26.2.07

FASCISMO


A EMEL, uma aberração empresarial da CML, passou a ter poderes de polícia, designadamente multar e rebocar carros. No momento em que a Câmara de Lisboa soçobra na inércia e na lama, a prioridade desta gente é chatear os condutores de Lisboa com reboques, autuações e radares. Qualquer dia temos de empurrar os carros como vulgares carroças para não incomodar o radar. Isto é fascismo. Pena que aqueles que andam sempre a puxar da constituição e da lei por dá cá aquela palha, não questionem esta extravagância camarária. O raio que os parta a todos.

10 comentários:

Anónimo disse...

Às vezes alguém tem que pôr ordem nas coisas. Na verdade, grande parte dos condutores de Lisboa são uns chatos, para não dizer uns "fascistas". Chateiam tudo e todos. Perturbam gravemente a mobilidade na cidade. Chateiam os outros condutores, os peões, as cargas e descargas, as pessoas com deficiências, etc. Ainda bem que o município acordou, embora um pouco tarde, para este problema da falta de civismo rodoviário, própria dos países sem lei nem roque. Esteve bem, nesta matéria, a vereação que ainda resiste.

Cartas de Londres disse...

Concordo com os poderes concedidos à EMEL - e espero bem que comecem já a "aprisionar" todos os carros mal estacionados em cima dos passeios.
A CML copiou apenas o que há muito é prática camarária em Londres e Paris, par example...

Habituem-se.
Ande a pé, ou de transportes públicos. Se fôr urgente, vá de táxi. O carro não deveria ser um "poupa sapatos", por tudo e por nada!

Bekx disse...

Eu sei que é triste ter que ser a Emel a fazer o trabalho da PSP mas se circulasse de carro de vez em quando percebia o âmbito a medida. A não ser que seja daqueles que se estão nas tintas para os outros e largam o carro no meio a estrada ou dos passeios para ir ao banco ou cortar o cabelo...

ariel disse...

O anónimo até não deixa de ter razão, simplesmente a actuação zelosa da EMEL contrasta com o apodrecimento e a paralização da vereacção da câmara. Deve ser um contraponto para fazer prova de existência, tal como a cena que acabei de assistir agora na TV do Carmona Rodrigues de agulheta em punho numa "acção de limpeza e transparência" para a cidade de Lisboa. Tenham dó! O homem já não tem nenhum verdadeiro amigo que o ajude a salvar-se dele próprio? (parafraseando o outro...)

MissPearls disse...

Caro João
Ainda há dias, um cidadão português, no uso da sua liberdade individual e responsabilidade social, de forma livre e democrática bloqueou a saída do meu carro.
E eu quase uma hora democraticamente à espera que o cidadão tratasse da vidinha (sem pressões nem algemas) para eu pudesse seguir a minha.
Quando finalmente regressou, de forma livre e no uso dos seus direitos, democraticamente, nunca apareceu a odiosa e fascista autoridade.
Respirei de alívio. Viva a democracia e a liberdade.

n/d disse...

Eu ainda pensava que fosse apenas um truque rectórico do Miguel Sousa Tavares, mas afinal os portugueses gostam mesmo que os ponham na linha, e se for preciso humilhá-lhos ele ainda agradecem, porque é preciso ser "moderno" não é? estes novos poderes da EMEL são um escarro nos princípios constitucionais.
(já agora, os senhores também acham que faz sentido passar uma multa de 30 euros por não pagar parquímetro e rebocar o carros, com o custo de 90 euros?! Se o carro não prejudica a circulação do trânsito por que rebocá-lo? e como justificar que para uma multa de 30 euros, uma pessoa pague 120 por causa do reboque nestas circunstâncias).
PS - não foi multado nem rebocado mas já assisti a isto...

Anónimo disse...

Caro(a) ariel,

O que está bem está bem, o que está mal está mal. Não vale a pena estar sempre a misturar alhos com bugalhos numa lógica “terrorista”. Mais do que os homens ou mulheres, do que as ideologias ou cores políticas, o que realmente importa são as acções. Caso contrário caímos nas mesmas vicissitudes daqueles que criticamos. E, assim sendo, não sobra qualquer réstia de autoridade moral para defendermos princípios e valores. Na vida não basta falarmos, é também necessário praticarmos.
Apesar de tudo, deixem o homem trabalhar!
Daqui a pouco só os papalvos, ignaros e outras aventesmas é que aceitam exercer cargos políticos.

fb disse...

o que a câmara deveria fazer é dividir a cidade em várias zonas de actuação e privatizar cada uma dessas zonas. os carros mau estacionados em cada zona seriam rebocados por empresas privadas que os levariam para os seus respectivos parkings (fora da cidade de preferência). os condutores teriam de aí se deslocar e pagar a correspondente multa. que fácil que é...

Anónimo disse...

Deixem-se TODOS de tretas, pois estou fartinho(a) de ver carros em cima dos passeios, carros a impedir que se passe numa rua de 2 sentidos, carros quase em cima dos jardins da cidade....só falta ver carros por cima das nossas cabeças ....talvez fosse melhor que voassem!!

Também tenho carro (dois, por acaso) mas sei como e quando usá-los e, especialmente, ONDE ESTACIONÁ-LOS!!!

Haja respeito pelos outros...haja CIVISMO que é o que os portugueses não têm (nem sei quando possam vir a tê-lo...)

serrata disse...

Realmente este post parece-me um bocadinho despropositado. E alguns comentários então ....

Oh n/d, então "estes novos poderes da EMEL são um escarro nos princípios constitucionais."??

Então as infracções (ao que parece gritantes) são o quê??

e não sabe "Se o carro não prejudica a circulação do trânsito por que rebocá-lo?"

Ora, essa é fácil. É para dar o lugar indevidamente ocupado (roubado) a quem o queira ocupar devidamente; pagando como é dever.

Ou estarei eu a ver mal a coisa?