28.3.10

LOUVOR E SIMPLIFICAÇÃO DE JOÃO GALAMBA



Vou lendo isto a partir daqui e reparo que, apesar de tanta "erudição", o deputado sublima a graça e supera-se.

«-Chamou "filho da puta" a João Gonçalves, por causa do que ele escreveu acerca de João Constâncio. ("Este é filho do outro. Expele exactamente o mesmo estilo de flatulência política do papá.") Foi um gesto impulsivo e irreflectido?

- Quando vi aquilo escrito sobre o João Constâncio, de quem sou amigo, e depois de ter estado até de madrugada a tentar convencê-lo a publicar um texto no blogue, dizendo-lhe que não tinha de temer e que as pessoas eram civilizadas, aquilo causou-me uma enorme indignação. Reagi a quente. Não sei se me arrependo. Aquilo era exactamente o que escrevi: uma filha da putice. Era inaceitável que alguém tivesse aquele tipo de registo num debate político que se quer civilizado. Trazer à luz a condição de alguém ser filho de outro é uma canalhice.»

Noto o upgrade vocabular. De "filho da puta" a "uma filha da putice", coisa mais séria e adequada a quem já leu Flaubert, Saramago (percebido só mais tarde) e Baudelaire entre pranchadas de bodyboard e "usos privados e públicos" de tal literatura. Rimbaud, porém, não temos a certeza que tivesse lido porque levava soberana e manifestamente no cu e, sobretudo, era um poeta, um usador de palavras fundador de uma palavra só, dessas que nos distinguem, diz o deputado lambuzando-se com Ricoeur, dos animais. É mesmo levado do caralho, este deputado. Ou será da falta dele? Tudo visto, um pouco de Sena dedicado - de Dedicácias porque sou obsessivo - à deputacional figura cuja reputação é imaculada (cuidado, diz o Sena que não consta do "cânone" pittico do deputado, «com a segunda e a terceira sílabas daquela palvra tão honrada como as outras, nestes tempos em que tais luxos de honra se vão perdendo no universo.»)

«Que estes senhores possam finalmente realizar
sem literatura a sua vocação: e gemam só
profissionalmente para maior satisfação do freguês.»

8 comentários:

Garganta Funda... disse...

De facto passar de «filho-de-puta» a «filho-da-madrugada» é uma evolução digna de registo.

Só que esta geração de «filhos-de-madrugada» blasfemam sobre o legado do resistente Zeca Afonso.

Estes «filhos-da-madrugada», onde se inclui esse betinho da «esquerda moderna», ainda não enxergaram que são cúmplices do maior desastre português do último século.

Tudo lhes foi dado; tudo tiveram na mão; nunca uma geração teve tantas condições para dar um salto ou puxar o país para a verdadeira mudança,etc...e no final vemos Portugal em forma de caixão a ser levado para a cova pelas «altas instâncias», indo atrás estes «filhos-da-madrugada» imaturos, imberbes, ignorantes e coitadinhos.

Não merecem a água que bebem.

joshua disse...

Desprezo esses ávidos galambas deputacionais à tona esterco e sempre tão luzidios. Gemem demasiado profissionalmente.

Anónimo disse...

do melhor, meu caro João Gonçalves, ao seu melhor nível...clap clap clap

burns disse...

excelente
estes trastes vivem na sombra de assessores de imagem
são vazios e analfabetos alem de se terem em grande conta
puta que os pariu mais ao estado a que levaram este curral

Anónimo disse...

Se bem percebi do que confessa o próprio Galamba, a sua escolha para deputado à Assembleia da República deveu-se a dois factos: ser bloguista pró-sócrates e ter chamado filho da puta a um bloguista anti-sócrates.
Isto sim, é uma filha da putice que o PS fez a Portugal.

Nuno Castelo-Branco disse...

De morrer a rir, João, de morrer a rir! Manda a cópia para os grupinhos parlamentares! Sempre terão conversa para amanhã.

efe disse...

O que é um galamba? é bicho primo do gambá?

Nuno Castelo-Branco disse...

Não. É um gambozino que leva lambada.

A wikipedia diz:
"Os gambozinos são seres imaginários que, segundo a superstição popular, vivem no campo, embora algumas espécies já tenham se adaptado e hoje também se possam encontrar nos recantos sombrios e húmidos dos parques de algumas cidades."