22.1.07

REQUIEM POR UMA IDEIA DO HOMEM


A natureza, particularmente a parte que mais amo, o mar, está furiosa com o "homem". Coloco propositadamente "homem" entre aspas porque é-me díficil, depois de tantos séculos de "evolução", assistir a este retrocesso na nossa qualidade de vida. Em devido tempo, a Terra acabará provavelmente num único e imenso oceano. Não se perde nada. Antes pelo contrário, pode ser uma boa ocasião para começar tudo de novo. Vem isto a propósito da Costa de Caparica. O mar, na sua justa fúria, está a engolir a parte norte da praia. Mais praias por aqui e por ali serão devidamente tragadas à medida que o clima e o curso "natural" da natureza for torcido pela cupidez e pelo instinto rapace do "homem". Já não existem estações, só mesmo as de Vivaldi. Nas praias do sul de França podia tomar-se banho ainda ontem, no centro da Europa há flores que despontam como se fosse primavera e, mais ao norte, pessoas e bens são arrastados por enxurradas e dilúvios. Nos EUA ora cai um nevão, ora desponta um sol despropositado. Por cá é a mesma coisa. A semana passada houve dias dignos de mar e sol e já se anuncia uma nova "onda gelada". Não só matamos o nosso espaço vital como, com a nossa ignorância evolutiva, nos matamos um pouco mais todos os dias. Talvez esta espécie, dita "humana", que não sabe tomar conta do que lhe calhou em sorte e muito menos de si própria, não mereça outra coisa.

5 comentários:

Anónimo disse...

Apesar disso, que está corretco:
No tempo em que os animais falavam (que tenho tendência a associar ao antigo regime), lembro-me que havia em Portugal um grande e moderno Laboratório Nacional de Engenharia Civil ou algo de semelhante.
Que foi capaz de estudar, projectar e garantir a recuperação da famosa baía do Rio de Janeiro (Guanabara?).
Mas agora, o regime criou inúmeras e inúteis grandes empresas - EP, Entidades Reguladoras, Observatórios, Institutos (não é que há um Instituto da Água, a comprovar a inutilidade da tutela e do ministro?)
Para quê, senão para se atropelarem em papeis e regulamentos, se alimentarem a si próprios e aos seus dirigentes? Altos dirigentes, porque trabalho de campo, é o que se vê.
A Costa da Caparica, tal como o País, podem esperar.
Talvez que com o QREN. A brincar.
JoseM

Anónimo disse...

Todas as azáleas do meu jardim estão em flôr, neste final de Janeiro. É simplesmente impressionante.

Anónimo disse...

é o fim do mundo! arrependei-vos!

iuupi disse...

porra lá para o tempo em que...
e é de recordar que antes desse tempo em que, houve outro tempo em que ...

a terra está a mudar. não é novo, a terra tudo está sempre a mudar. diz que podemos condicionar a mudança. já reparou na escala?

porque é que os chineses não podem ter todos um carro um frigorifico etc...?

Anónimo disse...

Guanabara não, Copacabana.