14.10.10

DESPREZO


Lendo ou ouvindo por aí alguns "fazedores de opinião", em jornais e televisões, de atestado passado por qualquer regime - que falam normalmente do que não sabem por serem cegos de profissão, encartados em burrice ou oportunistas simples - ocorre citar, uma vez mais, Jorge de Sena, correspondente de José-Augusto França a partir dos EUA, em 19.2.78: «é sabido que eu sempre li as putas ou os patrões de putas desse país, tentando não ficar provinciano como eles.» É o que faço, lendo-os ou ouvindo-os, cada vez com maior desprezo, porque «todo o mundo sabe que uma das melhores maneiras de soltar o diabo às canelas dos bem-pensantes de todas as cores e feitios é falar nele, com ares de ironia, como se não existisse.»

3 comentários:

Garganta Funda... disse...

Realmente é um nojo o que se vê na televisão.

Doses cavalares de embuste, manipulação e mistificação.

E muitos dessa corja são responsáveis morais pela bancarrota do país, pois eles sempre foram dizendo maravilhas do «pretty boy» que nos entalou a todos.

Era bem feito que alguns ficassem agora no desemprego, ficassem sem a casa ou que fossem investigados pela justiça, para saberem o que é que custa a vida!

Aiden McKenna disse...

ninguém diz
e
todo o mundo sabe

todo o mundo diz e ninguém sabe

joshua disse...

E ele existe e está à solta, o diabo: chantageou pelo aborto mais fácil; chantageou pelo voto pífio, essa vitória de Pirro, na falácia de Setembro-2009. Hoje é uma espécie de Hitler no seu bunker. De derrota em derrota, até ao fim triste da ilusão devorista que nutriu quase todos os filhos políticos de Almeida Santos.

Gosto muito de Sena, um morto que diz quase tudo o que os vivos não dizem.