27.10.10

UMA COISA VERDADEIRAMENTE GRANDIOSA







Richard Strauss: Poema Sinfónico Morte e Transfiguração. Celibidache. 1970

7 comentários:

Anónimo disse...

Excelente!!! Superior!!!

Ass.: Besta Imunda

Anónimo disse...

Apesar de datado, tem a soberda particularidade de estimular a imaginética. (É do meu agrado quando um sentido faz despertar ou arrasta outro...algo em Sto Agostinho, Muito se fala do som das cores, sabor das cores, cheiro dos sons etc, quase perto tb de Cesárim Verde)

Pedro Chaves disse...

O grande maestro ...

Anónimo disse...

Para o Anónimo das 10:53 :
"Datado"? O quê? Strauss,Celibidache? Uma grande obra de arte,como esta, nunca será "datada",pelo menos enquanto durar a nossa Civilização,que sempre durará alguma coisa apesar dos áugures pessimistas que abundam na nossa blogosfera e não só. Mozart,Piero della Francesca,a Nona do Mahler dirigida pelo Bruno Walter em 1938,os filmes do Murnau ou do Bresson,nunca estarão "datados",quaisquer que sejam as circunstâncias envolventes em que tenham sido vistos ou ouvidos. E esta prestação de Celibidache,com uma orquestra desconhecida de Turim em 1970,longe de Munique ou Suttgart,consegue um momento de elevação espiritual,como ele pretendia,de carácter excepcional,que nada tem de "datado",mas sim de perene. Os devidos agradecimentos ao Dr. Gonçalves por nos ter proporcionado esta magia nos tempos sombrios que atravessamos.
P.S.:O que é "imaginética"? Conhcia "imagética" do linguajar universitário,mas "imaginética" é novo. Talvez para companhia do "Cesárim Verde"...

Anónimo disse...

Para o anonimo das 11:49, qual besta anonima:
Datado porque é datado!Porque tem data, e não há mal nisso.
Imagética é uma coisa, e imaginética é outra.

Anónimo disse...

O anonimodas 11.49 até o estou a ver a espumar da boca...

Anónimo disse...

Melhor: o anonimo das 11.49 ou é um lambe botas lamechas, ou não te vida proria:Os devidos agradecimentos ao Dr. Gonçalves por nos ter proporcionado esta magia nos tempos sombrios que atravessamos.