24.10.10

A HIPOCRISIA SOCIALISTA E A IGREJA

Sou católico. Não o seria se não fosse livre. Por isso, as relações com os meus "pares" e com a instituição terrena, sobretudo a portuguesa, que representa a minha fé não se distinguem particularmente pela amenidade. O Papa Ratzinger fortalece essa fé na exacta proporção em que demais evangelistas avulsos a deixam indiferente. Para além disso, vivo a coisa como algo inteiramente privado e desconfio de "comunidades" disto e daquilo. Ora parece que o Estado, através do vil metal, se prepara para deixar de apoiar instituições de solidariedade social que não sejam católicas, criando uma situação favorável a manifestações de indignação militante da jacobinagem habitual e de gente inteligente. Apesar de maioritária em relação às outras em Portugal, a Igreja católica, nesta matéria, não pode ficar refém da hipocrisia socialista, sujeitando-se a mais um chorrilho de parvoíces. Se fosse a ela, seria o primeiro a dizer-lhes "não e muito agradecido pela distinção".

14 comentários:

S.C. disse...

A hipocrisia e oportunismo com que este governo (e outros antes) trata as questões de algum modo relacionadas com a Igreja católica são uma vergonha. Uma bimbalhice pegada, feita de ignorância da história dos homens e das nações e grandes doses de calculismo eleitoralista.

joshua disse...

De acordo. Não se dá ali (Governo Agónico) ponto sem nó.

Anónimo disse...

Completamente de acordo. E espero que nada disto tenha sido negociado como "reparação oferecida" por pinto-de-sousa à igreja portuguesa - mercê de algumas ofensas passadas. Seria uma vergonha.

Ass.: Besta Imunda

FNV disse...

Clap clap clap.

m.a.g. disse...

No meu "estatuto" de "avulsa" ( não evangélica nem de culto algum) gostaria de referir que a solidariedade social não é um beneplácito nem prerrogativa da igreja católica.

Anónimo disse...

Muito bem Dr. João Gonçalves.
Também sou católico e não seria se fosse obrigado, coagido. Como algumas pessoas que aqui comentam, penso qua a solidaridade e as organizações que se dediacam a estas acções não podem ser discriminados pelo facto de serem criadas ou não pela Igreja Católica. Devem ser apoioadas desde que façam trabalho honesto e com resultados.~
Carlos Genesius

Pedro Morgado disse...

Muito bom comentário. Por onde anda o Partido socialista, laico e republicano quando apresenta uma proposta destas?

Sou favorável ao fim dos benefícios para todas as religiões.

Henrique Pereira dos Santos disse...

Interiamente de acordo. Mas a discussão desta questão apenas por via da questão religiosa está a escurecer o que ela tem de mais perverso: a taxação deste apoio será paga, de uma maneira ou de outra, pelos seus beneficiários, que se presume que são os mais pobres e frágeis.
É uma decisão estúpida e contraproducente, que sairá caríssima ao Estado, se incluir, como deveria, a igrea católica, ou será profundamente injusta, se não a incluir.
henrique pereira dos santos

Anónimo disse...

o PS incentiva o catolicismo de forma a cegar o povo amiguinho com a já celebre formula: fado, futebol e fátima.Ja se notar isso com a vinda do Papa a lisboa.

Mani Pulite disse...

SE NÃO FOSSE ASSIM COMO CONSEGUIRIA O POBREZINHO DO MEU AMIGO POLICARPO CONSTRUIR A GRANDE BASÍLICA DO RESTELO,OS JERÓNIMOS DO SEC.XXI?AMEN.

Karocha disse...

JG

Como sabe, eu não sou católica apostólica romana.
Agora, deitar fora o que tem feito pela pobreza, neste país?
Nunca.
O seu a seu dono!

www.angeloochoa.net disse...

J.G:
Difícil, hoje. discernir de Mamon e do Reino, Amigo.
Comungo de sua indiferença ante sermões apaziguadores de «católicos» anestesiados (vide a vergonha que é a RR!) e da sua desconfiança ante comunidades que no dizer de Bento xvi (que cita, e nunca por demais) procuram o primeiro lugar quando o do Cristo Jesus nosso e Amigo foi «o último». Não há católico que se preze aqui na da stª Maria Terra que não puxe de galões disto e daquilo e desta ou daquela panelinha. Muito haveria a dizer sobre a sujeição da dita nossa santa madre igreja ao cifrão. Já Raul Brandão arguto no Vale de Josafat, em tempos quiçá mais jacobinos do que os de hoje,dizia serem católicos muito bons a lidar com a riqueza.
Reverenda e obrigada a Hierarquia dobrará serviz, baixará cabeça e agradecerá... Ante «a ignomínia instalada na cátedra do poder». «Quando isso tiveres que ver, o que lê entenda, é próximo o Filho do Homem.»
(Apocalipse, aqui citado de cor)
p. s.: Os tíbios ou mornos (nem frios nem quentes (o Senhor o disse) vomito-os.

Eduardo F. disse...

Da parte de um ateu, muito bem! Um abraço também.

lusitânea disse...

Calma que como diz o Arroja igreja só há uma digna desse nome : a católica e mais nenhuma!