23.11.11

SEI LÁ

A Joaninha Amaral Dias tem tanto de bonita como de politicamente frívola. Ornamenta muito bem tanto uma mesa quanto um manifesto ou um "novo paradigma".

15 comentários:

Anónimo disse...

Excelente

Licurgo disse...

Bonita...?
Bem... de gustibus non disputatur...

Isabel Metello disse...

Que comentário mais chauvinista! Bem, sempre diz algo mais profundo do que o Galamba e outros que só dizem banalidades, mas que se consideram o supra-sumo da inteligência- sempre que o ouço, ao longe, fico abismada, principalmente quando lhe sai os "quaisqueres"...

joshua disse...

Eu costumo ficar pasmado a olhar para ela e j á n ã o o i ç o n a d a, ocupado com a prodigiosa ondulação serpenteante das formas.

Anónimo disse...

Soares é personagem importante, fundamental, e que todos (todas) querem biografar - ou, mais recentemente, outra coisa acabada em "ar". Maria João Avillez entrevistou Soares; sendo sua contemporânea fê-lo conhecendo o seu percurso. Depois Clara Ferreira Alves (a dona clara) seguiu sabujamente Soares, tentando engrandecer a tarefa com as reminiscências de esquerda e as 'estorietas' mais picarescas que tornavam Mário Alberto Nobre mais redondo e simpático: por osmose, certemante lhe correria para o sangue alguma fama, a ela-clara. Agora Joaninha (desde a candidatura às presidenciais) pendura-se no velho - hipocritamente e nitidamente de forma sistemática: sempre que 'algo' se dá (uma greve, um pic-nic, uma imolação pelo fogo, um flato revolucionário) e Soares de desenrosca a custo do sofá, lá está Joaninha a facturar, de expressão firme, agressiva, decidida. E no entanto - com "novo rumo" ou sem novo rumo, com este ou aquele paradígma (!...) - Soares enquanto governante levou a cabo algumas das reformas mais repugnantes para a esquerda marxista-sindicalista de que há memória: pediu duas vezes a vinda do FMI, desvalorizou a Moeda e cortou o poder-de-compra dos portugueses vezes sem conta, meteu o socialismo na gaveta, solicitou adesão à CEE, criou o SIS; em 75 coordenou-se com a CIA de Carlucci e de Ford e fez frente à "Unicidade Sindical" que o PCP e a Inter queriam impingir ao País; etc, etc, etc, muitos etcs - que desmentem estrondosamente estas baboseiras dos "Manifestos" e dos "Novos Rumos". Parece ser bem mais fácil ser rico e reformado, como Soares, para defender o socialismo. E Joaninha - depois deste folclore feito apenas para beneficiar os subescritores - continuará a gozar das suas cunhas familiares e políticas, das casas do pai, do dinheiro do pai, dos proventos da Clínica do pai, das piscinas do pai, um dia da herança do pai - que jamais enjeitará a favor dos pobres; enfim, percursos de luta.

Ass.: Besta Imunda

JSP disse...

"Do corpo, como mediador..."

Pi-Erre disse...

Sai ao pai.

observador disse...

Quelle elegance, mon Dieux!

C' est tout.

Anónimo disse...

este comentário não lhe fica bem, senhor doutor.

Anónimo disse...

Antes a Joana Sem Miolos do que esta cambada de comentadores feios, porcos e ignorantes!

Isabel Metello disse...

Mas, o Anónimo acabou de tocar num intocável (não na lógica hindu, mas au contraire :))) não se o faz, ao "Pai da demoniocracia", perdão, da "democracia", da "descolonização exemplar"...mas, sim, de facto, ainda que considere o comentário muito chauvinista do género :) "ai, uma Barbie não pode ter intelecto", pois dá-nos cabo do cerebelo patriarcal e lá as nossas mulherzinhas low profilezinhas, muito mansinhas ficam piursas por alguém acumular vários atributos, como tal, na lógica medievalizante ainda cá pujante :) "bruxa à fogueira", que nos inferiorizas desta maneira, mas concordo que existe, em Portugal, em várias áreas, meninos e meninas do Papá e da Mamã (uns mais feios do que os outros tanto física como interiormente, já para não falar em termos intelectuais...:) que pertencem às tais oligarquias dinásticas e seguem a lógica do filho/primo/amigo/amigado... de peixe sabe voar, mesmo que nem saiba contar até 10 e muito menos multiplicar...ora peixes voadores há poucos...

Anónimo disse...

E você, além de parvo, tem o quê?

Jav disse...

machismo balofo dos anos 40

Isabel disse...

Boys will be boys! Até o meu neto de seis anos já larga a sua "boca"sobre "as miúdas", para escândalo e consequente repreensão da avó feminista(eu). Contudo, esta menina é tão pedante e irritante que merece toda e qualquer boca, desde que não ordinária. Esta até tem piada!

Niagara disse...

Eu gosto muito da frivolidade da Joana. No dia em que ela perceber a camisa de onze varas em que está metida, envelhece. E isso não é nada bom, eu preferiria uma AR cheia de Joanas do que de Franciscos ou Paulos ou... whatever.