16.12.10

A EUROPA DAS MARIONETAS


Ontem, pela hora do jantar, três ou quatro pessoas - do "patrão" dos patrões ao inefável eng.º Proença do partido do 1º ministro - juntaram-se a este último, em São Bento, para um momento marciano. A "ideia" era mais "ideias" para "flexibilizar" a economia e o mercado laboral. Por princípio e pudor, não se "flexibilizam" coisas que não existem ou que têm vindo, metodicamente, a ser destruídas. Só gente daquela, politiqueira e irresponsável até aos ossos, é que pode dar a cara por mistificações grosseiras. Tanto mais quando sabiam que o cenário destinava-se exclusivamente a Sócrates poder exibir-se em Bruxelas, no conselho europeu, a fingir qualquer coisa. E como se essa qualquer coisa interessasse ao politburo europeu centrado em Merkel e Sarkozy. Nos últimos dias, ilustres e menos ilustres cabeças têm vindo a destilar veneno inútil para cima desta dupla. Não adianta. A "Europa" deste e daquele de há dez ou vinte e tal anos atrás não volta. Está bem morta e enterrada. É, aliás, com marionetas de feira periféricas como aquela meia dúzia de criaturas que apareceram ontem, por cá, à hora do jantar, a contar histórias da carochinha que a Europa se "constrói". E é justamente por causa delas - da sua inconsequência e oportunismo políticos a que adequadamente presidem Merkel e Sarkozy - que nunca esteve tão perto de acabar.

4 comentários:

Jacinto disse...

É óbvio que estes iluminados domésticos ,uns, sub-produtos do pós-guerra "rive gauche", outros nem isso, ainda não perceberam o significado, alcance e consequência da implosão americana.
Seria conveniente voltarem a estudar, partindo do princípio que alguma vez o terão feito, a História europeia pós Sedan.

Anónimo disse...

Rigoroso retrato e esperemos que contribua para despertar mais algumas das mentes ainda anestesiadas.

Mani Pulite disse...

QUANDO OUÇO OU VEJO A CONCERTAÇÃO SOCIAL IN ACTION APETECE-ME IR BUSCAR O ARCABUZ DO MEU PENTAVÔ.

Zé Rui disse...

Excelente Post.

Por quanto mais tempo irá esta farsa continuar??