18.11.08

SIGNIFICANTE E SIGNIFICADO

Que tremenda falta de jeito. Bem avisei que a credibilidade, por si, é curto. Está na hora do JPP proporcionar umas conversas com a senhora sobre os "clássicos". Por este andar, não chega ao Natal. Isto, porém, não desculpa a intervenção idiota do ex-comandante de bandeira da Mocidade Portuguesa Alberto Martins, hoje infeliz líder parlamentar do PS, que "acusou" Ferreira Leite de "pulsões autoritárias". A senhora quis significar que não se "reforma" nada nem ninguém, em democracia, contra a vontade dos "reformados". Não é manifestamente, uma ironista. Apenas isso.

Adenda: A SIC-Notícias tem previsto um "debate" - seguramente entre os seus papagaios habituais - sobre as "declarações" de Ferreira Leite. Com isto, ninguém prestou atenção à parolice governamental que fez deslocar um 1º ministro, cinco ministros e cinco secretários de Estado a uma denominada "feira tecnológica nacional", a nova Golegã sem cavalos mas com "Magalhães" por todo o lado. Esta gente é que está no poder. Não é a outra senhora. Um pormenor insignificante para os ranchos folclóricos de diversas proveniências (Menezes já fez a competente prova de vida) sempre prontos a arrear uma tunda em tudo o que mexe contra Sócrates. Força.

Adenda-2: José Medeiros Ferreira, não lhe fica bem fazer de comentador residente da SIC-Notícias. Acha mesmo que alguém está interessado em "paralisar", nem que seja por seis meses, uma democracia paralítica? Em matéria de densidade democrática, digamos que o secretário-geral do seu partido não é propriamente um exemplo de manual. A dra. Ferreira Leite não é do métier (V. tem razão quando explica que não foi por acaso que Barroso não a indicou em 2004) mas, certamente, não traz a reacção escondida na malinha de mão.

27 comentários:

António de Almeida disse...

Inacreditável que o PSD considere sequer a hipótese de ir a votos liderado por MFL . A sra é um erro de casting total, quando abre a boca entra mosca ou sai asneira. O PS esfrega as mãos de contentamento, hoje existe assunto para lá dos problemas da avaliação de professores. A actual liderança do PSD é a maior garantia do engº Sócrates na renovação da maioria. Não era este partido que há 6 meses tinha um líder pouco credível? Mudem de presidente já, e convençam a sra que o silêncio é mesmo a melhor estratégia...

Anónimo disse...

A falta de jeito e, sobretudo, a má fé dos jornalistas. Ou não é má fá, mas pior: incompetência interpretativa, típica dos iletrados. Eis-nos condenados à literalidade.

Planetas - Bruno disse...

Coitada, a Srª já tentou:
O silêncio = Não deu!
Criticar à toa = Não deu!
Ser engraçadinha = Não dá!

Isto vai ficar mesmo bom, é com a entrada em cena do mítico PSL!

O Puma disse...

Deste modo com o país

adiado

o eng agradece

a menos que desgraçadamente

estejam a construir um centrão

Anónimo disse...

Os socialistas sempre tiveram uma especial predilecção pelas gavetas:Soares já tinha metido o Socialismo na Gaveta.Há quase quatro anos atràs Sócrates meteu a Democracia na Gaveta.

Carlos Medina Ribeiro disse...

Porventura, MFL, pretendendo dizer uma gracinha, deixou-se apanhar numa armadilha pois, ao contrário do que sucedia com Pamplinas, a sua permanente cara-de-pau fez com que se lhe colasse a imagem de alguém incapaz de manipular as regras do humor.

E como as trancrições, na imprensa, são feitas sem o recurso a "smileys", é natural que a maioria das pessoas entenda os textos literalmente, pois não estão preparadas para descortinar ironia onde sempre enxergaram sisudez.

Anónimo disse...

Qualquer pessoa mínimamente inteligente percebeu a ironia das palavras de MFL. O problema é encontrar pessoas inteligentes….
A senhora, infelizmente para ela, não tem o dom da palavra e o que expressa nem sempre é claramente entendido.
Agora o que Portugal precisava era de gente inteligente para perceber que os verdadeiros problemas do país não são os fracos dotes oratórios da líder da oposição.
Para dotes oratórios bastam-nos os do primeiro ministro.!!!!
O que precisavamos era de obras, planeamento e estratégia. A oratória deixemos para o teatro.
Fosse a MFL bonita e com grande oratória e seria um Obama de saias, mesmo que ninguém soubesse das suas ideias!
Xico

Fado Alexandrino disse...

Qualquer pessoa mínimamente inteligente percebeu a ironia das palavras de MFL.

Também penso assim, apenas porque fui ler a frase no original e deitei para o caixote do lixo a interpretação do Público.

Anónimo disse...

Registe-se, já agora, que quando a Ana Salope armadilhou o Lopes com aquela história dos "colos" (metáfora que ela introduziu na conversa e que ele tentou aproveitar para, ironizando, insinuar que o Sócrates gostava do colo da imprensa), não veio ninguém defendê-lo...

Tinha dado jeito que na altura o João Gonçalves tivesse escrito posts como este.

À Ferreira Leite faria agora um jeitão que o Lopes não lhe fizesse o que ela lhe fez a ele...

Anónimo disse...

Nem era preciso ler, basta ir ouvir.

Eu fico estupefacto com isto tudo, eu n acredito que as pessoas n tivessem entendido, ou melhor não quero acreditar, porque assim sendo estamos entregues a um bando de idiotas e burros.

Sr Fado, se deitou ao lixo a interpretação do público, aconselho-o a evitar a do JN e nem quero ver a de amanhã do DN.

António

Anónimo disse...

Com ou sem ironia ela tem razão.
Em vez da democracia intermitente instaurada pelos "donos da democracia", há que criar condições para refundar a verdadeira democracia.

Anónimo disse...

Em tempo.
Não será que a 'velha' senhora se limita a tentar falar como o comum dos mortais?
Não será verdade que tal tipo de afirmação aparece frequentemente nas conversas de circunstância de muito boa gente?
Ou será deformação democrática minha?
Falta de currículo partidário?
Bem, é verdade que quem fala verdade não ganha eleições.
BM

Em terra de cego... disse...

Sem dúvida que não são as declarações de MFL que levam a más interpretações.
Já anteriormente se disse cobras e lagartos de Durão Barroso,Santana Lopes,Marques Mendes,LFMeneses e agora da senhora.
Só um surdo não vê que a máquina Socretina tritura todos os opositores,contando com os seus boys infiltrados nos meios de manipulação social.

O foco há muito foi hábilmente desviado sobre a oposição.
Basta ver aquelas rábulas vergonhosas a que eufemísticamente chamam debates parlamentares para perceber as tácticas manhosas e repugnantes do Papa Doc cá do arraial.
Sempre que o bicho é interpelado responde com contra-ataques que visam responsabilidades passadas deste ou daquele partido ou enfocando pormenores secundários que nada têm a ver com o tema do debate.
Foge sempre às respostas,o que lhe é permitido pelas conveniências tácticas do PC e BL,bem como pela fraca qualidade dos parlamentares dos partidos sentados à direita.

Criou-se uma conjuntura que causa repugnância a qualquer cidadão sério deste país.

Jacinto disse...

Como se houvesse dúvidas quanto à imbecilidade,sonsa e mansamente palavrosa,deste "remake" de Abranhos...

JPRita disse...

http://largodasalteracoes.blogspot.com/2008/11/mais-que-evidente-canalhice.html

Anónimo disse...

Obviamente que MFL referia-se aos tiques ditatoriais deste governo quando quer governar contra as classes profissionais. Quem não entende isto é porque é iliterato, ou burro ou age de má fé como a Sr. Martins do PS. A senhora que se cuide pois a comunicação social(ista), o sr. Menezes e outros que tais aproveitarão a sua frontalidade para arrasar aquilo que defende. Num País de brandos costumes o natural é que os políticos falem por metáforas e não chamem "os bois pelos nomes".

Nuno Castelo-Branco disse...

Devo ser completamente imbecil, porque entendi as palavras de MFL como mera ironia. Tudo o que mais se disse, não passa da habitual conversa do chácha a que os regimenteiros nos habituaram.

Nuno Góis disse...

Em relação à primeira adenda queria apenas acrescentar que o Primeiro-ministro, 5 ministros e 5 sec.estado estiveram nesta tal feira somente 5 horas...
5 horas em que, pelo menos estes 11 não tinham nada mais importante para fazer...
Estamos esclarecidos.

Picoas disse...

Pensava que estaríamos muito preocupados com a crise que já está aí instalada. Afinal, ouvindo os maníficos socialistas, não há crise. A única crise que há é provocada por uma chata de uma MFL. Há mais desemprego? A culpa é da MFL. O sector automóvel está em dificuldade? A culpa é da MFL. As minas de Aljustrel fecharam? A culpa é da MFL. A SIC é o canal menos visto? A culpa é da MFL. O Sporting perdeu em casa com o Leixôes? A culpa é da MFL. Para quê, pois, perder tempo a discutir a crise? Deviamos mesmo deixar Sócrates sossegado nos próximos seis meses, a fazer tudo o que lhe vem à cabeça...

Anónimo disse...

Da evolução do Homem
Alberto Martins celebrizou-se por ter sido um corajoso estudante que se levantou numa sessão para interpelar o Ministro da educação de uma ditadura. Era então um jovem idealista que lutava contra a opressão. Pagou injustamente por isso.
Hoje fez um vergonhoso exercício de manipulação informativa em que sugeria que a líder do maior partido da oposição é uma proto-ditadora. Fingiu não perceber uma ironia ou um argumento que qualquer criança de 6 anos entendia.
Esta gente está de tal maneira imersa neste modo lodacento e cínico de fazer política que nem a si próprias nem ao seu passdo idealista respeitam. Foi muito triste ver o outrora jovem idealista dar este sinistro espectáculo de cinismo e manipulação. Muito triste mesmo…

Anónimo disse...

O grave do que disse Ferreira Leite não foi a "suspensão da democracia", toda a gente percebeu que foi uma tentativa de ser engraçada (só que ela não tem graça nenhuma...).O grave, meus caros, foi uma líder do PSD, partido que sempre se pretendeu reformista, dizer que não se deve fazer reformas contra os interesses dos visados! Então como é que se fazem? Dando-lhes beijinhos?!

Alvinho disse...

O jornal Financial Times classifica Teixiera dos Santos o pior ministro das Finanças europeu. A culpa é da MFL.

Carlos Medina Ribeiro disse...

Aqui fica, já agora, a opinião de um jurista:

«A verdade é que Manuela Ferreira Leite não tem jeito nenhum para ironias e acabou por fazer aquilo a que se chama ‘graça pesada’, ou seja, uma ‘graça’ que muita gente (a maioria) leva a sério e que tem, por isso mesmo, pesadas consequências. Inclusivamente, é sancionada pelo Direito Penal, se der origem a um crime».

Miguel Neto disse...

Para resumir, concordo com muitos dos que entederam a ironia Dra. Manuela Ferreira Leite e referem a "falta de vontade" de outros em querer perceber essa ironia. Só a estupidez ou a desonestidade podem levar alguém a dizer que a senhora defende algum tipo de ditadura ou de totalitarismo. Tudo isto é para mim um "não-assunto".

Noto que a frase da Dra. Manuela Ferreira Leite foi imediatamente aproveitada parte da classe política para fazer aquilo que melhor sabe e quer fazer: retórica pura, conversa da treta sobre coisa nenhuma.
Quanto custa ao País cada hora da A.R. com todos os deputados e respectivos serviços de apoio? E as autarquias? Quantos desse detentores de cargos políticos irão andar entretidos com este assunto? Quanto tempo vai andar essa gente entretida a comentar a frase, a comentar os comentários à frase, os comentários dos comentários ... De quanto será a factura? E quem a vai pagar? Para ser rigoroso, até nas reformas de toda essa gente este tempo (perdido) vai ser pago.
Não há problemas reais, concretos, importantes que necessitam de dedicação, atenção e esforço de quem supostamente nos dirige, para serem resolvidos?

Já sabemos que a Dra. Manuela Ferreira Leite diz o que pensa, é frontal e não se preocupa em ser políticamente correcta. Ao longo do tempo tem mostrado ser coerente. Se for eleita, concorde-se ou não, sabemos com grande grau de certeza, o que irá fazer e como irá fazer. Como seria se todos os políticos fossem assim?

Outra noticia, que não tem merecido tanto destaque, mas que diz muito da falta de carácter, da mentira, do logro e do faz-de-conta de quem nos governa, refere que o Exmo. 1º Ministro foi a uma escola distribuir computadores magalhães aos alunos e que, depois da comitiva e da imprensa terem partido, os alunos tiveram que devolver os computadores. O que estará disposto a fazer o "nosso" 1º., até onde poderá ir para aparecer bem na foto e na caça ao voto?
O Exmo. 1º fala muito mas não podemos saber o que pensa, é dissimulado e preocupa-se em ser políticamente correcto. Ao longo do tempo tem mostrado ser incoerente. Se for eleito, concorde-se ou não, não sabemos o que irá fazer e como irá fazer. Como seria se todos os políticos fossem assim?

Eu acho que as questões de carácter são muito importantes quando se trata de quem nos governa. Por isso e para ser coerente, eu, que nunca votei PSD, estou seriamente a pensar nisso.

Anónimo disse...

A invasão de analfabetos e ignorantes na imprensa portuguesa afinal ainda é pior do que aquilo que já se sabia...Não perceber o que é uma ironia e tomar a coisa à letra demonstra que até o mais elementar anda arredio da bagagem de muitos ditos jornalistas. A não ser que seja apenas mais uma prova da mãozinha no já antigo mas ainda crescente domínio da comunicação social em Portugal...Cá para mim, chama-se a isto vergonhosa manipulação...

Fado Alexandrino disse...

Só agora vi a primeira página do DN.
Chama aquilo uma gafe (sic).
Na primeira página!

Anónimo disse...

Parabéns pelo seu texto. Aí está a renomada imprensa socialista, falada e escrita, em peso a tergiversar sobre um assunto de somenos. Toda a gente mìnimamente instruída compreendeu perfeitamente o que MFL quis significar com as palavras que proferiu, no contexto em que o fez. Quem fingiu que não entendeu, fê-lo por conveniência, cinismo e maldade. Tudo o que eles, oposição e imprensa, fazem e dizem está prèviamente combinado e tem mesma finalidade desde há 34 anos. Primeiro, os mesmos que a ridicularizam agora e desde que foi eleita, teceram a MFL rasgados elogios, indo ao ponto de descobrir e publicar a sua árvore genealógica para lhe dar importância junto dos eleitores e rodear o seu nome do máximo prestígio possível, com a finalidade única de o PSD a colocar no lugar que hoje ocupa, fazendo pouca ou nenhuma sombra a Sócrates (e também evidentemente com um terrível receio de que por hipótese fosse escolhido novamente PSL, este é que nunca, têm-lhe um pavor e inveja atrozes porque sabem perfeitamente que não só o eleitorado PSD mas a quase totalidade dos portugueses apoiá-lo-ia em peso, além doutros medos nocturnos que os aterrorizam de morte se o PSD for governo) depois, como verificam abismados que o eleitorado do seu partido a tem apoiado quase incondicionalmente, mesmo não apreciando o seu perfíl político, começaram a destruir-lhe a imagem política (não tarda nada, ao aproximarem-se as eleições e se for caso disso, a pessoal também), ridicularizando-lhe os discursos ou alterando-lhes frases tiradas do contexto propositadamente, com receio, que se aproxima do terror, de que possa vir a substituir o inenarrável Sócrates - de sorriso cínico e falso como judas, voz de falsete e mãozinhas de criança de dez anos, muito delicadinhas e sempre em evidência, com a ponta dos dedos de uma mão sempre a tocarem nos da outra, como o Abrunhosa (e mais uns tantos da mesma cor política) fazia sempre que aparecia em público, deve ser um qualquer sinal subliminar lá muito deles, por certo com algum significado secreto - num futuro muito próximo (há quem diga que é exactamente isto que eles pretendem e portanto, tal como ensina a cartilha, dissimuladores patológicos e metirosos compulsivos que são, fazem e dizem o contrário do que pensam para atingir os fins que se propõem... - mas este é outro assunto, embora não menos importante). A imprensa & associados, lançam mão de todos os estratagemas julgados necessários para desviar a atenção da actuação vergonhosa do partido que nos desgoverna. A manipulação sistemática, repugnante e criminosa - a lembrar a que têm feito ao longo dos anos a todos os anteriores secretários gerais do PSD, sem excepção, desde Abril de 74 - das palavras e actos de MFL, é propositada. Como um único exemplo, embora haja milhentos d'outros, fôra ela (ou PSL, ou qualquer outro político deste partido) primeiro ministro e tivesse ido inaugurar um centro de culturismo (ou lá o que é), como o fez Sócrates, a um domingo mas, como se de um acto oficial se tratasse, com uma comitiva de 8 carros de estado atrás e possìvelmente com os batedores da polícia a abrir caminho, com direito a discurso televisionado passado a hora nobre em todos os canais... para português ver... e estaríamos perante um escândalo mediático que iria do Minho ao Algarve, com direito a títulos de caixa alta em jornais e revistas de referência e abertura de telejornais, todos eles estigmatizando semelhante acto levado à prática por um p. ministro europeu e inadmissível num país desenvolvido e indigno de uma "democracia madura" como a "nossa" (é assim que eles gostam de a caracterizar). Já para não falar d'outras encenações tragi-cómico-ridículas que este p. ministro protagoniza (mais os ministros que o secundam) quase dia sim, dia sim - em que qualquer outro, sobretudo se do PSD, aliás nem há d'outros porque estes dois partidos são os únicos que se revezam no poder desta farsa andante mascarada de regime, seria vexado diàriamente na imprensa e insultado com escritos degradantes nas paredes de todas as cidades e vilas do país, além de ser lançado nas ruas d'amargura, pessoal e profissionalmente, por toda uma santa oposição (ou inquisição, para sermos mais correctos, aliás muito bem consertada um ano antes do 25/4) e tal verifica-se-ia o tempo que durasse a sua governação ou até finalmente demitir-se, ser "afastado" pelo presidente, sofrer um "acidente" grave, ou morrer "repentinamente" - mas não obstante sempre elevadas às máximas alturas pela comunicação socialista que o respalda incondicionalmente desde que acorda até que se deita, sabe-se a que preço para os portugueses.
Pobre e infeliz país que tão pífios tratantes herdou como governantes. Agora que nos aproximamos de mais um Natal e inacreditàvelmente (ou não) ainda nos encontramos submersos nesta horrível podridão, é a altura propícia para rezar mais e mais por Portugal.

Dizem que Portugal já passou por crises maiores e mais graves, que nada há a temer, que há-de ultrapassá-las e que vai vencer. É a esta frase quase milagrosa que os portugueses se agarram fervorosamente. E, apesar da amarga desilusão pelos demasiados anos já passados e incontáveis danos provocados ao país, a esperança volta a renascer na alma dos portugueses a cada dia. E dita baixinho, repetidamente, aquela frase vai adquirindo contornos de prece Divina. E é em alturas sagradas como estas de profundo recolhimento espiritual, que uma Fé inabalável nos diz que o Bem sobrepôr-se-á ao Mal e que Portugal sendo Imortal irá sobreviver. Chegada a altura os Bravos e os Grandes estarão aí para o proteger e todos juntos fá-lo-emos vencer.
Parabéns mais uma vez.
Maria