29.7.06

SENTIDO DO RIDÍCULO


Se houver "força internacional", designadamente patrocinada pela UE, o governo gostava que as nossas gloriosas forças armadas participassem. Sobre isto, Cavaco Silva - cuja palavra é decisiva - ainda não disse nada. Todavia há militares que já disseram qualquer coisa ao abrigo do anonimato. O "grau de prontidão" do nosso material "bélico" anda perto da idade da pedra lascada. Não garante, por isso, um módico de protecção aos putativos heróis nacionais no Médio Oriente. Em suma, é a mesma pinderiquice de sempre que, no caso vertente, só serve para atrapalhar a eventual "força de interposição". Mesmo assim, parece que há quem pretenda colocar Portugal "como um "produtor de segurança e estabilidade" na cena internacional" (sic). Que mal pergunte, mas não haverá por aí ninguém com o mínimo sentido do ridículo?

2 comentários:

Anónimo disse...

Estilo recorrente:

-"módico";
-"putativo";
-"pinderiquice";
-"babar";
-"provincianismo";
-"carpideira";
-"leviandade";
-"pastorear";
-"ornamentar";
-"caldo";
-"indígena";
-"estupidez";
-"trivialidade";
-"olimpicamente";
-"frívolo";

and so on.....

Agora, pergunte ao JPG e/ou a Maria Alzira Seixo, o que o distingue das outras...

luikki disse...

sempre que podem enviar uma "força" para o estrangeiro,tem um orgasmo...
sempre que podem estudar a hipótese de enviar uma "força", tem sonhos húmidos...