27.7.09

PORREIRO, PÁ


Afinal, parece que houve um "choque tecnológico" ao contrário que impediu a transmissão do encontro de Sócrates com uns quantos bloggers. Resumindo e concluindo, o secretário-geral do PS e primeiro-ministro mostrou por que é que é um líder admirável ou um admirável líder, conforme as preferências. Aguentou estoicamente quatro horas de perguntas/respostas, desde as mais preparadas pelos "camaradas" até às inesperadas dos três ou quatro bloggers minoritários ditos da direita. Começou por dizer que «dizem que os blogues dizem mal de mim e eu queria confirmar.» Pela amostra, não pôde confirmar nada. Fiquei a saber que «acredita na transparência como condição da liberdade» e que é um adepto do "realismo" e do "pragmatismo". Falam-lhe de "promessas", ele maça-se levemente e às "promessas" prefere "propostas". Não gosta de "acusações" nem de "insultos". Também nada disso ocorreu. Estávamos todos muito cordatos uns com os outros, salvo duas jovens promessas do PS que esperavam "mais" da "direita" presente e que levaram o trabalho feito de casa. O Público não escapou ao olho do líder numa resposta. «Vocês são todos pessoas adultas para acreditarem em tudo o que vem no Público.» As ditas minorias, agora alegremente "quotizadas" nas listas do PS, também não. «Eu tenho 51 anos e tenho vergonha da forma como a minha geração tratou os homossexuais.» Também asseverou que «não tem nenhum complexo de esquerda» quando lhe perguntei o que é que tinha a oferecer ao eleitorado do centro e da direita que lhe deu a maioria absoluta em 2005. "Imagine que eu estou indeciso entre si, o incumbente, e uma outra eventual futura incumbente, senhor primeiro-ministro. Convença-me." Deu-me três exemplos. Segurança social e idade legal da reforma igual para todos, abertura de todas as escolas básicas até às 17.30 e a educação. Menos professores, mais alunos, mais sucesso escolar, menos insucesso escolar entre 2005 e 2009. Fiquei, naturalmente, esclarecido. Sobre a cultura, Sócrates acha que a «animação cultural do país é necessária para o nosso desenvolvimento» e que «o investimento cultural é um investimento na sociedade através dos seus agentes culturais.» E, sobretudo, convém «apostar nas cidades porque têm mais oferta cultural.» Até referiu um termo maldito do PREC, a "dinamização cultural". É o que quer fazer presumivelmente já sem Pinto Ribeiro, "dinamização cultural". Não acompanha a visão "orçamentalista" (leia-se, de reforço da dotação do MC) sem "objectivos". Essa, aliás, não é a "visão" dele e que era a "tónica" de um governo "a que ele pertenceu". Estava, sem falar, a falar de Carrilho. Depois veio uma "revelação". «Não sou metódico, sou pouco apaixonado pelo cálculo.» E, claro, «tenho um optimismo histórico.» Daí acreditar em que «há muitas políticas que se fazem sem dinheiro.» Não faltaram os carros eléctricos, o "cluster industrial", a "revolução tecnológica em curso" e, em relação à segurança do Magalhães, a necessidade do «desenvolvimento da coisa.» Nesta altura, cerca das 20.30, Sócrates já tinha mergulhado de cabeça na sua doce fantasia. «Não fazer investimento público é imoral.» Lá lhe foi puxando o pé para o TGV que, imagina, nos retirará miraculosamente da periferia. O Paulo Querido já não me deixou perguntar ao primeiro-ministro se fazia ideia de quantos milhões a mais de endividamento externo tinham crescido naquelas agradáveis quatro horas de amena cavaqueira. Cá fora, e antes de entrar no carro, confessou à rapaziada da "direita" que só foi uma vez na vida a uma manifestação. Contra a guerra do Iraque. De resto foi porreiro, pá. Boa noite e boa sorte.

33 comentários:

joshua disse...

Cara%#o, João, tudo indica que foste submeter-se a um artefacto vagamente chamado de BlogConf, afinal blindado ao contraditório, normalizado pelo trabalho de sapa do Paulo Darling, com algumas bocas de impacto pré-fabricadas para Ainda-PM ao Público e à simplificação do que seja dizer mal dele na bloga.

Custa-me que tenhas sido arrastado para uma completa macaqueação promocional. Devia ter sido a doer, com abandono da sala pelos minoritários em protesto pelo fortíssimo condicionamento e a enorme tagarelização do sr. Promitente Inveterado.

saphou disse...

Merecia uma condecoração qualquer, por passar o dia a gramar o vendedor de Magalhães. Claro que o sistema tinha que falhar, não convinha ao Sócgtes que funcionasse.

João disse...

Será que a conferência era só para trocar impressões com vossas eminências? Se não, o que esteve o João Gonçalves a fazer durante essas 3 horas, bem como o resto dos figurantes? (Se me permite a pergunta...)

radical livre disse...

4 longas horas de
«beija-mão real»

João Gonçalves disse...

Como calculam - e como de costume - estou-me nas tintas para os comentários sobre isto. Se não percebem que é possível falar como pessoas civilizadas independentemente do contexto, metam explicador. Nem Sócrates mete medo a ninguém nem ninguém esteve ali a beijar a mão a ninguém. Eu, pelo menos, não estive. Ponto final.

Gumersindo Pinela disse...

Ainda bem que existe o Paulo Querido para evitar que se mace o suposto engenheiro...
Quanto ao voto de "boa sorte" com que V. remata o post, é caso para dizer "Safa!".

Anónimo disse...

Acho que o Eng., desculpem, Lic em Engenharia num Domingo (supostamente), enfeitiçou os bloguers. Parece que esta revolta era só para terem a atenção do avô Sócrates, (já tem 51 aninhos, e agora começa a usar uma frases do tipo, no meu tempo) enfim sairam todos embevecidos de um encontro com o PRIMEIRO. Honraria que só qualquer aluno que receba um magalhães, ou qualquer baíuca que inaugure novas instalações e meta dois estagiários a trabalhar pagos com subsídios do estado tem direito!!
Ou será que é sindroma de férias e enfim tá è no relaxar! O gajo, e o seu “team obama” não conseguiram por a plataforma webcast a funcionar, who cares!!! Houve apertos de não beijinhos e perguntas para todos? Pasteizinhos de belém? Cervejinha fresquinha? Então tá tudo bem.
Where the fuck is the information?
E o escrutinío aturado das atoardas que devem ter sido muitas ? E as perguntas incómodas que foram feitas? Ou como é costume acagaçaram-se perante o poder? Venha lá isso pá! Que 4 horas de respostas deve ter muito que contar!

zulu

Fado Alexandrino disse...

Pela lei quando é publicidade deve ler o PUB bem visível.
Não vou ler o relato do acontecimento, mas acho estranho que não tenham conseguido fazer uma pergunta que engasgasse o actor principal.

Daniel Santos disse...

Aguardo pelas imagens e som.

Anónimo disse...

Sim, foi uma grande desilusão. Mas uma vez mais uma jogada brilhante da assessoria de imagem do senhor. Eles sabiam que no confronto face a face o PM iria sair a ganhar, porque toda a gente se iria comedir mais. De facto tenho pena que o António Balbino Caldeira não tivesse lá estado. Não que tenha uma simpatia especial por ele, mas aposto que, pelo menos, "aquecia".

Mani Pulite disse...

Não se trata de uma pessoa civilizada mas de um criminoso que provocou em Portugal uma situação de guerra civil "fria" que só terminará quando for preso.As pessoas de bem nunca devem sentar-se à mesa de criminosos.Se o fazem passam-lhes automáticamente um atestado de bom comportamento.Quem lá foi em vez de responder com arrogância e censurar as criticas devia aceitar com humildade democrática que errou,coisa que pode acontecer a qualquer humano.

João disse...

Não se discute o óbvio. Tem todo o direito em participar nas conferências que entende com as pessoas que entende. A ideia era muito boa, isso era. No entanto, ao que parece, enganaram o público e, digo eu, também os participantes. Falha técnica? Numa ligação video à net que qualquer um pode fazer em casa? Durante 3 horas? Pois. Mas de facto não é motivo de admiração... Ponto final.

João Gonçalves disse...

Este blogue não é um sucedâneo do "jornal do crime". Façam favor de meter isso na tola. Quanto ao evento, não estavam à espera que de nenhum mercado do Bolhão, pois não? É que se estavam, por que é que não foram?

Fado Alexandrino disse...

É que se estavam, por que é que não foram?


Era por convites.
Só convidaram quem sabiam que não ia fazer "peixeirada".
Gostava de ter ido.
"Ele" iria gostar que eu não tivesse ido.
Por isso nunca irei.

vasco disse...

Gabo-lhe a pachorra de ter ido ouvir quatro horas de banalidades. Espero que tenha sido em trabalho e que lhe paguem as horas extraordinárias. Cumprimentos.

Anónimo disse...

Gostei de ouvir o João Goçalves e do modo como colocou a questão central com que Sócrates terá de se debater.
Como sou professor, penso estar em condições de lhe dizer que os números apresentados serão sempre uma farsa, uma vez que a esmagadora maioria dos professores (nem vou discutir se os melhores ou piores) não requereu avaliação pedagógica, em protesto contra este modelo de avaliação. Significa isto que quem requereu a dita avaliação tinha, em quase todos os casos, a certeza de vir a obter um Muito Bom ou um Excelente, por falta de colegas que disputassem a quota. Se é essa a avaliação de mérito que se quer alardear, tudo bem, mas só compra "banha da cobra" quem quer...
Tenho o João Gonçalves por uma pessoa singularmente séria. Pena é que não se possa debruçar mais sobre as questões do ensino. O blog do Paulo Guinote (A Educação do Meu Umbigo) é uma boa fonte de informação (o que não significa que subscreva todos os posts que aí se publicam).

Gumersindo Pinela disse...

João, por favor, não perca a cabeça...

Anónimo disse...

Noto uma ponta de sedução conseguida no seu post. Imagine o eleitor mais incauto.
Será?

João Gonçalves disse...

Mas qual sedução. Tanta ignorância junta.

João Pedro Neto disse...

"não estavam à espera que de nenhum mercado do Bolhão, pois não? É que se estavam, por que é que não foram?".

Eh!Eh! Muito bom!

João, é verdade que o João não foi lá numa atitude nem de beija-mão nem de ser incorrecto com Sócrates.
Mas parece-me que, como alías o João escreveu, alguns blogs de esquerda estavam melhor preparados. Ou, se quisermos, os blgoues de direita, para poder pôr o 1ªMinistro em "dificuldades" teriam que fazer muito melhor o trabalho de casa do que os blogs de esquerda devido à natural desvantagem que têm devido ao modo como Sócrates não responde às perguntas.

Devo dizer que fiquei um pouco surpreendido com a atitude de excessiva reverência da organização (Carlos Zorrinho, P. Querido) e dos blogs de esquerda em relação ao querido líder.

E aquela pergunta/conferência que demorou mais de 3 minutos...

Anónimo disse...

De quem?

Paulo Querido disse...

"Era por convites".

Mentira.

João Gonçalves disse...

Neste blogue, como disse nos olhos ao 1º ministro, critica-se o político com assinatura e cara.Agradeço ao Paulo Querido, que dirigiu a sessão com absoluta isenção, ter vindo aqui colocar um pouco de "ordem" em tanto disparate.

Fado Alexandrino disse...

Era por convites".

Mentira.

Então era como.
Por senhas?
Por incrição?
Por sorteio?
Pelo número do CU.

Explique-nos por favor.

Anónimo disse...

"Segurança social e idade legal da reforma igual para todos," quer dizer um reforma-se aos 65 com 50 anos de serviço e outro com 30.
"abertura de todas as escolas básicas até às 17.30" quer dizer cuidar dos filhos pelos pais.
"Menos professores, mais alunos," pode ser que os alunos passem de ano, mas não será com muitos frutos...
"menos insucesso escolar entre 2005 e 2009" só se for com as Novas Oportunidades...
«animação cultural do país é necessária para o nosso desenvolvimento» quer dizer que acha bem as festas que os autarcas usam em anos de eleições para endividar as autarquias e encher uns bolsos.

António P. Castro disse...

Não sei se era por convites ou deixava de ser. Tão-pouco me interessa saber onde, no caso, está a "mentira" ou a verdade.
Sei é que não alinho - jamais alinharei - em iniciativas em que saiba de antemão que esse gajo estará presente.
Pois se, mal ele aparece na televisão, mudo de canal, como suportaria vê-lo ao vivo?
Só desprevenido, como infelizmente me aconteceu algumas vezes na rua, quando ele ainda nem sonhava com as trafulhices em que tem vindo a meter um país com séculos de história - e que não merece o que lhe está a acontecer.

Fliscorno disse...

Teoricamente não foi por convites. Na prática foi. A janela de oportunidade para inscrições foi entre as 18:04 de sexta-feira até sábado, quando a coisa esgotou. Sei que houve convites endereçados. E que a organização, nas pessoas directamente ligadas ao PS, terão feito a informação circular com brevidade. Claro que quando foi do conhecimento dos "vulgares" bloggers, já a lista estava cheia. Dizer que isto foi uma iniciativa aberta é pura hipocrisia. Isto foi apenas um acto de propaganda do PS tão sincero como o eram aquelas crianças contratadas para fazerem de alunos no CCB.

Fado Alexandrino disse...

O senhor Dr. Paulo Querido elegantemente chama-me mentiroso quando podia apenas ter-me chamado ignorante.
Mas acaba por não vir ensinar-me como é que foi organizado o "meeting".
É pena, faz pena.

De nihilo nihil disse...

E? - A montanha não pariu coisa alguma. Mais do mesmo mas agora em "HTML ou Javascript".

De nihilo nihil disse...

De noite e em mar agitado o farol é a esperança do comandante, o pior é se o "gajo pá" começa a ver muitos faróis ao mesmo tempo.

hajapachorra disse...

«Se não percebem que é possível falar como pessoas civilizadas independentemente do contexto, metam explicador».
Afinal o blogueiro deste quiosque até tem sentido de humor. A ironia é tão fina que até escapa ao próprio. Chamar incumbente àquela desgraça é de mestre. Mas, desgraçadamente, o que o incumbente entre os súcubos requeria era o estro de um Zé-Agostinho.

Paulo Querido disse...

Fado, não faço a mínima ideia quem você é e adoro esse estado de doce ignorância cuja espero os deuses me mantenham por longos e bons.
A sua carta de recomendação recomenda que eu nem lhe dirija palavra. Faço-o aqui por respeito à casa que me tratou de frente.

Não sou dr nem lhe chamei nada. Desmenti uma afirmação sua. A ignorância (a sua do assunto, não a minha de si) tem cura.

francisco disse...

Só não percebo porquê que NINGUÉM lhe falou na pouca vergonha e OPORTUNISMO das suas habilitações de injinheiria, na duplicação do registo biográfico falsificado na Assembleia da República, nos projectos que ele assinou na Guarda, na multa que não pagou por fumar no avião, PORQUÊ que não desmentiram essa "istória" do inglês e da Educação Física no 1º ciclo a 100% (nem a 50%), coisa que já havia anteriormente, é FALSO que seja inovação dele, ele voltou a insistir que os professores NUNCA tinham sido avaliados ... É FALSO com todas as letras como também se escreve a palavra MENTIROSO.
Só quem não vive neste país acredita no que ouve, e esquece o que vê e sente. Santa miséria.
Passem bem!