25.3.11

A MATILHA

Se forem convocadas eleições, temos dois meses garantidos de tudologia e de ambiguidade tóxico-politológico, a «vociferante matilha do espectáculo» como lhes chama Sloterdijk.

10 comentários:

Anónimo disse...

Dada a grave crise económica, social politica e judicial do pais, e a inexistências de pessoas em Portugal capazes de resolver estes graves problemas da nação, apelo para que nos movimentemos a pedir que Portugal seja anexado à Alemanha. Podia ser o estado alemão do Sul. O que acham.
Deste modo todos os problemas do povo português seriam resolvidos de uma vez por toda!

vasco disse...

@10:33 PM

Acho que não. O arzinho irritado e paternalista da senhora Merkel com os pobres irrequietos só demonstra que ser sub-alemão também não nos traz grandes vantagens.

Anónimo disse...

Passos Coelho deu um tiro no próprio pé.

Não tem «cabedal» para enfrentar Sócrates.

Sócrates arrecadará uma maioria absoluta.

Anónimo disse...

Mas que puT# de ideia.

Vamos mas é fazer um Primeiro de Dezembro.

João Gante disse...

Achei médio. Não é o problema do carisma, que isso é para comentador ver, mas em acções, em sugestões concretas. O que ele disse, Sócrates poderia ter dito nos seus dias de oposição. Não vejo em Passos Coelho a coragem para o que tem de ser feito.

Carlos Dias Nunes disse...

Ao ver e ouvir na SICn, ontem à noite, essa nulidade absoluta chamada António Costa Pinto, ia-me dando uma coisinha má.
Não haverá maneira de tapar a boca a esta trampa de politólogos da treta, de que o dito Pinto é exemplo acabado?

Anónimo disse...

Hoje vi um excelente programa da BBC na SICN sobre a crise na Irlanda. Quase tudo se podia transpor para a nossa situação, mas infelizmente não há cá ninguém com profissionalismo, independência e tomates para fazer um programa assim.

floribundus disse...

vem aí a burrice, a estrebaria e a fossa do largo dos ratos
já cheira a estrume

Anónimo disse...

Em relação a anexar isto à Alemanha, se calhar é melhor não termos ideias tristes, não vão eles lembrarem-se de nos "arrancar" do resto da peninsula e deixar-nos à deriva.Eles ficavam com o problema resolvido e nós ou "atracavamos" no Magrebe ou na América Latina que assim como assim é mais o nosso género...

Anónimo disse...

"Hoje vi um excelente programa da BBC na SICN sobre a crise na Irlanda. Quase tudo se podia transpor para a nossa situação, mas infelizmente não há cá ninguém com profissionalismo, independência e tomates para fazer um programa assim."

Se é da BBC não admira que o tenham enganado a pensar que o que aconteceu na Irlanda é igual a que aconteceu em Portugal...
Pode começar por pensar o que acontece a taxas de bem mais negativas que em Portugal e cresce a 5-7%...

lucklucky