6.4.11

O NOSSO FRACASSO



Arnaldo Matos, ex-"grande dirigente da classe operária", dizia aos camaradas do então MRPP: "luta dura, vida simples, pensamentos elevados". É, curiosamente, o lema para os próximos tempos embora os portugueses, habituados à prodigalidade e à irresponsabilidade (não largam os carros, gastam o que têm e o que não têm, vivem na lua), dificilmente o apliquem. Por isso é preciso que alguém os obrigue a aplicar. Foi isso que Sócrates, derrotado e a contragosto, veio anunciar. O que aí vem devia ter vindo há mais de um ano. A nação vai agora pagar a factura do delírio e da demagogia socráticas, da famosa "determinação" que ele referiu como sendo uma qualidade, não reparando que já era, há muito, uma grosseira estupidez. Mas Sócrates não está isolado na sua loucura que tem, como a de Hamlet, método. Segundo a derradeira sondagem da Católica, ainda há 33% de imbecis disponíveis para o acompanhar na loucura. Repito. A "5 de Junho" não interessa nada "programas" e "desígnios". A partir de hoje, isso é com os gestores políticos dos fundos externos, designadamente o FMI, o que nos poupa ao martírio das "promessas" e da "esperança". A "5 de Junho" importa apenas julgar o fracasso de Sócrates. O nosso fracasso.

25 comentários:

Anónimo disse...

Não são imbecis. É gente que na maioria vive do dinheiro dos outros e se sente bem por ter sido comprada por ideologia que o legitima.


lucklucky

Arnaldo volta que estás perdoado disse...

O Arnaldo Matos está, intelectualmente falando, bastante acima desta malta que, á direita e á esquerda, vai governando Portugal. Quando não está numa de fazer profissão de fé ideologica, consegue dizer coisas bastante acertadas. Sei lá....talvez não fosse má ideia o Arnaldo Matos voltar á politica activa. Afinal de contas de algum lado terá que surgir uma classe politica alternativa a esta.

Anónimo disse...

Fechou-se o ciclo PIG.

floribundus disse...

votem a favor ou contra vão todos pagar a factura do socialismo.
por muitos anos e maus.

Anónimo disse...

O patrão salgado mandou e a voz do dono falou aos tugas.

Anónimo disse...

Por mim confesso que não me interessa quem ganha mas apenas que os inqualificáveis socialistas(?) percam.
Porém receio bem que venha aí mais uma demonstração do nível deste povo(?) a crer nas sondagens pese embora, apesar de tudo, me custar acreditar que ainda haja trinta e tal por cento de eleitores que tenham a desfaçatez de ir votar em tal gente!

Fado Alexandrino disse...

Dasse, aquilo que era um País e agora é uma coisa, e o coiso preocupado com a pose.

velyn disse...

E o PC e o Be aparentemete vão 'convergir':

O bom filho à casa torna. É tocante e comovente ver o Doutor Louçã voltar, qual filho pródigo, à casa paterna. Os comunistas ortodoxos do PC e os neo-comunistas do BE juntam-se finalmente num abraço fraterno! É a reunificação da esquerda totalitária, depois da orfandade da queda do comunismo em 89-91. Os atávico-ortodoxos do PC fecharam-se numa cápsula do tempo (viva Andy Warhol!) e, como aqueles soldados japoneses da 2ª guerra mundial isolados nas ilhas do Pacífico, continuam, passados 20 anos, convencidos de que a guerra continua. Fazem os mesmos gestos, dizem os mesmos ditos, são a triste caricatura dos Homens da Luta...Já os neo-comunistas o BE são, por assim dizer, os bastardos inglórios do Fukuyama. Para eles não foi o fim da história - foi o apagão da história! Avançados em relação a Estaline, os neo-comunistas não reescrevem a história, eles simplesmente apagam-na! Setenta (70) anos de comunismo deitados ao esquecimento e aí andam os fulanos com uma nova virgindade política, ufanos e contentes com o seu himen ideológico reconstruído, à maneira de uma virgem flausina e recauchutada da Arábia Saudita! De facto, a única coisa que separava estes irmão desavindos era o casamento gay: o PC, que não renegou a sua história, não podia de cara lavada, vir agora defender os homosexuais. Já o BE, que apagou a história e o seu passado, pôde fazê-lo com toda a tranquilidade. Resolvido que está este assuntinho, já nada os separa, já nada os distingue! Muitos Parabéns a esta família finalmente reunida!! Velyn.

joshua disse...

Que resumo! Um Ego Tonto, mesmo no trânsito mais lancinante, Ego.

Nem Narciso, que aliás morreu apaixonado por si mesmo.

Tiago Couto disse...

pff farto deste pais enfim...

http://palavrasdechocolate.blogspot.com/

João Sousa disse...

"Assim fica melhor, ou fica melhor assim?"

Sei como ficaria bem, perfeito mesmo: com a biqueira da minha bota - repetidas vezes, bem impelida.

Alguém lhe dê um espelho, pode ser que siga o exemplo de Narciso.

Sócrates não sai, nem a tiro! disse...

Espero que Sócrates continue, senão vamos comer merda com aquela rapaziada do pote, assessorada com o management da banca nacional dos pulhas.

Anónimo disse...

Sem dúvida a melhor intervenção deste mentiroso ex-primeiro. Aquele início altamente transparente e eloquente rebenta com 6 anos de mentira e declínio.

Anónimo disse...

Adoro as palavras"inqualificavel" e "desfaçatez".....ui, tão finesse, tão titi,credo!
Quanto a "imbecis"...vê-se que o convite para o almocinho, já està a dar resultados...

José Miguel

Anónimo disse...

Arnaldo Matos, o madeirense que chamava fascista ao próprio pai, fez o estágio num escritório milionário de advogados, onde ficou como um dos advogados da equipa e para onde voltou depois de ter feito o frete aos americanos com a farsa do MRPP. E lá está, bem instalado, burguês com todas as letras. Que raio de exemplo você foi buscar...

Anónimo disse...

Fracasso, escreve o João Gonçalves.
Não há fracasso nenhum, homem. O que há é sucesso, muito sucesso!
E se não acredita, pergunte ao José Junqueiro, que ele explica-lhe:

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/ultima-hora/jose-junqueiro-interior-esta-melhor

Como é que um homem com as qualidades de Junqueiro ainda não passou de secretário de estado?
Como é possivel que não seja ministro?

Anónimo disse...

E agora o que é que os Maçons fazem? Abraçam-se tres vezes e dizem a palavra magica, com o passoubem secreto que os faz reconhecer na Europa, na vã esperança de estarem acima dos profanos.

Anónimo disse...

Sejam socialistas a serio e cortem com o subsidio de Natal...e o de Ferias. Aos func. publicos menos 35% do ordenado, fora o corte anterior. O restante pago em senhas de racionamento...Alias acabem com o Estado dos pequeninos, professores e policias, vão virar escravos do estado.So subsistem para cima de secretarios de estado com 3 vezes o ordenado anterior.

Anónimo disse...

"Segundo a derradeira sondagem da Católica, ainda há 33% de imbecis disponíveis para o acompanhar na loucura"

Loucura ? Não.

Preferem a mentira e serem enganados do que ter a simples coragem de enfrentar a realidade, nada mais.

Pedro Silva disse...

Basta de Sócrates e quadrilha! Concordo. O problema é que os que virão a seguir não serão, certamente, melhores que os seus antecessores. Antes pelo contrário. Passos Coelho? Meu Deus, tirem-me deste filme. Estamos condenados ao fracasso. Ok, não é ele que vai governar, é o FMI. Estou muito mais descansado!

Cáustico disse...

Não é a factura do socialismo, pois socialismo puro é coisa que só existe em teoria. A factura que, para nossa desgraça, temos de pagar, é a do socialismo de merda, um aborto criado por um paspalho político e aproveitado por uma chusma de pedantes e cretinos para seu governo de vida e dos amigos e afilhados.

Anónimo disse...

Ainda não ouvi foi a douta opinião do Prof. Dr. Santana Lopes, para me sentir mais esclarecido.

Anónimo disse...

Respeito muito as opiniões deste blog. Infelizmente, julgo que é fulcrar, falar da crise internacional que cada dia que passa, sera mais profunda.
Julgo, redutor, opinar apenas sobre o Socrates ou Passos Coelho. Portugal, e maioria dos países, foi apanhado numa teia elaborada durante anos pelo capitalismo. Segundo, o responsavel do FMi, o problema de Portugal, não é a divida do estado...mas sim a divida privada.

Anónimo disse...

"Preferem a mentira e serem enganados do que ter a simples coragem de enfrentar a realidade, nada mais."

Discordo. Se fosse isso, poder-se-ia pensar apenas em medo, cobardia, "respeitinho" (valor tão interiorizado, por um povo que faz muito barulho nas manifestações, mas, na hora da verdade, verga-se e gosta que lhe falem grosso, porque os que mandam, os senhores doutores, "é que têm os estudos").

No fundo o alegado licenciado é apenas um de nós: chico-esperto; pouco dado ao escrúpulo; mal educado; intrinsecamente aldrabão; novo rico (podendo); interessado em sacar o seu e quem vier depois que se amanhe; sabedor de que há regras, mas absolutamente convicto - até por fanfarronice - de que elas são só para os outros.

Ele é o povo português, em suma. É aquele, afinal, em que o desgraçado que não passa da mais indigente mediocridade na verdade se revê. Mesmo que em momentâneo desespero, e publicamente, diga dele umas coisas menos elogiosas.

É pena, mas é assim. E não, não tem solução (logo na sua idade mais formativa, as criancinhas começam a ser metodicamente compradas a Magalhães, absoluta impunidade disciplinar e passagens de ano sem o menor esforço; a coisa perpetua-se).

Apetece morrer, de facto.
Costa

Anónimo disse...

Isso mesmo, com 33% ou sem 33%, no 5 do 6 vamos correr este bandalho ao pontapé, ao empurrão e à cuspidela!!!

Vá mangar com os bois dele! E até pode casar-se, saia do armário! And they will live happily ever after!...

PC