13.3.10

MEMORIAL, 3

A SICN continua a insistir num trolha do comentário político vindo não se sabe bem de onde. Mas - parafraseando Pacheco Pereira que definiu às portas de Mafra a razão popular como indisputável quando vota mesmo quando conduz ao desastre - o referido trolha é um dos mais qualificados intérpretes dessa razão e, enquanto tal, porventura tão indisputável como Pacheco. Santana Lopes tem ali à mão (mesmo, até, só com a mão) uma boa ocasião para o conhecer.

7 comentários:

Carlos Vidal disse...

Pedro Marques Lopes?
Luís Delgado?

Anónimo disse...

O pai do "trolha" era dono duns supermercados e hipermercados que vendeu à Jerónimo Martins há uns anos...

Deve vir daí a notoriedade.

Acho que fez uma licenciatura em Direito e um MBA...

PC

Deixem-me rir disse...

MBA?
Deixem-me rir!!!

S.C. disse...

É lamentável o palco dado por uma estação como a SICN a comentadores de quem não se conhece obra ou mérito. Se ouvi-lo no Eixo do Mal já é confrangedor, fazer de uma tal figura comentador de um congresso do maior partido da oposição é escandaloso.

Carlos Vidal disse...

Já percebi de quem se trata:
é uma das minhas duas hipóteses:
M. Lopes. OK.
O homem unineuronal.
Chamar-lhe trolha envegonha os trolhas, mas, está certo, aceito o classificativo.

səʇɒɹɔoʄ disse...

Trolha, não. Taxista do aeroporto.
Leva o cliente onde ele lhe pede, mas toma o caminho que ele conhece.
E não conduz bem.

Anónimo disse...

Só para dizer ao anónimo das 6:18 que anda mal informado. O trolha Marques Lopes não é filho de Domingos Marcos Lopes, ex-proprietário do Grupo Inô. Esse, tem uma filha e um filho (que conheço pessoalmente) que nada tem a ver com este paineleiro mentecapto.