14.10.06

AS ESQUERDAS

Numa semana em que a "esquerda moderna" do senhor engenheiro foi fortemente vergastada pela "esquerda antiga" nas ruas, Sócrates escolheu o sábado para, diante de uma plateia de "balzaquianas" socialistas, dar início à cruzada pelo "sim" no referendo à IVG. Até recorreu - imagine-se - à palavra "camaradas", de há muito banida do léxico do PS, para convencer a agitada plateia e, via media, os cidadãos de "esquerda" de que, tudo somado, ele é um deles. Sócrates não é ingénuo e sabe que uma mão não lava a outra. Sobretudo quando até o circunspecto ex-jovem socialista Sousa Pinto, remete para "segundas núpcias" outras questões "fracturantes", como os casamentos e as adopções por same sexers. Ao contrário do "blasfemo" João Miranda, não creio que, por cada voto que Sócrates perca à "esquerda", ganhe dois "à direita". Ganhou, de facto, o ano passado por causa de um episódio infeliz chamado Santana Lopes. Quando, em Janeiro, o virmos de braço dado, ainda que virtualmente, com certa gente da "esquerda antiga", logo falamos.

Adenda: Ler "A dúvida", de Rui Castro.

1 comentário:

nuno magalhães disse...

À margem das muitas cabotinices que ouço e vejo a prpósito do aborto, sobretudo pela direita beatérica e histérica, para quando a coragem de chamar os bois pelos nomes. IVG uma ova. É aborto que se trata. Puro e duro. Há ou não coragem em falar das coisas como elas são.