9.7.11

INTIMAÇÕES DE MORTALIDADE

São todas no Expresso. A ordem das citações é arbitrária e seguem a chamada "antiga ortografia", a única que conheço e pratico.


«Foi uma lufada de ar fresco ouvir o ministro das finanças polaco, Jacek Rostowski, dizer no Parlamento Europeu que a crise das dívidas soberanas é a mais perigosa crise da história da União Europeia e que se não a resolvermos teremos não só uma crise da zona euro mas de toda a Europa e talvez até uma crise da economia mundial.»
José Cutileiro

«O que se pode fazer? É simples: que a política tome, outra vez, conta da economia. É assim que deve ser e não o inverso.»
Miguel Sousa Tavares

«Não estou com os olhos postos no passado.»
António José Seguro

«Sou muito pessimista. Com praticamente tudo. Mas não paraliso. Parto para a acção com pessimismo, embora sem baixar os braços. Luto sempre.»
Maria José Morgado

«Sou temperamental. E é bom. Com a idade vem a consciência de que temos de passar a habituar-nos a estar mais sozinhos. A vida vai estragando as relações todas. Todas. E, com o avanço da idade, temos de nos habituar à condição de ficarmos mais sós. Admito que tenho mau feitio e que sou desconfiado, muito desconfiado. Na amizade tive muitas desilusões.»
Pedro Santana Lopes

«Reivindicar a "Kultur", contra a "Zivilisation", como o faz Thomas Mann nas suas "Considerações de Um Impolítico", significa defender a unidade, a forma, o estilo, o gosto, aquilo a que na época se chamava ainda "organização espiritual", contra o domínio da civilização material. Seja como for, suspeitar da cultura e manter algumas reservas em relação às promessas progressistas da civilização deveria ser uma questão de método e de exigência crítica.»
António Guerreiro

6 comentários:

Anónimo disse...

Só há uma ortografia em Portugal e que é aquela que usamos. O resto é corrupção, estupidez, vaidades, ignorâncias e negociatas.
A questão do «acordo» é política e não linguística, como confessou o malaca casteleiro.

Pensamento em revoluçao... disse...

As questões filosóficas voltam à ordem do dia?
Mas concordo plenamente com Sousa Tavares!!!
Pois o futuro...

joshua disse...

Santana está certíssimo quanto à solidão e quanto às amizades.

Anónimo disse...

Oh joshua, as amizades nao são estragadas com a vida. A vida deve ensinar a manter e solidificar as amizades, com tolerencia e conhecimento, senão não é amizade...

Isabel disse...

Julgo que, como Pessoa genialmente demonstrou, vamos sendo, ao longo da vida, "outros", estranhando o que fomos e vendo-nos com distanciamento. Assim sendo, não será de estranhar que algumas amizades deixem de nos fazer sentido, sendo que, por vezes, perdemos a capacidade ou o desejo de investir em novos relacionamentos, sejam eles de que natureza forem. Depois, tristemente, há as amizades que sobrevivem ao tempo, mas que a morte vai levando. Acontece até em relação aos animais de estimação. Alguns, como nesta casa se deve saber, são insubstituíveis.

www.angeloochoa.net disse...

Mil apoiados à questão da ortografia:
escrevo e escreverei sempre portuguesmente, pois adoptei da mãe e da escola primeira esse leite puríssimo!