23.12.10

VITÓRIAS, DERROTAS


Daqui a precisamente um mês Cavaco Silva será reeleito Presidente da República. Todos os "estudos de opinião" o revelam e dependerá da abstenção a expressividade dessa vitória. Jamais da grosseria de basbaques conhecidos ou anónimos. Cavaco, nas actuais circunstâncias, se tivesse optado por uma recandidatura estilo "Figueira da Foz - 1985", obteria, sem sombra de dúvida, uma vitória esmagadora e teria o país todo atrás de si sem sequer precisar daquela coisa estafada do "presidente de todos os portugueses". Mas a Constituição cretina não permite estas alturas e Cavaco - que conviveu bem com ela enquanto 1º ministro, chefe de uma maioria absoluta de dez anos e PR - prefere outro caminho: o do confronto do governo com as suas responsabilidades. Ao afirmar que aquele falhará se vier o FMI ou outro fundo qualquer, Cavaco pretende (e bem) que Sócrates beba o cálice da sua própria mistificação até ao fim. A legitimidade eleitoral, reforçada em Janeiro, confere-lhe o direito e o dever de colocar Sócrates perante o direito e dever de não falhar, tanto mais quando já anunciou que pretende continuar a mandar no PS e, consequentemente, no país. Como o outro, Sócrates andará (andou) de vitória em vitória até à derrota final. Ninguém, muito menos o PS, a lamentará.

10 comentários:

joshua disse...

O Lamentável Primeiro-Ministro dura como uma maldição.

Anónimo disse...

"Mas a Constituição cretina não permite estas alturas"

Uma desculpa sem sentido.
Se não dá porque é que não protestou o Golpe de Sampaio?
Porque é que não demitiu o Governo depois da fraude das eleições de 2009?

"Cavaco pretende (e bem) que Sócrates beba o cálice da sua própria mistificação até ao fim."

!? Sócrates sente-se muito bem onde está. Isso é só a receita de automistificação do PSD, Cavaco e sua. Sócrates está-se nas tintas. Ele dorme descansado todas as noites e quando o vier o FEEF/FMI também.


lucklucky

Carlos disse...

Dr João Gonçalves
Se bem que respeite o seu entusiasmo com a candidatura do Prof Cavaco Silva à PR,não posso deixar de rejeitar com toda a veemência que o País pobre,esfomeado e sem esperança espere até que o Sócrates beba o cálice até ao fim.Não só rejeito como repudio!
Na minha opinião que,infelizmente,não conta para nada,essa jogada de Cavaco Silva é muito clara e começou por dar os trunfos ao Partido Socialista e a Jorge Sampaio para o derrube do Governo LEGÍTIMO e apoiado em maioria na Assembleia da Republica.Como pagamento o PS apresentou o candidato Mário Soares
sabendo bem que iria irritar muita gente no PS e que o candidato não ganharia.Por sua vez,Cavaco comprometeu-se a tolerar,sob a fórmula "cooperação estratégica",tudo o que de mau pudesse ser feito pelo grupo de malfeitores que ganharam as eleições.
Chegou-se aqui e agora apela-se para que se vá comer restos de restaurantes.
Isto lembra-me a anedota -é uma anedota- que o Prof Salazar fez uma visita ao Parque Eduardo VII e viu um homem a comer a relva do recinto e mandou chamá-lo para saber a razão de tal atitude.O homem lá lhe explicou que tinha mulher e cinco filhos,que ganhava pouco e tudo era tão caro...O Professor impressionado tirou do bolso um cartão de visita e escreveu algo e continuou a visita.Um indivíduo que assistiu àquilo foi junto do homem e perguntou-lhe o que estava escrito mas o homem não sabia ler,pelo que foi o individuo que leu e informou o outro do que Salazar escrevera:"O portador está autorizado a comer relva em qualquer parte do País".
Com o devido respeito,Dr João Gonçalves,essa de esperar que o Sócrates faça pior do que já fez,só lembra a quem não teme o futuro e comparticipa com os seus "restos" para alguém e que acredita -tal como diz o outro- que o "bichinho"não faz mal a ninguém.Mas,olhe,acredite em mim,o "bichinho" faz!
A referência à Figueira da Foz...bem,é forte.Mas é bom saber que quem é discreto ou faz da discrição uma estratégia raramente é confrontado sobre alguns assuntos que podem tornar-se incómodos.
Melhores cumprimentos
Carlos Monteiro de Sousa

Gallião Pequeno disse...

A talhe de foice, a "tristeza" do alegre mantém-se inalterada assim como a sua cobardia que outrora terá sido uma deriva do medo agora uma manifestação de pura maldade.
O 24 de Abril de 1974 foi há 36 anos e ainda pastei-a no mesmo monte com medo dos mesmos bois. É irritante.

Anónimo disse...

Parece que este senhor Defensor Moura foi à televisão fazer o trabalho sujo do PS. Se o partido acha que vai lá empurrando Alegre para a frente enquanto empurra Cavaco Silva para trás com este esquema, foi uma péssima ideia.

Anónimo disse...

O "Doutor" Cavaco, hoje confrontado por Defensor de Moura, deixou escapar mais uma parte escondida do seu carácter, estruturalmente ordinário e megalómano.
Já sabíamos que "raras vezes tenho dúvidas e nunca me engano".
Hoje ficámos a saber que "para terem a minha honestidade têm que nascer duas vezes".
A coisa está tão entranhada que e o professor nem sequer tem consciência.

Promete generalidades, como se o próximo fosse o primeiro mandato; como se o anterior tivesse sido a brincar e irresponsável; ou como se tivesse sido muito frutuoso e de bom auguro para o segundo.

Portugal vai elege-lo.
Portugal tinha obrigação de o conhecer.
Portugal está lixado.

Anónimo disse...

Agora é que vai ser. E se assim é, se Cavaco já está eleito, então já nem vou votar. Afinal para quê as eleições? Despesa? A juntar à de Cavaco, que ainda por cima tem de mostrar a sua (enorme) falta de cultura em debates com gente que não é séria. Sério há só um, Cavaco e mais nenhum!

Carlos Dias Nunes disse...

O corajoso Anónimo das 10:03 PM está com sorte: a cegueira mental não mata. Aliás, se tal cegueira fosse música, ele era a filarmónica da Arrentela.

ag disse...

"É preciso nascerem duas vezes para serem mais honestos do que eu", diz aquele prognata que quer enganar o país como outrora enganou a academia (o puro acaso da morte prematura de Alfredo de Sousa não permitiu que se soubesse mais sobre o caso).
A sua honestidade dita, entre outras, que promulgue o casamento de pessoas do mesmo sexo enquanto, por entre um chorrilho de argumentos cretinos, assevera discordar da ideia; que lamente a situação do país como se fosse uma virgenzinha no processo que conduziu até aqui; que rosne contra a retirada do bolo-rei orçamental ao ensino privado, quando houve uma dependência directa perante esse mesmo sector parasitário da úbere teta das Finanças.
O tiro sai errado quando se fala do BPN, porque aí as provas são escassas (embora se saiba das suas visitas diárias, por longos anos, ali a Palhavã). Por mim, dispenso provas de desonestidade pessoal e basta-me a pública e notória desonestidade política, se me é permitida a redundância; e a impressão, há muito firmada, de que uma conduz à outra.
Como costuma dizer-se, isto não está para gente séria. No que respeita a este neo-paladino da honestidade, por mim replicar-lhe-ia, com toda a estima pessoal, que politicamente ele não nasceu nem três nem duas vezes: nasceu uma vez a mais.

martinho santana disse...

O busílis da questão
"Eles" puseram as suas "poupanças" na" DONA BRANCA" (BPN) e enquanto lhes pagaram altos dividendos ,obtidos de forma especulativa ,tudo bem!!
Quando a coisa começou a dar para o torto,ai Jesus ,que fazer?E vai daí decidiram nacionalizar o banco,como diz o sr. ministro das finanças:."para evitar um desastre no sistema financeiro"
É preciso ser "muito cara de pau "para vir dizer isto!,,o povo não é estúpido !!Hoje pouca gente tem dúvidas sobre este assunto.Está na cara que vocês apenas quiseram"salvar "as vossas poupanças e as dos vossos amigos...Se não é assim então expliquem á gente onde estão os 5.000 milhões de euros que a C.G.D. meteu no banco ,com o aval do Estado ,e que agora todos nós vamos ter de pagar????
É assim em Portugal .É assim na Irlanda.É ASSIM.....
"ELES"fizeram os seus investimentos. Os lucros chorudos que receberam durante anos são deles porque eles é que investiram .É justo!!...Mas eles sabiam e os BANCOS também ,que que estes investimentos eram de alto risco!!!
Então porque tem de ser os Estados a salvar a Banca, com o dinheiro dos contribuintes que nada lucraram com este negócio?
"NADA SE PERDE ,TUDO SE TRANSFORMA"..este é um principio universal que explica que ,se alguém perdeu muito dinheiro ,alguém teve de achar!!!eis aqui o busílis da questão!
É só procurar quem tem o dinheiro e obriga-los a pagar de acordo com a sua cota-parte de responsabilidade. Difícil?....Não me parece !! poderão começar pelos chamados paraísos fiscais.
Continuar a querer que sejam os cidadãos, que não tiveram voz activa neste processo,a pagar esta factura,é no mínimo irrealista e irá conduzir a conflitos sociais de consequências imprevisíveis.
Porque meus senhores!!:....... Não há "ASNO" que aguente!!!!!!!
Publicada por marsanto em 12:29 http//eucidadao.blogspot.com
Publicada por marsanto