7.7.06

RAZÕES

O dr. Augusto Mateus foi ministro da Economia do engº Guterres. Falando do "plano tecnológico", do morto-vivo dr. Pinho e do generoso dr. Zorrinho, Mateus afirmou que ele não passa de um exercício de "powerpoint", sem substância ou utilidade. Por outro lado, o PR foi ao Algarve solicitar aos maravilhosos autarcas da zona que impeçam os construtores civis de arremessar mais betão para a paisagem. Ambos - o dr. Mateus e o prof. Cavaco Silva - têm razão. No primeiro caso, o "plano tecnológico" devia começar pela remoção dos dois maiores obstáculos à sua concretização: a propaganda e o dr. Pinho. O eng.º Mariano Gago ou o dr. Zorrinho são puramente ornamentais Podem ficar. Quanto à ambição do Chefe do Estado, a coisa é mais complicada. É o mesmo que tentar impedir uma matilha de "labradores retrievers" de comer. E eu sei do que falo.

6 comentários:

António P. disse...

Boa tarde,
Pergunto-me sempre porque é que ex-ministros, nomeadamente quando o governo em funções é da mesma cor política, são sempre críticos !!!
E também porque que é que quando eram ministros levavam na cabeça de tantos comentadores ( e não só) e quando passam a ex-ministros são promovidos a génios !!!
Cumprimentos

Anónimo disse...

Quanto ao excesso de betão,é mais uma triste realidade a que estamos condenados.A riquíssima paisagem com que fomos favorecidos,não descansaram enquanto não a desbarataram.O Minho(e,aqui,também sei do que falo) é uma triste sombra do que era não há muito tempo,e suponho que o mesmo se passa com as outras regiões.A reponsabilidade deste estado de coisas,atribuo-a,por inteiro,ao poder local.

Anónimo disse...

Quem é que nos manda eleger patos bravos para o poder local?

Anónimo disse...

Realmente, são "várias" razões ... mais os imprevistos que “as” fazem aumentar

luikki disse...

"eu sei do que falo."
sim?
do ponto de vista dos labradores ou do dos patos-bravos?

Anónimo disse...

O betão é o cofre-forte dos partidos. Do senhor silva. Do senhor sócrates.