Parece que desta vez o homem quer contar a "verdadeira história" da vida de Jesus. Ignoro o título do objecto. Todavia, e perante a "grandeza" do tema, a Igreja portuguesa - cujas manifestações mediáticas raramente se distinguem pela subtileza - decidiu interpelar o ilustre "escritor" e criticou-o em público. Ao fazer isto, a Igreja caiu na armadilha do "escritor" e ajudou a promover o objecto, porventura tão "profundo" e "interessante" como os calhamaços que o precederam. Ratzinger, o actual Papa, já explicou, até a crianças de cinco anos, que a Igreja não faz proselitismo. Muito menos literato, acrescento. Dos Santos é bom para ler nos transportes públicos ou numa viagem transatlântica se o leitor não for exigente. Se for, deve pura e simplesmente evitá-lo e limitar-se a piscar-lhe o olho quando o vir a apresentar telejornais. Nisso - mas só em Cabo Ruivo e não armado em Sandokan da reportagem - ele é, de facto, menos mau.

13 comentários:

Alves Pimenta disse...

Só o alegado poeta Tolosemtino Mendonça se lembraria de promover dessa forma o alegado escritor Dos Santos.
Há gente que nunca aprende.

Anónimo disse...

É ridículo esse José Rodriguesw dos Santos. O piscar do olho também.

Anónimo disse...

O Padre Tolentino Mendonça,que se o sr.Pimenta não sabe,fica a saber que por escolha de Bento XVI orientou os seus encontros com personalidades da cultura quando da visita pastoral ao nosso país,encontra-se desde há várias semanas nos Estados Unidos,pelo que duvido que tenha responsabilidade ne certamente escusada reacção da Igreja às cretinices do Santos.

tetisq disse...

Li apenas um livro do sr que não me incentivou a ler os restantes. No entanto, admito que sabe como ninguém usar o markting da polémica para fazer dinheiro com o "objecto" livro.
Quanto ao resto, não sei se é mais ridiculo o piscar de olho que ele faz quando termina o jornal, se o facto de eu estranhamente responder (automaticamente) com um piscar de olho do lado de fora da caixa...

sampy disse...

Vá lá, deixem o Rodrigues dos Santos em paz. É certo que ele não domina a matéria que andou a coleccionar para o enredo do seu último livro; mas o mesmo se pode dizer de 99% dos que se dizem cristãos. Ao menos, andou a ler umas coisas. Não serão as obras mais fiáveis do mundo; mas quem pensa descartá-las pela mera irrisão faz figura de estúpido.
E de pouco serve invocar aqui Ratzinger. Desde que este decidiu entrar no jogo, dando palpites sobre a data e menú da Última Ceia, as suas denúncias sobre o pagode exegético soam algo inconsequentes.

Anónimo disse...

Assim como afirmo sem orgulho ou vergonha só ter lido 3 livros de Saramago, também afirmo com a máxima tranqulidade nunca ter lido nada do sr. dos santos; e assim ficarei. Falei aqui em Saramago porque também ele explorou o filão das "obras sacrílegas" ou "heréticas (isso queria ele...)"; embora este último - nascido na Azinhaga, pobre de origens e radical em convicções - tenha 'desculpa': "Caim" foi o seu último suspiro e perpassava nas suas entrevistas um certo terror da morte, misturado com ressentimento (pelos que ficavam mais alguns anos). Quanto ao sr. dos santos, é uma nódoa como jornalista, uma lástima-burlenta como correspondente de guerra (!) e um peralvilho gorjeante como apresentador televisivo - cheio de inflexões paternalistas e excessivamente familiares na sua vozinha-RTP. Como escritor não sei (mas posso desconfiar...). Devia era escolher outros alvos: como já alguém no CM colocou, "escreva sobre o Corão" e a sua pobreza literária e crueldade, sobre o Profeta, sobre o toucinho, etc, etc; temas arriscados e polémicos não faltam - todos eles levando à fama, à Fatwa, e a grandes tiragens. Isso é que era de homem, Zé!

Ass.: Besta Imunda

Alves Pimenta disse...

Vem o Anónimo das 10:35 PM tentar lembrar-me que o alegado poeta Tolosemtino "orientou os seus (de Bento XVI) encontros com personalidades da cultura".
Não me recordava eu de outra coisa... E do que me ri na ocasião ante a cáfila dita "disquerda" que o reverendo arregimentou.
A propósito, andará o alegado vate pelos EUA a promover a sua "poesia" ou a "obra" de Dos Santos? E quem paga? A caixa de esmolas?

Anónimo disse...

este Post, sim , até nos faz sentir saudades de algum tempo atrás...é o J.G na sua escrita tão própria....

Anónimo disse...

É o gonçalves de volta, este alves pimenta. Ressabiado e injusto, alimentando um ódio canino a tudo o que o ultrapassa (e é quase tudo...).

Alves Pimenta disse...

O Anónimo das 4:56 PM, que já foi das 10:35 PM, gosta de deitar-se a adivinhar, fazendo jus à noite das bruxas...
E, depois, o ressabiado e injusto, portador de ódio canino, é cá o Alves Pimenta - que, por acaso, nem conhece pessoalmente o autor do blogue.
Haja paciência!

Q disse...

Não podemos acusar o Sr Santos de ser um mau escritor enquanto a afirmação não transitar em julgado. Até lá, in dubio pro reo. Ou a presunção de inocência só se aplica a alguns?

Anónimo disse...

Pois o sr. Pimenta não acerta uma. O anónimo das 10.35,que sou eu,não é o das 4.56,que òbviamente não sei quem é,mas cujo estilo é bem diferente do meu. Embora discorde por vezes do dr.Gonçalves,nunca o atacaria nesses termos. Até por acaso li há pouco tempo as "Literatices" do autor,onde encontrei muito mais concordâncias do que discordâncias. E não respondi ao sr.Pimenta,embora pudesse acrescentar esclarecimentos,porque o nivel em que escreve, e com que provàvelmente pensa(?),não me interessam para diálogo.Nestes casos,abstenho-me.Boa Noite.

Alves Pimenta disse...

Pois, pois, ó melga!