5.3.10

UM PAÍS QUE METE NOJO, cont.


Dizem-me, ao almoço, duas coisas patéticas. A primeira, que ao 1º ministro, em Moçambique, deu-lhe para elogiar os "ex-combatentes" da Frelimo, vulgo terroristas, esquecendo-se dos soldados portugueses. Nada que espante numa criatura sem mundo que tem de se "cuidar". Nem o dr. Sousa Martins do regime, Mário Soares, se esqueceu deles quando visitou o ex-ultramar. A segunda, que Cavaco foi até à Catalunha que tem uma pulsão regionalista e autonomista, calada e funda, mais ameaçadora que a do país basco. A bandeira independentista catalã é mais antiga que a "ikurrina" e os mais de sete por cento de inflação na região "puxa" por ela. Não houve, nas paupérrimas casas civil e militar de Cavaco, ninguém que lhe explicasse isto?

16 comentários:

radical livre disse...

o pm faz macacadas todos os dias.
segundo darwin descende dos macacos e tem o rabo sempre entalado em qualquer lado.

não sei o fim que levou Cavaco à Catalunha de Miró, Gaudí,Dali, Plácido Domingo, Carreras etc.

fiquei a pensar que terá ido visitar os lugares por onde andaram principes portugueses que foram Duques de Urgel.

a independência é inevitável: a Espanha nunca foi nem será uma nação a não ser em ditadura, todos os povos periféricos são anticastelhanos.

Anónimo disse...

Muito respeitinho, Dr. João Gonçalves. Muito respeitinho.

Anónimo disse...

Fui combatente no Ultramar Portu guês e felizmente regressei, mas, sinceramente, às vezes, sinto que esta desgraçada 2ª república, não merece o heroísmo daqueles que por lá deixaram o melhor de si- a própria vida- ao observar o comportamento destes governantes que apenas nos causam náuseas.
A inevitabilidade destes miseráveis virem a pagar pelas suas vilezas, não me suaviza a raiva que sinto enquanto cidadão .
Apesar de muitos camaradas meus terem dado a sua vida em África, acho que pelo menos não tiveram a desdita de ver estas indignidades perpetradas pelo poder instituido, desonrando a sua memória.
Cps
S. Guimarães

David disse...

Mas por que raio o PR de Portugal haveria de preocupar-se com a "sagrada unidade territorial de Espanha", como diria Francisco Franco?

Helena Matos disse...

O PR de Portugal haveria de preocupar-se com a "sagrada unidade territorial de Espanha" pela prosaica razão de que no dia em que a Catalunha for um Estado, Portugal ficará ainda mais irrelevante

Fernando Antolin disse...

A sagrada unidade territorial de Espanha,que aliás é bem anterior a Francisco Franco,a não continuar, transformará a Espanha numa Jugoslávia em versão "west coast" e não sei bem se tal será muito vantajoso para Portugal...

Anónimo disse...

II República ?! Ah pois, porque a bandeira nacional durante o Estado Novo era outra, muito diferente ...

Garganta Funda... disse...

Os interesses de Portugal passam pela independência das várias nações da actual «Espanha», um país artificial moldado pelos castelhanos.

País Basco, Galiza, Catalunha, Baleares e Canárias, comunidades autónomas com partidos nacionalistas e independentistas, devem poder aspirar à independência, dentro do quadro da União Europeia.

E antes que obriguem os tugas a falar castelhano...

Anónimo disse...

"Portugal ficará ainda mais irrelevante2

Porquê?

"transformará a Espanha numa Jugoslávia em versão "west coast"

Não percebo a lógica, a Espanha como está é a Jugoslávia. Uma união forçada para muitos hispanicos.

É uma estranha obsessão centralista a que atinge os políticos portugueses em relação a Espanha.

lucklucky

Anónimo disse...

Por mim, podemos pedir a adesão à Espanha, com 3 ou mais regiões (Madeira, Açores, e Continente), se forem eles (os espanhóis) a pagar...

Quem defende as "independências" devia olhar para a irrelevância da Sérvia, Croácia, Bósnia e etc., fora da Jugoslávia... Ainda por cima falavam a mesma língua e tudo.

PC

Jacinto disse...

Para quem acha irrelevante a balcanização da Espanha, aconselha-se uma vista de olhos á década de 30 , do sec. passado,vivida para além deBadajoz.
Uma "visita" guiada por Pio Moa,César Vidal ou Stanley Payne seria instrutiva, sem dúvida...

observador A disse...

Eu tive oportunidade de assistir ontem, 'a recepcao ao Prof. Cavaco, no Hotel Majestic em Barcelona.

Meteu-me verdadeiro nojo, ver o tipo de comunidade portuguesa ali representada: uma corja de srs drs engenheiros do mais petulante que existe, betos besta com a mania das grandezas. E triste fiquei tambem com a constatacao por parte do sr presidente,de que se encontrava perante um exemplo de jovens de sucesso!!!

Mais: gostaria de saber quanto tera custado ao erario publico, aquele beberete num dos hoteis mais luxuosos de Barcelona.

No meio"daquele" Portugal, lembrei-me novamente de uma das fortes razoes que me fizeram emigrar.

Aquele era o modelo do PORTUGAL QUE METE NOJO

Lura do Grilo disse...

A Catalunha trata-se tão só de uma ditadura de modelo Castrista bem disfarçada com eleições e onde abundam mais corruptos por m2 que em qualquer parte da Europa: máfias de leste e oeste, traficantes, terroristas islâmicos, proxenetas e todo o sub-mundo dá-se igualmente muito bem por lá.

Até os filmes e os cartazes de lojas tem que ser exibidos em catalão embora nem Montilla fale catalão. A mulher, com mais de 14 cargos em simultâneo idem idem. A língua espanhola é mais perseguida que outra qualquer.

A Catalunha abocanha mais do orçamento que aquilo que produz.

Mas a população continua a falar espanhol também e não quer a independência. É um país faz-de-conta para dar relevo a medíocres que cavalgam o disparate.

Anónimo disse...

Se o Socrates elogiou os guerrilheiros da Frelimo mas não fez nenhuma referencia aos soldados portugueses, limitou-se a seguir o exemplo do actual PR, Cavaco Silva, numa visita que fez à Guiné Bissau, quando era primeiro ministro. Prestou então homenagem aos guerrileiros do PAIGC mas nada disse acerca dos soldados portugueses. À época o General Lemos Ferreira, CEMGFA, enviou a Cavaco uma carta dura, onde criticava o indigno comportamento de Cavaco na Guiné. A carta tornou-se publica, mas Cavaco, acusando o toque, nunca reagiu às criticas de Lemos Ferreira....comeu e calou, simplesmente.

Fado Alexandrino disse...

Mais: gostaria de saber quanto tera custado ao erario publico, aquele beberete num dos hoteis mais luxuosos de Barcelona.

O tuga bufinho no seu melhor.
Sempre mesquinhos.
Era melhor terem-se juntado numa esplanada a beber umas bejecas.
Sempre tolos.

Nuno Castelo-Branco disse...

Neste caso, Cavaco fez bem em sublinhar a especificidade portuguesa, avessa a qualquer tipo de comparação com a Espanha. A balcanização do país vizinho não nos interessa minimamente. Conhecemos bem a gente que comanda em Madrid e é com Castela que partilhamos a fronteira e as águas dos principais rios. A Catalunha é a principal fornecedora de Portugal? Pois não é nem de longe, a principal cliente. Que isto fique bem claro. Fantasias e delírios de independência que fiquem reservados para eles, deixando-se os portugueses em péssimos investimentos nessas loucuras que só nos prejudicarão. Com os castelhanos podemos bem.