20.3.10

O PAPA E OS PULHAS


O Papa - os Papas são muito dados a isto - decidiu "pedir desculpas" por actos de pedofilia perpetrados um pouco por todo o lado por padres católicos. O Papa, enquanto tal, não tem de pedir desculpa por a Igreja, como qualquer organização, albergar pulhas. Não se vê chefes de Estado a pedir desculpa por presidirem a regimes onde há o mesmo ou outro tipo de pulhas. Não se vê chefes de partidos a pedir desculpa por alguns dos seus militantes serem rematados pulhas da mesma ou de outra índole. Não se vê presidentes de corporações profissionais, de sindicatos ou de outras trampas congéneres a pedir desculpa pelos seus pulhas. Parece que só o chefe da Igreja católica tem o dever de se virar para muros e pedir desculpa ou ir para os jornais nos mesmos preparos. Em vez disto, que nem para consolo dos seus inimigos serve, a Igreja pura e simplesmente devia limitar-se a expulsar estes vermes sem mais. Se Deus lhes perdoa ou não, não é problema de intendência. Por cá, à medida que se aproxima a vinda de Ratzinger, nota-se perfeitamente o incómodo jacobino traduzido em exacerbar "casos" reais ou virtuais. Mais valia que muitos desses jacobinos se olhassem ao espelho.

14 comentários:

Anónimo disse...

Mas vê-se centenas de testemunahs a testemunhar em tribunal sobre casos desconhecidos, como o Casa Pia.

César disse...

Isto está lindo,mas pior está o tal famoso caso "casa pia",que nunca mais têm fim,e quando tiver,vão ser quase todos absolvidos.
Para lá vamos...

Anónimo disse...

Depois de assistir ao programa da SIC noticias que agora terminou, sobre o abuso sexual e pedofilia no seio da igreja católica, gostaria de dizer o seguinte:
1º É uma vergonha aquilo que ao longo de séculos se vem passando a coberto desta "organização" de autênticos malfeitores.
2º Não há desculpas nem para a Inquisição, nem para todos os outros abusos que há séculos se veem prepertando a coberto de principios e objectivos contrários áquilo que é a verdadeira saga desta escumalha.
3º Tal como foi bem documentado nesta reportagem da SIC, tudo se tem passado a coberto dessa figura sinistra que é o cardeal Ratzinger, por acaso, aquilo a que agora chamam papa.
Extingam esta espécie o mais rápido possivel.
Os vossos filhos correm perigo de vida.

João Gonçalves disse...

Dada a manifesta estupidez do comentário anónimo anterior, vale a pena deixá-lo ficar precisamente por isso.

Anónimo disse...

Sonho com o dia em que o PS venha pedir desculpa por José Sócrates ter andado a enrabar os portugueses anos a fio.

Anónimo disse...

A estupidez do comentário anterior está aqui documentada.
aceda a http://www.youtube.com/watch?v=Jr5Q5Volv88

Alice Goes disse...

No manifesto eunuco do 3º comentário o dito parece que foi privado dos tim-tins cerebrais abre a carranca para vomitar essa abominável verborreia da corja jacobina. Nota-se perfeitamente a influencia sado-maçónica na cultura dos anónimos e ou abrantes, que proliferam em vários comentários, nos blogues.
Deveriam ser proibidos os anónimos sem identificação ao blogue.

Aproveito para pedir aos portugueses que se possível ajudem a assinar uma petição online que foi lançada agora em defesa do rio Tâmega onde a Iberdrola vai construir 5 (!) barragens em menos de 200 kms. Podem lê-la em www.peticaopublica.com - COMO SALVAR O TÂMEGA E SEUS AFLUENTES.
Portugal não ganha nada com a obra, de Chaves a Amarante será só lodo verde em água sem utilização seja para a agricultura ou a população !
Quem é o "patrão" da dita cá no burgo?
Desculpa o abuso, mas Portugal é de norte até ao sul.

Anónimo disse...

Independentemente da culpa que todos e cada um dos padres pedófilos apontados nas notícias, possam ter - e todos os verdadeiros culpados deverão ser severamente punidos e afastados imediatamente do sacerdócio - não é disso que realmente se trata quando estas vagas de notícias da "pedofilia na Igreja Católica", aparecem em simultâneo de tempos a tempos (convenientemente cronometrados) nos jornais de todo o mundo, normalmente acompanhados de documentários ingleses e/ou americanos para dar mais ênfase à coisa. O sentido é só um e o propósito é conhecido de todos os verdadeiros católicos. Basta atentar no país donde começam por partir os primeiros boatos (verdadeiros ou falsos, para o caso tanto faz), para de imediato se seguirem como rastilho para o resto do mundo, a começar pela protestante Inglaterra, que odeia os católicos, tal como uma percentagem relativamente pequena de norte-americanos, mas que, não obstante, tem a força de milhões d'eleitores por ser capaz de os influenciar através da comunicação social que lhe pertence na quase totalidade, bem como todas as rádios e televisões. É aqui que reside todo o ódio à Igreja Católica - a única e verdadeira barreira à dominação total do mundo - e o seu intuito de a destruir a médio prazo, seja através dos escândalos de pedofilia (verdadeiros alguns, muitos outros fabricados) seja doutro modo ainda a inventar, se este não der o resultado há muito pretendido. Não esqueçamos os muitos outros ataques à Igreja que têm havido ao longo dos tempos, designadamente ao próprio Papa e não só a este Papa, que não resultaram em absoluto, mas isso não os impede (antes pelo contrário, atacam sempre com mais força) de investirem de novo mas sempre com novas roupagens para convencer os incautos. Porque as campanhas vergonhosas (estas sim, verdadeiramente negras) contra a Igreja Católica não vão parar, disso podemos ter a certeza. Até obterem os seus tenebrosos propósitos. Isto, se eles próprios não forem destruídos antes disso.
Maria

Anónimo disse...

Esqueci-me de acrescentar que concordo em absoluto com o seu escrito. Parabéns.
Maria

Nuno Castelo-Branco disse...

Claro... aqui pelo burgo, já está a mesma gentuça do costume, desde os do "Centenário", aos repúblicas e laicidades e outras lixaradas tachistas do costume. Antecipam a viagem do Papa. Sempre quero ver o que dirão quando o "comício" branco e amarelo inundar o Terreiro do Paço: "ai ja-sus, que bêem aí os ja-suítas!"

Anónimo disse...

Alguns desses jacobinos olharam-se ao espelho e viram-se no "casa Pia".

jccl disse...

Parece-me que o Papa pediu desculpa pela atitude da Igreja quanto ao indevido acompanhamento destes casos e não pelos actos dos pulhas em si... Mss posso ter percebido mal.

www.angeloochoa.net disse...

J-G.:
Não nos admiremos demasiado das pulhices essas ou quejandas outras.
Do boletim da AIS (ajuda à igreja que sofre) respigo-vos só duas notas -- para quem ama estatística. São 200 000 em todo o mundo os cristãos silenciados e proibidos de clamar Jesus. +/ 7 a cada 10 dos nossos cristãos no planeta da fome sofremos perseguição.
Bom Domingo, amigos!

Ricardo disse...

Muito bem João Gonçalves. Tem toda a razão. Abraço