7.10.10

CATASTROFISMO NACIONAL

Não esperava ver a dra. Ferreira Leite a parafrasear o clone de Sócrates, o dr. Silva Pereira, a propósito do "interesse nacional" em o PSD dizer o quanto antes o que vai fazer quanto ao orçamento. Perante este consenso catastrofista, até apetece votar contra o dito. Não é, dr. Passos?

Adenda: Já agora, há porventura algum orçamento? Não há. Existem umas "ideias" (péssimas) e umas ameaças veladas. Orçamento ou proposta palpável dele, nem vê-los. Para quê, pois, compromissos com o nada? Querem nadificar o nada?

29 comentários:

Anónimo disse...

Para o ano cá estaremos todos novamente a ouvir quase toda a gente a dizer que agora é que não se pode criar uma crise política, porque ainda seria pior que em 2010. O maquiavélico de Sócrates é isso mesmo: quanto pior estiver o país mais sólido é o seu lugar e quanto mais tempo ele ficar, pior o desastre.

Mani Pulite disse...

MFL E QUEM A ACONSELHA ANDA MAL TAL COMO ANDOU MAL COM O OE 2010.POR FAVOR ESTEJAM CALADOS E NÃO AJUDEM O GRANDE VIGARISTA A ACABAR DE AFUNDAR PORTUGAL.EM NOME DE UM "INTERESSE NACIONAL" SABE-SE LÁ DE QUEM...

Anónimo disse...

E não será isso mesmo que MFL pretende ?
Às vezes, o que parece é...
Cps
SG

Anónimo disse...

Mais uma vez, estamos naquela situação em que o meu avô dizia; "não troques o certo pelo incerto". E de certo em certo até à certeza final - não vamos a lado nenhum se não partirmos a tromba a estes bandidos de vários partidos que nos assaltam a cada esquina da vida.

Anónimo disse...

O Dr. Passos Coelho está lixado. A pressão vem de todos os lados. Vamos ver que estofo tem. Resta saber o que levou a Drª Manuela Leite, que por vezes é pequena, a expressar aquele entendimento.
http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=447279

Zé Rui disse...

A Dra.Ferreira Leite sabe como funcionam os mercados financeiros e quais os impactos que os mesmos podem ter na economia real.

Ela sabe,outros parece que não....não podem saber tudo....

Mani Pulite disse...

O PIOR PARA A CREDIBILIDADE DE PORTUGAL,QUE HOJE É NEGATIVA,NOS MERCADOS FINANCEIROS SERÁ A APROVAÇÃO DE UM NOVO OE NÃO CREDÍVEL.OS CONTOS DO VIGÁRIO DO GOVERNO PORTUGUÊS HOJE JÁ NÃO PASSAM.É PRECISO DEMONSTRAR QUE ESTE GOVERNO JÁ NÃO CONTINUA A ALDRABAR PARA VOLTAR A TER ALGUMA CREDIBILIDADE.JULGAR QUE A CREDIBILIDADE SE GANHA COM UNIÕES NACIONAIS ALDRABÓFILAS É UM ERRO TREMENDO.

Eduardo F. disse...

Com os condicionalismos constitucionais que temos e leis eleitorais com prazos absurdos, não compreendo por que razão Passos Coelho persiste em fazer ameaças veladas para vir a acabar a viabilizar o orçamento. Daqui só pode resultar a sua fragilização. Marcelo já o explicou. Quanto a Ferreira Leite creio que não resistiu a devolver algumas "facadas" de que foi alvo, embora, em substância, tenha dito o óbvio. Passos Coelho não é Sá Carneiro.

RuiAlmeida disse...

Caro João, vai-me perdoar a frontalidade mas quem eu não esperava a alinhar a "situação" era exactamente o João.
Lendo bem a notícia, e depois a recusa em prestar mais declarações, vê-se que ela é divulgada por outros.
É uma posição semelhante à de Alexandre Relvas, há uns dias, e sinceramente, parece-me politicamente bem mais inteligente que a que PPC está a seguir, tendo em conta que dificilmente terá condições para votar contra.

João Gonçalves disse...

Se eu fosse deputado do PSD, votava contra o OE (pelo menos o que está anunciado porque, na realidade, não há nenhum orçamento) ou, se não me deixassem, ia beber café. Onde é que está o alinhamento com a "situação"?

Carlos Dias Nunes disse...

A questão é esta: PPC tem dito repetidamente que não viabilizará um orçamento que aumente os impostos.
Tanto quanto já é público, o orçamento vai aumentar os impostos.
Como é que pode PPC dar o dito por não dito e salvar a face?
A fazê-lo, como o aconselham certos freteiros cavaco-socretinos do partido, tipo MFL ou JPP, só lhe restará enterrar-se, isto é, demitir-se a seguir.

Anónimo disse...

O Orçamento e o «Ovo» ...

- «Cientistas ingleses descobriram que as fêmeas de cuco retêm o ovo no seu interior durante 24h adicionais o que funciona como “incubação interna” de tal modo que eclodirá antes dos ovos do casal alheio em cujo ninho é depositado e a sua cria monopolizará a atenção desses progenitores».

Garganta Funda... disse...

Interesse nacional mesmo , mesmo, é deitar este governo abaixo.

Prolongar a vigência deste governo vai ser a ruína completa.

Já no início deste ano, a Drª MFL fez muito mal em viabilizar o orçamento de 2010, pois os resultados estão à vista.

Não vale a pena a DRª MFL apelar de novo ao «interesse nacional» pois as pessoas que estão no Governo, a começar pelo PM, não sabem o que é isso e tudo farão para deitar este país abaixo.

RuiAlmeida disse...

Nas actuais condições, votar contra é equivalente a fazer cair o Governo com a agravante de, com toda uma máquina de propaganda a seu favor, corrermos o risco de nas próximas eleições estarmos mais pobres (leia-se do que com este orçamento) e ainda levarmos de novo com o Sócrates em cima. Depois do que vi em Setembro tudo é possível. E é isto que está verdadeiramente em causa, à parte purismos ideológicos e outros.

Anónimo disse...

Parece que o lider do PSD se colocou, de facto, numa situação muito complicada visto que, seja qual for a opção, será sempre criticada.
Porém, a verdade é que o único responsável por tal situação é ele próprio.

Anónimo disse...

Como é bom viver em Portugal :

- «Ministério das Finanças divulgou esta quinta-feira à noite a tabela dos cortes salariais na Administração Pública previstos na proposta do Orçamento de Estado para 2011. Assim, os vencimentos ilíquidos até 1.500 euros encontram-se isentos dos cortes salariais. No escalão dos 1.500 a 2.000 euros o corte será de 3,5%. Entre os 2.000 euros e os 4.200 euros o corte a aplicar é calculado do seguinte modo: 3,5% sobre 2.000 euros e 16% sobre o montante superior àquele valor».

Anónimo disse...

Os politicos do bloco central e os seus excelente economistas provaram que não fazem bem contas. E a Dra M.Leite é a ilustração dos maus ministros das finanças que tivemos, perdou dividas fiscais a ricos, a clubes de futebol e alienou patrimínio para a famosa consolidação orçamental, qualquer bom merceiro,digo empresário em nome indivual do ramo do comércio, podia ensinar aos excelentes DRS com ou sem PHD, com curriculos invejáveis, que gastar por conta não se faz e não se ensina aos nossos filhos, é tão elementar que não tira o sono.
tenho esperança de este PPC quebre o dejá vu e vote sinceramente contra e não seja a MFL 2. O país apoia a mudança porque está deprimido.

Anónimo disse...

Admitamos que o orçamento não é aprovado. Gerem-se as finanças por duodécimos e a vida continua.
Os "mercados" deixam de emprestar dinheiro por falta de confiança? Melhor. Menos empréstimos, menos dívida. É só vantagens.
Mas para o orçamento ser reprovado é preciso que o PSD vote contra. Sócrates é um homem de mão do PS. O PS é a organização politico-partidária mais influente e poderosa de Portugal. Com imensas ligações em todo o mundo capitalista. A quem interessa o endividamento dos países.
Ligando as pontas da meada, o PS tem poder e influência para desencadear uma violenta onda de responsabilização sobre o PSD pelas "desastrosas consequências" da não aprovação do orçamento. O PSD não vai correr esse risco, logo, nunca vai votar contra.
Então e a promessa de o fazer se houvesse aumento de impostos? Fácil. Em "sede de negociação", o PS aceita retirar alguns dos anunciados impostos. Ficam criadas as condições para o PSD poder dizer que a situação do país é muito grave (já são dois a dizer o mesmo) mas o governo "foi sensível" e retirou um ou dois malefícios, que irá aplicar logo a seguir de forma indirecta. Já está. Sai toda a gente de cabeça levantada e o Zé Povão que se lixe.

Garganta Funda... disse...

Quem colocou o país neste imbróglio politico-constituicional e com os credores à porta , podendo ter agido no tempo certo, foi o Sr. Presidente da República.

Mas não tenhamos ilusões, mesmo que o actual PSD faça um novo frete ao PM e aos «sus muchachos» e boyada apascentada, o país vai entrar numa espiral de degradação a todos os níveis.

joshua disse...

«Nuã mão a pena, noutra o powerpoint.»

É curioso que a grande insultada e menoscabada pelos socratismo, que a apodava maliciosamente de "Velha", faça agora coro precisamente com o chantagismo de esses tácitos e explícitos chantagistas.

Mesmo Pacheco Pereira dramatizou o problema soberanista português de forma a entalar Passos. Pacheco é sempre Pacheco: louramente volúvel.

Consensos podres, não!

Anónimo disse...

Qual surpresa? de Manuela Ferreira Leite a tecnica competente nº1
está dar os recados do sector cavaquista. Já ontem Pacheco Pereira deu o seu não recado.

"Nas actuais condições, votar contra é equivalente a fazer cair o Governo com a agravante de, com toda uma máquina de propaganda a seu favor, corrermos o risco de nas próximas eleições estarmos mais pobres (leia-se do que com este orçamento) e ainda levarmos de novo com o Sócrates em cima. "

Nesse caso os Portugueses votariam pelo menos em consciência, não numa fraude de 5% de defice em vez de 9% de defice.

lucklucky

Anónimo disse...

http://2.bp.blogspot.com/_4aYoFdiHgTk/S8kaAihwdKI/AAAAAAAAeto/o0oOKFBkhZ8/s1600/1939+-+Retrato+de+Oliveira+Salazar.JPG

Anónimo disse...

Estou muito contente.

Já tenho a prova provada, mesmo provadinha da silva, que este país é de atirar fora e comprar novo.

Senão vejamos:

É evidente que a única forma de salvar o que dele(país) resta(na opinião das politiqueirices nacionais e não na minha) é atirar fora, para a sarjeta mesmo, o Pm Sócrates antes que seja tarde demais, mas, enquanto isso não é possível, controlar o melhor que se puder, os danos.

E, parante esta evidência, aquela senhora Manuela Leite, em nome exclusivamente dos interesses eleitorais do medonho Cavaco, vem dizer a Passos Coelho(o menino passinhos) que deve deixar passar o OGE, quando, revovo o sentimento de evidência, não o fazer é a única forma(na opinião das politiqueirices nacionais e não na minha) de evitar que o tipo faça deste ´país o maior acidente ferroviário-aéreo-rodoviário da história portuguesa, é impedir que ponha as patas, bolorentas de maluco sem remédio, no orçamento.

Mas não, Cavaco mandou-a a mulher dizer aquela merda e ela, zás, aqui vai disto: "que passe o orçamento".

Por isso, repito o que já tinha deixado nestas comentarices, pedindo aos céus que se alinhem em conformidade com a decência.

Cavaco, o Pequeno-Homem-Calculista, Sócrates, o Coitado, Passos, o Cretino.

De entre Cavaco Silva e José Sócrates sairá o homem que mais mal fez a este pobre país na sua História recente. Sócrates é louco, ignorante e extremamente manipulável por J. Coelho e A. Santos.

Cavaco Silva é homem pequeno e é com a sua fraca estatura que está a aumentar a tragédia que emana de Sócrates, ao não perceber que, nesta particular conjuntura, 15 dias é muito, quatro meses uma eternidade irreverssível para atalhar caminho, colocando em risco tudo pela pouca coisa da sua reeleição.

Não há tempo para estas merdas.

Portugal tem de se ver livre rapidamente destes dois e do rapaz Passos porque não aguenta tamanha mediocridade tanto tempo.

E não falo dessa porra do economês, da despesa a mais e da receita a menos, que se foda isso, falo sim de mudar de paradigma, porque o problema não se resolve a crescer, resolve-se a explicar às pessoas, em palavras simples, isto:

Quem hoje compra um mercedes, tem de se contentar com um Peugeot, quem hoje tem um LCD xpto, tem de se contentar com algo mais modesto, etc, etc.

Ou seja, alterar mentalidades, porque o que está errado está nos alicerces e não no telhado. É explicar isto e convencer que o que é corajoso não é cortar pensões, salários, etc, porque, na verdade, ninguém precisa, de facto, de tanta merda para viver decentemente mas é corajoso acabar com a ilusão. Isso sim, é corajoso. E esta gentalha não faz outra coisa que não seja manter a ilusão, que, em suma, se reduz a isto: "vamos agora sofrer para podermos continuar a comprar LCD´s no futuro".

Patético.

Portugal só se resolve quando perceber que não precisa destas merdas.

Temo o pior. Só porque este povo já está muito deteriorado.

Rita

Anónimo disse...

O PPC ao se colocar na situação de não poder voltar para a casquinha do "interesse nacional" poderá revelar se é ou não muito melhor do que eu pensava...

Força, Passos! Se queres contar para alguma coisa, algum dia, não te deixes pressionar (o Ângelo, provavelmente, já te explicou...).

PC

Justiniano disse...

Sem dúvida, caro J. Gonlçalves! E muito surpreende!! Não sei o que lhe terá ocorrido! Algum lapso certamente!

De nihilo nihil disse...

O mais curioso nesta treta do orçamento é a seriedade com que foi tratada a matéria e os cálculos efectuados. Afinal a receita do estado pode ser bem inferior ao que estava inicialmente previsto e há quem fique a ganhar com o "rescalonamento" do vencimento.
Só por aqui se vê a competência e o sentido de estado desta gente. Esqueceram-se que ao baixar o vencimento haveria casos em que a retenção para IRS também baixaria. Ou seja, as projecções da receita foram calculadas em cima do joelho e por valores substancialmente diferentes dos iniciais.
E são este "artolas" os gestores deste país! Francamente...

Anónimo disse...

Um excessivamente reputado jornalista de última-página - no DN - referia na 'sua'coluna, em finais de 2008, "como tinha ficado agradado de verificar que a falência da banca-dos-produtos-tóxicos, nos Estados Unidos, tinha trazido finalmente o desalinho e a descompostura aos gestores, especuladores, bancários e 'banqueiros'; e como esse ar de desaranjo, desilusão e de perfume mais barato e menos arrogante - junto com as expressões carregadas dos seus rostos visíveis na rua - o reconfortava": aparentemente, segundo este nobre escriba, estaria finalmente a ser feita justiça. Pois sim. Em Wall Street já ninguém ouve falar deles; a maior parte está de novo no activo, outros estão presos ou em vias disso, e tudo se 'renovou' num moderadíssimo optimismo. Cá em Portugal não ouve notícias de despedimentos na banca, e só O. e Costa está a braços com a justiça.
Agora, a falta de linha, o ar amarrotado e pobre, a falta de perfume, a cor amarelada no rosto e a magreza ficaram inteiramente do lado do povinho e do funcionalismo envergonhado-remediado. Estes rejubilares prematuros com o "fim do capitalismo" dão depois nestas constatações penosas - que não podem deixar de atingir o escriba em questão, assim como outros felizes profetas do neo-marxismo.

Ass.: Besta Imunda

Anónimo disse...

MFL diz o óbvio, tal como disse o óbvio de todas as outras vezes que falou e que ninguém quis ouvir, com comentários de desprezo como os que aqui se escrevem. MFL diz que estamos TODOS capturados por Sócrates. Que Sócrates deixou o País sem escolha possível a não ser continuar ele a decidir enforcar-nos com as suas contas do diabo.Que Passos Coelho não pode fazer nada e por isso o melhor que tem a fazer é calar-se, antes que nos apertem ainda mais o garrote.O FMI teria sido melhor,pelo menos não estávamos nas mãos de irresponsáveis, incluindo o PPC. É tudo, o povo pode revoltar-se mas que escolha a altura certa, não dê mais tiros nos pés.Deixem-se de bravatas tolas, estamos tramados, é tudo.

Anónimo disse...

Então a MFL disse o "óbvio" em Dez 2009 que o deficit de 9% não era prioritário?...estranho...passou uma boa parte da campanha a falar contra 5 ou 6%...Depois votou o PEC I com TGV's e Aeroportos... A MFL diz tudo e o seu contrário e faz o que o par Cavaco/Sócrates quer.
MFL tornou possível o desastre Teixeira dos Santos. Quando esteve no Governo foram receitas extraordinárias para não ter de fazer reforma alguma.

lucklucky