14.12.10

«TUDO QUANTO ACONTECE É SOLITÁRIO»






Venho do lançamento do livro ali à direita que reúne a obra poética édita de Sophia de Mello Breyner Andresen. Notável trabalho da Caminho/Leya. Não devemos gastar muitas palavras a falar de poesia. Por isso, para Sophia, bastam duas: austeridade e precisão. «Não procures verdade no que sabes/Nem destino procures nos teus gestos/Tudo quanto acontece é solitário/Fora de saber fora das leis/Dentro de um ritmo cego inumerável/Onde nunca foi dito nenhum nome.»

Clips: João César Monteiro, 1970: Sophia de Mello Breyner Andresen

2 comentários:

Fado Alexandrino disse...

É horrível um livro (por belo que seja)custar 50 euros.

joshua disse...

Digno de se ver. Tenho de partilhar isto com os meus alunos.