5.10.10

O "BANDO"

O dr. Costa, luzidio autarca de Lisboa, aproveitou o seu "momento Tiririca" no centenário para falar num "modelo" para a cidade de Lisboa, entre meia dúzia de dislates conhecidos sobre o "5 de Outubro", como se tivesse um e se notasse. A não ser num encarte propagandístico nos jornais que deve ter custado uns fartos milhares à CML sobre o "parque escolar". Tinha acabado - ele, Costa, e o "Arturinho" Silva da dra. Maria Barroso, presidente deste disparate todo - de patrocinar uma ridícula palhaçada supostamente "reconstitutiva" do evento do dia. O grupo "O Bando" preparou a coisa com 500 figurantes. Nunca a toponímia de um grupo teatral foi tão apropriada à detestável circunstância.

13 comentários:

Anónimo disse...

Acabo de ouvir a "Prima Dona".
Este PM é de um descaramento e de uma desfaçatez incomensuráveis.
Fica-se com o desejo de lhe dar uma sova (com o cinto) até que se mije nas calças. Um rafeiro.

Anónimo disse...

É de fartar de rir que no tal encarte se escreva em letras grandes que Lisboa tem 27 escolas novas.

Vai-se a ver, e delas consta o Gil Vicente, o Passsos Manuel, o Filipa de Lencastre, tudo feito de novinho pelo imbecil do Costa.

Anónimo disse...

Anónimo das 11:27:
Já tenho o cinto preparado para a porrada sobre o dito cujo. Já me recuso a assistir à "conversa" agoniante do estronso, mas continuo a pugnar por o correr ao pontapé, empurrão, vergastada e escarrada (não abdico desta última).

Quanto ao nosso "moreno", parabéns ao JG pelo "luzidio". Está bem apanhado. O modelo dele para Lisboa só pode ser o que está cada vez mais à vista: sujidade, relaxo, pseudo-modernismo e muito, muito, desperdício.

PC

joshua disse...

Vi "O Bando" a assassinar sem piedade o Poema em Linha Recta.

O resto do bando político mantém as melhores palavras intencionais e a pior práxis de glutonaria política.

Sócrates incarna um Super-Frei-Tomás virginal e prega ao arrepio das acções e ambições. Não há meio de feirantes estarem proibidos de executar os seus números de circo e prestidigitação.

Anónimo disse...

Ao "Bando" devia ter-se juntado "O Útero", assim como outras várias e férteis associações de queimar dinheiro do contribuinte - que permitem uma desavergonhada vidinha a gente que, se houvesse justiça, aviaria copos de água em tabernas e passaria Bordas d'Água em Sete-Rios, através de janelas de carros. É o tão celebrado processo de redistribuição da riqueza produzida - bandeira fraterna desta república de bananal. Entretanto, um pobre contínuo reformado - que trabalhou 45 anos - beneficia da sua choruda reforma de magras centenas de euros, sitiado num casebre de Lisboa de escada íngreme e sem elevador, a quem as senhoras do voluntariado vão levar remédios e limpar o rabo. Liberdade, Igualdade, Fraternidade.

Ass.: Besta Imunda

Anónimo disse...

Puta que os pariu.

Espero que esta merda de país arrebente de um vez por todas. O caos há-de instalar-se e, então, a caça aos responsáveis pela indignidades perpetuadas terá início.

Quer vê-los na ponta da corda.

Anónimo disse...

Como acontecia há muitos séculos, os responsáveis mandarão outros para a forca morrer em seu lugar.

Fado Alexandrino disse...

Utilizei parte deste excelente post num apontamento no meu blog.

Essa agora disse...

Os manos Costa são do mais deletério que aconteceu a Portugal nos últimos 50 anos.
O pai Orlando, embora comuna, deve revolver-se na tumba com tanta cretinice.

Anónimo disse...

No fundo quem melhor retratou o espirito do dia foram os Homens da Luta, Gel e Falancio. Deviam ter sido eles os contratados para abrilhantar as celebrações.
http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/ultima-hora/policia-afasta-manifestantes-que-gritam-viva-a-republica-das-bananas

http://www.youtube.com/watch?v=GO0NjqS84_Q

http://www.youtube.com/watch?v=LeTAKC981Ec

zé disse...

Nem a versão do hino foi a oficial. Mas como há pouca gente para dar por isso... é a tal história do binómio de Newton e da Vénus de Milo...

Jacinto disse...

Essa corja terá, alguma vez, ouvido falar do " Saibam quantos..." , do Fialho ?

Anónimo disse...

Será que "porco cevado" é mais ofensivo que "filhos da puta".
Só pergunto porque, ao fim de vários meses de "colaboração", o autor me censurou um comentário sobre o "luzidio Costa".