17.3.11

O BECO


«Quem conheça José Sócrates pressentia que o seu semblante durante o discurso de Cavaco Silva era mais de ausência, do que de preocupação. Ou melhor, percebia-se que havia algo que o preocupava mais do que as palavras que estava a ouvir. Mas foi só na 6.ª-feira que se percebeu o que era: nada menos do que engendrar um modo de tapar dois buracos que os técnicos da Comissão Europeia e do BCE tinham descoberto: um no Orçamento deste ano, de cerca de 0,75% do PIB, outro nas contas do orçamentais de 2012, de 2,75%. E de o fazer rapidamente, antes do Conselho Europeu, que iria reunir-se dois dias depois. É que, se não fosse resolvido antes deste Conselho começar, deixaria o primeiro-ministro português ainda mais fragilizado do que tem estado, sem qualquer margem reivindicativa perante os seus pares. A verdade é esta, o resto é conversa. Nasceu assim o PEC IV, a anunciar mais uma vez o que na véspera se tinha garantido não ser necessário fazer: cortes, sempre mais cortes, sem nenhuma luz ao fundo do túnel, que só pode vir de um crescimento da economia, de que há muito, infelizmente, se parece ter desistido.(...) A crise política está instalada, só por calculado cinismo se pode continuar a dizer que ela ainda pode ser evitada. Veremos agora como age o Presidente da República, que depois de se ter "atravessado" com o seu discurso de posse, criou a expectativa de uma intervenção que ajude o País a definir um rumo para sair da crise. O momento é de verdade e de humildade, mas não se pode desistir da grandeza que só um agudo sentido patriótico permite. De "boa notícia" em "boa notícia", eis-nos assim chegados ao previsível beco sem saída desta legislatura. Sócrates diz agora que resistirá, repetindo o que dizem sempre todos os que se deixam encurralar pela cegueira do poder. É coisa de que, a julgar pelo que já todos vimos, não duvido um segundo. Mas o País é que não resiste - nem o PS.»


17 comentários:

Gallião Pequeno disse...

O que é estranho, muito estranho mesmo, é a condescendência do PS em mimar, idolatrar, elevar uma pessoa quem em nada dignifica o partido e mais importante ainda, o país.

lica disse...

alguem me sabe dizer o que aconteceu ao cronista do Jornal de noticias MANUEL ANTONIO PINA que desde o dia 28 de fevereiro ultimo nunca mais publicou qualquer crónica quando o fazia quasi diàriamente? Espero que nao tenha sido por razões de saúde mas outras causas tambem me preocupam já que era sem dúvida uma voz incómoda para o regime e, se foi o caso, foi mais um a acrescentar a já um longo rol de elimanados. Espero que não tenha sido nem por uma nem por outra causa. Mas que estou preocupado estou

Anónimo disse...

Mas essa pessoa é uma verdadeira cornucópia da abundancia que jorra sem cessar mordomias,sinecuras,honras e prebendas ,consultadorias e acessorias,pingues negocios e negociatas com que compra barato consciencias e dignidades .
Porquê o espanto ?!
R2D2

Anónimo disse...

Provavelmente este buraco é um feijão à beira dos que devem estar debaixo do tapete. Se bem conheço a relação conflituosa que o PM tem com a verdade e com todos os que afrontam a mentira, vão aparecer abóboras gigantes em tudo o que é lado.

Gonçalo Correia disse...

Cresce, cresce, nariz cresce

Era uma vez o Pinóquio que continua a viver num mundo de fantasias. Noutros tempos, esta figura simpática fazia parte do imaginário de qualquer criança, agora aparece no nosso mundo real, a cores e ao vivo, fazendo falsas promessas e atormentando as nossas vidas. Faz porte de gente adulta mas continua infantil nas suas atitudes. Pior, o nariz do Pinóquio não pára de crescer uma vez que ele tem um total desprezo pela verdade. O Gigante (buraco do Estado) contenta-se a vê-lo e a ouvi-lo nos seus espectáculos deprimentes, claro.

Alguns e algumas personagens da banda desenhada ou dos desenhos animados ficarão, para sempre, nas nossas memórias. É uma parte da nossa criança dentro de cada um… A diversidade da bonecada é imensa, havendo para todos os gostos e idades. E gostos não se discutem! A coisa muda de figura quando alguém apropria-se de uma determinada personagem e, ao mesmo tempo, transfigura-a miseravelmente. Temos o direito e o dever de protestar. Até podemos não gostar do Pinóquio, o boneco, mas ele tem direito ao bom nome e reputação, à imagem e à protecção legal, entre outros direitos, como referem os artigos 25.º (Direito à integridade pessoal) e 26.º (Outros direitos pessoais) da Constituição da República Portuguesa (CRP). Bolas, vivemos num Estado de direito democrático (artigo 2.º da CRP)! Bem, não sei se será bem assim, mas enfim… Uma coisa é certa: a Lei Fundamental não pode ser assim violada, no sentido jurídico do termo. Adiante!

Anda, por aí, uma determinada personalidade (de repente, não me lembro do nome) a estragar a reputação desse boneco de madeira, o que não é justo. Saindo da esfera jurídica, colocam-se outras questões, vejamos cinco:

- Primeira, somos violentados diariamente com agressões físicas (vulgo: porrada) e morais (vulgo: lixar o juízo) perpetradas pelo Pinóquio, pois o nariz é omnipresente e a vitimização massacrante;
- Segunda, existem vários clones do Pinóquio (se um é demais…) com a respectiva e deplorável marcação CE;
- Terceira, as preocupações ambientais são actuais e prioritárias (certo?), pois bem, muitas árvores são abatidas por causa do crescimento desmesurado do nariz do Pinóquio e seus clones;
- Quarta, a restante bonecada, excepto o Calimero, fica com inveja porque é, simples e totalmente, desprezada;
- Quinta, por fim, a paciência tem limites.

Então, e o Gigante? – perguntam-me alguns… Bem, como sabem, essa besta delira com as grandezas, portanto, quanto maior for o nariz do Pinóquio, melhor. E, inversamente, pior para nós, o Zé Povinho.

Anónimo disse...

O maior e mais degradante espectáculo da política portuguesa desde o 25 de Abril de 1974 está garantido para breve, com todas as movimentações fraticidas dentro do que resta do PS (só o núcleo) para levar em ombros e aclamação o Menino de Oiro que estourou com o país e deixou o partido como uma espécie de central de Chernobyl a irradiar à base de barras de lixo empobrecido. A fome de rapar o pote vai ser tão grande que mesmo com o som da televisão desligado vai dar para perceber quem está por Portugal e quem já está tão tomado pela radiação rosa que já nem sequer percebe o que se passa à sua volta.

Hermitage disse...

CARRILHO ZEGNA

Estes comments carrilhianos são justos, são sim senhor.

Mas francamente, o Homem sangra-se num anti-socratismo marteleiro que enjoa.

É que ele é um dos que esteve na cozinha e ajudou à preparação do petisco que agora está na mesa dos portugueses.

Talvez só tenha tirado os ingredientes da dispensa, é certo, mas na aurora guterriana ele lá esteve e conviveu com aquela trapalhada gastronómica.

Viu o Pina Moura subsidiar a gasolina e dar inicio à sementeira do défice, andou a gaspiller notre argent ao fazer obras com torneiras de ouro e porcelana de Limmoges nas casas de banho da Ajuda, com patente do Bahrein.

Deu um subsidio à sua futura namorada para uma coisa na Antena 1ou quejanda.

Aceitou passear no Foubourg St Honnoré, e dormir na UNESCO como embaixador nomeado pelo artista PM que agora detesta, assumindo-se pelo lado grupal da coisa, onde também se integram esses outros pilares do estado social, Ferro e Cravinho, um na OCDE, outro no BERD.

Quere-se dizer... mutatis mutandis, à sua maneira não passa de variante Zegna do Pacheco: menos flatulência verbal, mais palavra enxuta, mais fashion hodierna, mas o mesmo enjoo de descobrir o miscaro socrático só agora.

É claro que o Titanic já está mais dentro que fora de água e esta gente tem instinto de sobrevivência, mas não exagerem e, sobretudo, tal como agora se pede ao artista, tenham vergonha.

vf disse...

Buracos e becos sem saída como este não são razão suficiente para o Presidente não confiar mais no Governo, dissolver a assembleia e convocar eleições o quanto antes?

Crítico literário disse...

Lica,
Só essa de o MAPina ser "uma voz incómoda para o regime" me faria rir.
E bem precisados andamos todos de ouvir anedotas...

Anónimo disse...

Clap clap muito bem Hermitage.

Aliás é minha impressão que se Sócrates fosse um tipo polido a surpresa ainda seria maior. Contra isto note-se a dualidade com Teixeira dos Santos a imprimir uma aura de "tecnico competente".
O espanto vem do facto de as pessoas quererem acreditar na Mentira.
Só começou a entrar na cabeça das pessoas à 4ª vez.
Carrilho é mais um preso à lógica do que é o Socialismo Europeu.

Agora preparem-se para a terra queimada.
Sócrates vai correr a todos os lados à procura de apoios. E será capaz de tudo para os ter.


lucklucky

Anónimo disse...

O Sócras e o Silva parecem garotos. O paleio destas últimas 24h dá vontade de sacudir aquelas trombetas com duas galhetas.
Isto já é um país, triste, pobre, subserviente e querem fazer dele um recreio.
Prá rua já.

Anónimo disse...

Detesto Carrilho.
Enfim,agora acertou.
Tirou a foto ao repugnante chefe do partido dele.

A Oposição está à rasquinha. disse...

Quem está no beco, são o Cavaco e o Passos Coelho.

Para Sócrates, o caminho é uma linda auto-estrada.

Anónimo disse...

Eu cá quero que o insuportável peiésse se f***! Por mim pode ser extinto... ou incinerado juntamente com o dito cujo e mais alguns ranhosos.

PC

Anónimo disse...

Quem está no beco somos nós que temos que pagar pela merda que fazem.

Cáustico disse...

Assis, em Felgueiras, e um tal Rui,no Porto, já levaram na cara, e não podem se acusados de, nem de longe, terem um comportamento semelhante ao do canalha político.
Surpreende-me que este, apesar das suas atitudes indecentes e quiçá desonestas, ainda não tenha levado um valente murro no focinho, que lhe recorde, para sempre, que tem de ser um homem.

Cáustico disse...

Sei de muita gente que anda pelos grupos quadrilheiros, que não concorda com muita coisa que neles se diz e faz e fica calada, quando devia falar. Só tem veia para falar ao povo quando começa a tornar-se indesejável entre os seus pares ou proscrito.A tal dor de cotovelo.