13.2.09

MANUELA E A FRONDA

Em 1983, se não erro, o PSD, depois do descalabro Balsemão - agora transformado em "herói" serôdio do regime - constituiu uma "troika" directiva constituída pelos saudosos Brederode dos Santos e Mota Pinto, e o actual Provedor de Justiça, Nascimento Rodrigues. Dessa "troika" emergiu, no congresso de Montechoro, o prof. Carlos da Mota Pinto - um grande patriota de quem o regime tantas vezes se esquece - como presidente do partido. Infelizmente os tempos eram parecidos com os de hoje e a resposta foi o "bloco central" com Soares à frente e Mota Pinto como vice-primeiro-ministro. Tudo acabou como os que se recordam se recordam. Já sem qualquer tipo de pudor, está agora montada uma fronda para que Manuela Ferreira Leite abandone a liderança do PSD. De gente intelectualmente honesta a puros vermes oportunistas, praticamente ninguém se coíbe de admoestar a senhora e, com maior ou menor delicadeza, convidá-la a sair. O PS, por exemplo, através de António Costa, na SIC-Notícias, produziu uma prédica cínica de fazer chorar as pedrinhas da calçada. No fim de semana, Louçã fez quase o mesmo. E o admirável líder jamais deve ter pronunciado o nome da sua opositora referindo-se sempre à dirigente social-democrata com "gentilezas" do género "andam para aí", "dizem que", "não têm alternativas", etc. etc., num plural majestático ridículo que só serve para acentuar o carácter do homem e não a natureza da senhora. Depois, o trabalho propriamente sujo fica a cargo do dr. Santos Silva. Ora isto significa que o "modo e o tempo" da dra. Ferreira Leite não serão porventura assim tão inócuos como estes prosélitos todos juntos pretendem fazer crer. O PS sabe que anda a perder votos para a sua esquerda e todas as manifestações piedosas sobre o "estado do PSD" têm apenas uma finalidade: fazer crer aos idiotas que o PS (e o seu querido líder) são a única "alternativa" sólida perante uma crise relativamente à qual não possuem uma única certeza e, sobre a qual, não oferecem qualquer tipo de segurança ao país. Os portugueses acreditam mais em Sócrates do que Ferreira Leite e vêem nele "credibilidade" e "verdade" para enfrentar o que se anuncia ou olham para ele como para a estátua do Comendador, isto é, vêem poder e temor revencial originado pelo medo de perder o pouco que ainda têm? Nestas alturas em que o rebanho mediático ergue o pelourinho e esfrega as mãos com imbecil contentamento, eu tendo a remar contra a maré até porque desconfio, por natureza, dela. E percebo perfeitamente o que é que está por trás dela. Como não pertenço ao clube das vacas sagradas, estou à vontade. Comecei por não apoiar Ferreira Leite e não alterei as reservas políticas que mantenho acerca dela. Todavia, e perante esta miserável campanha, só me resta, sem hesitações, estar inequivocamente ao lado dela.

18 comentários:

Francisco disse...

Caro Dr. Gonçalves, Fica-lhe bem essa atitude de denunciar a burrice e o oportunismo políticos que por aí circulam e de apoiar uma vítima dos ditos. Mas creio que o verdadeiro problema não são as qualidades (poucas, talvez) e os defeitos (alguns, possivelmente) da Dr.ª MFL. O problema é o próprio PSD que não consegue encontrar o seu espaço social num país que está a evoluir demasiado depressa (se para melhor ou pior, é outra conversa).

Luísa disse...

Subscrevo inteiramente as suas palavras, João, embora tenha mais dificuldade em perceber por que é que, (descontados os enfeudamentos partidários que, por si só, não explicam os resultados das sondagens), o óbvio – a seriedade e a solidez de uma «versus» a mediocridade e a inconsistência do outro – não entra pelos olhos de toda a gente. Também não apoiei a escolha da Manuela Ferreira Leite, mas reconheço que está a anos de luz, no plano da «boa-fé» política, desses que agora ocupam o poder.

garganta funda... disse...

Como já se constatou pela movimentação de vários peões ao serviço da estratégia socretina (Passos Coelho, Luis Filipe Menezes, prof.Marcelo, Mendes Bota, e uma chusma interessante de "marcos antónios" e "valentões") o bloco central dos interesses tudo vai fazer para afastar a Drª MFL da presidência do PSD.

Vão formalizar-se ultimatos e declarações; as empresas de sondagens vão apresentar os resultados "à la carte"; os jornalistas assalariados e os comentadores avençados vão intrigar até à exaustão,etc.

Tudo para que a Drª MFL desista da sua missão cívica e para que não fale VERDADE ao país.

Para o bloco central - o bloco informal que tem sustentado o sr.W.Sócrates - há um claro perigo na mudança que se avizinha.

Não sou partidário da drª MFL, mas reconheço que foi ela que desmontou a tenda das ilusões e do espectáculo mediático que os socretinos estavam a desenvolver.

Não esqueçamos que o W.Sócrates sem cenários, power point, fogo de artíficio e comunicação social amestrada, é um verdadeiro zero à esquerda.

A Drª MFL já percebeu isso e está pondo o "dedo na ferida".

E esse "dedo" está provocando pânico nas hostes sucialistas e socretinas.

O fim deste folhetim de filha-da-putice está para breve.

Graças a Deus.

Anónimo disse...

«Todavia, e perante esta miserável campanha, só me resta, sem hesitações, estar inequivocamente ao lado dela.»
Também eu.

Emanuel Oliveira Santos disse...

Já assinaram? Petição pelo Voluntariado na Politica.
POr aqui
http://viverseixal.blogspot.com/2009/02/pelo-voluntariado-na-politica.html

ou http://www.petitiononline.com/voluntar/petition.html

Cáustico disse...

Perfeitamente de acordo, Dr. João Gonçalves. Rememos todos contra a maré dos pulhas políticos que recorrem a todos os meios, lícitos ou ilícitos, honestos ou desonestos, para se governarem.
É preciso acabar com essa choldra.

Jacinto disse...

Comungo da mesma perplexidade da comentadora Luísa - e acrescento que, enquanto "seres supostamente pensantes", os portugueses ficam muito mal na fotografia...

Anónimo disse...

Tinha-lhe ficado bem ter denunciado da mesma forma a escandalosa campanha que moveram ao PSL quando era dele o lugar.

É bem verdade que aqueles que ventos desejarem tempestades sofrerão...

ruy disse...

Uma coisa é a “gente intelectualmente honesta a puros vermes oportunistas” que não gosta da senhora e que por motivos perversos quer dela ver-se livre, uma outra e bem diferente (e que deverá fazer pensar todos os “bem intencionados”), as qualidades ou a falta delas, que Ferreira leite tem demonstrado para fazer politica como líder do PSD.

A senhora não está de facto à altura do momento e por este caminho o PSD arrisca-se a ter a sua “minoria absoluta” nas próximas legislativas.
A falta de alternativa credível à liderança do PSD que é visível não me leva contudo a engolir qualquer sapo. Prefiro uma mudança incerta que a certeza do desastre.

Anónimo disse...

Fala um independente.
Pelos vistos, os diversos penduras do PSD, contam levar assim o partido à sua expressão mais simples.
Eles que continuem, vão malhando na senhora, talvez consigam levar o PSD ao nível eleitoral do BE ou do PCP.
JB

tiomanuel disse...

Acho bem que apoie a MFL.
Já não tenho a certeza que ela tenha a mesma opinião.
Sempre se falou de presentes envenenados.

Anónimo disse...

"descalabro Balsemão - agora transformado em "herói" serôdio do regime "

Um dos varios e semelhantes motivos para nacionalização do BPP...

Anónimo disse...

Tentar impor à lider do PSD o estilo "fala-barato" é ridículo porque estamos fartos desse estilo. No entanto todos os que afirmam que ela não está à altura do lugar é a essa pretensa falta de qualidade que se referem.
O PS, servindo-se da CS, é o responsavel pela descrença no PSD. Nenhum lider do PSD se comparará ao querido líder! Mas eles vão desfilando na sua vaidade irresponsavel... De cada vez que muda, mais desce o PSD, como é fácil concluir. Já o Mendes dizia que era preciso esperar que o mito Sócrates se desfizesse porque até lá todos serão maus.
Não há pessoas nem líderes perfeitos, há olhos que, na sua imperfeição, não conseguem ver os defeitos. A CS dá uma ajudinha a dourar o príncipe e a salientar os pontos negativos dos outros.
Precisamos de quem se sente a trabalhar para levar o país a bom caminho e não de quem anuncia que o vai fazer. A diferença entre os dois é abissal.
MJP

Nuno Castelo-Branco disse...

Num sistema político saudável e normalizado pelo cumprimento de calendários eleitorais sem forçada antecipação de consultas, os governos beneficiam do chamado "estado de graça" que invariavelmente não ultrapassa o meio do mandato. Assim, ao aproximar-se a aprazada data de novo sufrágio, as medidas legislativas vão ao encontro do sentir do pulso do momento, adequando-se às necessidades da luta política. Cortes nos impostos, subsídios ou obras públicas, nem sempre podem ser consideradas acções de índole demagógica, porque muitas vezes vão ao coincidentemente, ao encontro do ciclo da economia. O partido no exercício do poder governamental pode eventualmente beneficiar de uns poucos pontos percentuais nas intenções de voto, estabilizando um eleitorado satisfeito com a gestão corrente. Este é um cenário de abastança relativa, idêntico ao que há quase um quarto de século premiou Cavaco Silva com a maioria absoluta.

A situação é hoje muito diferente e o que se torna quase inacreditável, consiste no total afundamento do principal partido da oposição, que apesar de uma catastrófica conjuntura económica e financeira, escândalos ruidosos e perda do ímpeto reformista governamental, não consegue a simpatia expectante de um eleitorado ansioso devido à incógnita que o futuro próximo lhe reserva. Pior, o PSD vai caindo nas intenções de voto, continua a perder influência e parece ter esgotado qualquer ilusória força anímica que lhe permita, pelo menos, obter um resultado idêntico ao das anteriores eleições. A seriedade da presidente não é colocada em dúvida, nem sequer a implantação nacional do partido, ainda maioritário no sector autárquico e responsável por um dos governos regionais. O que se torna evidente é o acelerado processo de desagregação, falta de solidariedade - ou pior, de lealdade - entre os dirigentes que não compreenderam, não viram, nem sentiram, o forte odor a gangrena exalado pelo corpo putrefacto da organização. Se o homem da rua já interiorizou esta aparatosa decadência, os responsáveis do PSD simulam uma inexplicável distracção, ditada pelo seu afã na marcação de território e liquidação do actual corpo dirigente. Os nomes sonantes da outrora poderosa entidade, digladiam-se em insultos, insinuações, críticas destrutivas, sem que qualquer um deles possa sequer remotamente, ombrear com o capital de seriedade pessoal que a dra. Ferreira Leite apresenta. Tal como há cem anos provocou artificial escândalo, a expressão "falta de garantias de carácter", aplica-se integralmente a muitos dos potentados liberais da inexistente social-democracia.

Anónimo disse...

Debaixo do eufemismo "Bloco Central de Interesses" esconde-se a realidade Mafiosa da corrupção generalizada que pilha os dinheiros públicos e à volta da qual se forjam as verdadeiras solidariedades entre as nomenklaturas dos partidos que têm partilhado o poder.O PS é hoje um partido estruturalmente corrupto,onde só os corruptos são autorizados a fazer carreira.No PSD o fenómeno está menos avançado e há uma verdadeira Guerra Civil entre "sujos" e "limpos" que têm alternado no poder no partido.Marques Mendes era "limpo".Foi implacávelmente trucidado pelo lobby da corrupção.Ao próprio Santana,apesar de muito mal acompanhado,mas que tenho na conta de não ser um corrupto,aconteceu o mesmo.Claro, ter lá o Zézito era muito melhor!A MFL é uma mulher SÉRIA como o Cavaco.Com o descalabro económico e os vários escândalos de corrupção estalando todos os dias envolvendo o Grande Lider a probabilidade de este cair a curto prazo é grande.Cavaco como PR e MFL como PM é o pesadelo total para todos os Mafiosos do País, cujo nervosismo é crescente.Agitam-se cada vez mais como as baratas tontas à vista de um spray insecticida.Tudo vale contra a MFL por forma a colocarem no topo do PSD um "jovem modernaço"-Zézito=Pedrito- born and raised no aviário do Ângelo, esse paradigma de virtudes,antes que o MP comece a interessar-se sériamente pelos seus "negócios".Nem Allah os irá proteger se os Portugueses não forem parvos e os correrem como merecem!

Chloé disse...

Também me tenho lembrado muito de Mota Pinto.
É uma figura inesquecível que jamais prosseguiu interesses próprios e, pelo contrário, os sacrificou, vencendo as armadilhas de tantos pêessedês idiotas (que por lá continuam).
Quanto a MFL, que se cuidem. Porque depois dela só o desagregar dos laranjas.

Ente lectual disse...

fontes bem colocadas dizem-me que os caciques de Passos Coelho fizeram tudo para sabotar o jantar de ontem, a que Ferreira Leite presidiu, em Coimbra. A altura das listas aproxima-se e o esgoto começa a correr a céu aberto. Efeitos do desespero, já se vê

joshua disse...

O PS está desesperado. Ao circo trapezista e palhacesco do seu horrível líder temível opõem-se o hieratismo contido, mas tenaz de MFL.

Sem dúvida que PS e PSD perderão por grosso nas próximas legislativas. Mas que quem perca mais seja o PS. É de todo vital corroer e denunciar a miséria moral que habita este PS Absolutista e Ultraamiguista. O País não precisa de meros usufrutuários do Regime, ainda por cima sôfregos como cogumelos, incapazes de curar do País.