14.4.11

VIVER ENTRE BRUTOS


Um secretário de Estado da cultura que defende touradas, está mesmo a precisar de uma valente marrada. Quanto à "sondagem", o venerando Rodrigo da Fonseca basta para a comentar. Nascer, viver e morrer entre brutos é triste.

Adenda: A maioria dos comentários só dá razão ao velho estadista. Estejam à vontade que limpa o fígado.

17 comentários:

FNV disse...

O sec. e muitos outros apreciam touradas. Gasset, Lorca, Celine, por exemplo, apreciavam. Também levam marradas e são uns brutos imbecis?

Anónimo disse...

Inqualificável. Tal como a nacional-futebolice do insulto e da intriga anti-desportiva, a tauromaquia lorpa e cruel é uma daquelas coisas que consegue unir avinhados desgrenhados e benzocas analfabetos - passando por luminárias anti-fascistas como Sampaio, Alegre e pelo franciscano e sinistro Melícias. Só por 'isto', e se eu estivesse nos sapatos do FEEF/CE/FMI, não emprestava um chavelho a Portugal.

Ass.: Besta Imunda

João Gonçalves disse...

E o Hemingway. E depois? O pior é Vc. colocar o sec português, coitadinho, ao pé desses.

floribundus disse...

as piores marradas são as que levámos da quadrilha de sócrates no toureio apeado.

agora vamos levar marradas do FMI por largos anos.

estas fazem muito mais estragos que as outras
porque (embora quadúpedes) não abandonamos a praça para ser vendidos no talho

espectáculo bem mais revoltante é o da matança destes bichos pelos Judeus

Anónimo disse...

Depois de Céline, Lorca, Gasset e Hemingway, a Canavilhas e o subalterno! Grande nação esta com tão grandes e cultos governantes!

Anónimo disse...

No dia em que houver a coragem para enfiar na arena TODOS os espectadores e,"bandarilhá-los",acaba-se o gosto por touradas.
Idem para caçadas...uns chumbos no lombo e está resolvido.
Palavras para estes dementes snguinários de nada servem.

fernando éfe disse...

Há lugar para todos. Para o Hemingway e até para o Gonçalves. Quando há lugar para o Gonçalves há muito mundo. E o mundo é sempre maior do que o vosso umbigo.

Karocha disse...

O UK já disse que não, a Finlândia também, a Suécia está a pensar!!!

Anónimo disse...

idiota sobranceiro

Anónimo disse...

Ah, um bloguista chato com pretensões literárias e opiniões requentadas. Desperdicio de tempo...

Isabel disse...

Não há maneira de se compreender que o mais genial dos artistas pode ser uma pessoa execrável. Mas esperemos pelas habituais dezenas de comentários indignados. Nada de tocar no marialvismo português. A brutalidade e tão cultural!

Fado Alexandrino disse...

Fui ler. Os argumentos de um lado e do outro são de uma rasteirice confrangedora.

Mas valeu a pena, fiquei a saber que uma arte (note que não digo cultura) não recebe subsídios do Estado e ainda dá dinheira a ganhar a esse mesmo Estado.

Quase que não se acredita.

FNV disse...

Isso não é reposta.

Anónimo disse...

Deixe estar que, quando o seu amigo Chico for Ministro da Cultura (ou Secretário de Estado da dita, se o FMI acabar com a coisa...), ele trata desse assunto.

Daniel Gonçalves disse...

De um ponto de vista objectivo, nem Ortega Y Gasset, Lorca, Celine chegam aos calcanhares de Karl Popper, Ernst Junger, Carl Schmitt, Raymond Aron, Isaiah Berlin, Michael Oakeshott entre outros. Estes influenciaram decisivamente a História das Ideias e o pensamento ocidental, algo que não se pode afirmar sobre as personalidades citadas pelo FNV.

m.a.g. disse...

Monstros e vermes acoitam-se em diversas áreas sociais!

Cáustico disse...

Para mim, o momento alto duma tourada surge quando o touro consegue saltar para as bancadas. Que pensam, em tal momento,os espectadores que ficam perante o bicho então quase em liberdade?
Se há coisa que me dá gozo é ver uma largada de touros em Espanha. Touros de hastes limpas, sem tortura prévia, e bípedes sem instrumentos de tortura nas mãos. É dos bons espectáculos que a televisão me pode proporcionar.