3.4.11

VAI VER


Ontem, por motivos nobres - uma homenagem às memórias de António Rodrigues Maximiano, João Ribas e Artur Maurício -, não assisti à quadragésima nona intervenção televisiva da semana de Pedro Santana Lopes. A crer no que escreveu um leitor, o nosso bem sucedido ex-1º ministro (agora tão corporativamente solidário com Sócrates, o seu algoz) sugeriu que, se o seu mais recente amor de estimação político ganhasse a 5 de Junho, Cavaco deveria demitir-se. Presumivelmente para antecipar umas presidenciais onde Santana concorreria e seria humilhado como merece. Nunca há bom vento para quem não conhece o seu porto (leia Séneca em vez de Paulo Futre). Dá-me ideia que chegou o momento de declarar, para grande pena minha, Santana como um caso perdido. Mas continue a tagarelar nestes termos dignos de um misto de Lacão com Heloísa Apolónia que vai longe. Vai ver.

13 comentários:

Mani Pulite disse...

MAIS UM QUE DEVE SER INTERNADO EM RILHAFOLES PARA FAZER COMPANHIA AO OUTRO.DE QUALQUER MODO, PODE-SE RETIRAR A SEGUINTE CONCLUSÃO DO QUE TARTAMUDEIA O MAIS TONTO POLÍTICO NACIONAL.COMO NÃO PODEM COABITAR E O PR VAI ESTAR POR CÁ MAIS 5 ANOS O MAIS SEGURO É NUNCA POR NUNCA VOTAR NO SÓCRETINO E CORRER COM ELE PARA TODO O SEMPRE. PARA VER SE FINALMENTE COMEÇAMOS A TER A TRANQUILIDADE NECESSÁRIA PARA INICIARMOS A REPARAÇÃO DOS ESTRAGOS PROVOCADOS PELO TRESLOUCADO DELINQUENTE.

Anónimo disse...

Tardou, mas finalmente JG chegou lá. Mas há muito, muito tempo que o Menino Guerreiro devia ter arrumado as chuteiras.

:-)

joshua disse...

O meu desapontamente é TOTAL. Santana nunca mais para coisa nenhuma!

Cáustico disse...

Dêem-lhe uma reforma para ele ficar livre para tarefas mais cor-de-rosa.
Mas não por mérito, como queria aquela deputada para o seu pai músico, porque mérito, esforça-se por demonstrar que não tem.

Hermitage disse...

MISTÉRIOS

O Santana preenche aquele dito de Sá-carneiro, que às vezes acontece termos uma nota falsa, que sabemos ser falsa, mas que conservamos na carteira.

Tirando as citações que vai fazendo por aí, na suposta interpretação rigorosa e fiel do que dizia Sá-Carneiro, bastaram aqueles meses de pesadelo governativo, a bagunçada na Figueira e em Lisboa, para o definir como governante.

Já na Figueira o Duarte Silva levou as mãos à cabeça quando lá chegou e viu o que viu.

Só na Figueira Turismo eram cinco milhões de divida mais o resto que ficou das festas da beautiful people à moda da Figueira.

E os almeidas que levou para lá, bem ao jeiro dos paulo campos de sócrates.

A proximidade com Sócrates é maior do que se pensa, daí a admiração.

O que resta é a surpreendente capacidade da TVI dar palco a quem tem este lastro de "credibilidade".

Mistérios.

Aires Vilela disse...

O Santana está cheio de sorte.
Olha se a imbecilidade pagasse imposto...

Isabel disse...

Decepção!

Anónimo disse...

O Santama sempre foi bastante "eugénio"... Parece que está cada vez pior. É pena, porque é boa pessoa, honesto, não rouba.

Talvez esteja já um bocado xexé...

PC

Fado Alexandrino disse...

Dêem-lhe uma reforma

Já tem e parvo era se a não tivesse depois de 36 anos de carreira política.

artur Mendes disse...

É por esta e por outras que o tipo não recolhe aos "curros" ( salve seja) ... deixassem -no sozinho a falar para as chocas...èle quer é palco... ser citado... enfim.. manter-se vivo!

Hugo Correia disse...

Apesar de achar que é uma perda de tempo aqui vai, fazendo confiança na tradução feita...

«Evitemos, com todas as nossas forças, aqueles que, de natural, são lamurientos e gementes, e se aproveitam de todas as ocasiões para se lamentarem. Por muito firme e devotado que seja, um companheiro de humor inquieto, que se queixa de tudo, é inimigo da nossa tranquilidade.»

Séneca, A tranquilidade da alma


«O importante não é o que suportamos, mas o modo como o suportamos.»

Séneca, Da vida bem-aventurada


«Saibamos não acusar uma injúria, já que não sabemos sobrelevá-la. É necessário que vivamos em companha do pacífico, do sumamente acessível, do que nunca está torturado ou mal-humorado; nós formamos os nossos hábitos a partir do que nos rodeia e, tal como certos transtornos se comunicam por contágio do corpo, assim a alma propaga os seus defeitos ao próximo. [...] Aquele que vive entre homens pacíficos não apenas se torna melhor, como também não encontra motivos para se agastar, não praticando assim os seus defeitos. Devemos, por conseguinte, fugir daqueles que sabemos susceptíveis de excitar a irascibilidade.»

«Conta-se que Sócrates, contundido por um empurrão, limitou-se a comentar que era deplorável um homem não saber quando devia sair com o capacete posto. O importante, pois, não é o modo como a injúria é feita, mas o modo como é suportada.»

«Concedamos à nossa alma a paz outorgada pelo cumprimento dos preceitos sadios e das boas obras, por um espírito exclusivamente apontado ao desejo da virtude. Satisfaçamos a consciência e não nos importe a reputação; inclusivamente, torne-se ela calamitosa, conquanto o seja por boas acções.»

Séneca, Da cólera


«Entendo que muitos homens teriam podido chegar à sabedoria se não tivessem persuadido de já o terem feito, se não tivessem fingido ignorar algumas das suas imperfeições, observando as dos outros com olhos arregalados e atentos. Não julgues que a nossa própria adulação nos é menos funesta que a adulação de outrém. Quem há que tenha a coragem de dizer-se a verdade a si mesmo? Que homem, em meio de uma nuvem de aduladores que o incensam, não se encarece das lisonjas que lhe dirigem?

Séneca, A tranquilidade da alma


Poupava-se à contradição, João Gonçalves, se não falasse em "estimas".
Boa noite!

Anónimo disse...

Não se compreende esta modalidade desportiva: Bater no Santana.
O mais parecido com isto é o hábito antigo de espancar no recreio o miúdo do costume, só porque sim.
Na verdade PSL tem sido bem coerente nestes últimos 6 anos, qualidade que vai rareando.
Quanto à substância: parece-me óbvio que uma nova vitória de Sócrates teria de criar uma vaga em Belém.
Pedro Ludovice Nogueira

Gallião Pequeno disse...

Santana, erradamente cognominado de "enfant terrible" do PPD/PSD foi sempre um político menor. Demonstrou sim, um constante ressabiamento em relação a personalidades que lhe foram sempre muito superiores.