23.1.07

A DISTRACÇÃO DE UM GÉNIO

Emmanuel Nunes, para quem não conhece, é uma eminência musical pátria "refugiada" em Paris, no IRCAM, de onde, de vez em quando, emite uns sons. Tem cá, como é costume, os seus "delegados" das capelas político-culturais que circulam atrás uns dos outros e uns para os outros. Já arrecadou vários prémios, entre os quais o Pessoa, do dr. Balsemão e de outros beneméritos. Nunes é, entre outras coisas, compositor. Para quem não sabe, de música. Para minha perpétua desgraça, não aprecio. Quando Paolo Pinamonti me disse que lhe encomendara uma ópera, nos idos de 2002, torci-me todo e fui valentemente insultado num jantar de amigos "cultos" por ter tido o desplante de não acompanhar o director do São Carlos em tamanha proeza. Nessa altura, eu era membro da direcção do Teatro com a incumbência, com os outros dois colegas, de gerir a "massa" e de precaver a legalidade e a oportunidade dos contratos. Vejo agora que Nunes, numa "indignada" entrevista ao Público, vergasta Pinamonti por a sua encomendada "criação" não ter sido exibida, sem que ele- Nunes- tivesse assinado o contrato que o Teatro lhe enviou... em 1 de Fevereiro de 2006. De acordo com Nunes, Pinamonti tem "falta de deontologia". O que é que se há-de então chamar ao quase um ano à espera que o grande compositor assine o contrato que viabilize a estreia da ópera? Distracção de um génio?

12 comentários:

Piotr Kropotkine disse...

só uma dúvida...o gajo só é pago por ocasião da estreia da obra?

Anónimo disse...

O que me surpreende é, desculpe-me a expressão, o "amadorismo" de Pinamonti em programar e anunciar a apresentação de uma ópera sem sequer ter o contrato assinado e no qual deveriam estar especificados todos os prazos e consequências para o incumprimentos de ambas as partes. Isto é uma coisa, a outra é o frete que o compositor se predispôs a fazer ao secretário de estado e ao outro que nem abre a boca para não dizer as asneiras do costume e assim não comprometer o lugar ao sol e que nenhum contrato poderia prever.

Anónimo disse...

...como e' q V Exa ,com a sua "cultura", foi parar ao S. Carlos, e' q eu acho espantoso...

Anónimo disse...

...tera ele MESMO recebido esse contrato em casa?
cheira me que essa historia esta mal contada...

Anónimo disse...

Mas o compositor já acabou ou não a ópera? Pelo que li parece-me que não. Então como se podem escolher os cantores se não se sabe o que eles vão cantar? E este senhor Nunes está a pagar a simpatia da encomenda ao SEC ? Mas pelo que li foi o Director do TNSC que encomendou a tal ópera. Este Nunes tem um comportamento bizarro.

Anónimo disse...

Convinha esclarecer o seguinte:

Independentemente dos episódios em apreço, das histórias bem ou mal contadas, das campanhas e das capelinhas, Emmanuel Nunes é, e bastam 10 minutos de conversa com ele para o verificar, um intelectual e um artista de enorme craveira, e é talvez o nome actualmente vivo mais conceituado das artes portuguesas no estrangeiro. Não precisa de prémios portugueses porque é suficientemente conceituado lá fora onde lecciona nas instituições mais prestigiadas da Europa. A sua obra tem uma projecção internacional que nenhum outro compositor português consegue.

Pode-se gostar da sua música ou não mas permito-me dizer que em Portugal contam-se pelos dedos de uma mão as pessoas que, não sendo do ofício, gostam verdadeiramente de música, o que torna a questão realmente irrelevante. O que o público português gosta é de "ópera". Daí que já estou a ver o "óperariado" indígena a manifestar-se aproveitando para barrar a entrada a um músico no santuário do S. Carlos.

Faz uma certa impressão ver o nome do senhor misturado nestas coisas e a culpa é principalmente dele que não devia ter dado aquela entrevista. Mas partir daí para aproveitar a tenda e montar o circo parece pouco digno.

José Manuel Viriato

Anónimo disse...

Este Nunes é um embirrento e, acima de tudo, um Presunçoso e Arrogante!!!! Lá porque "faz" óperas de gosto duvidoso, julga-se o quê?? E, vai daí, o SEC aproveito-o para, indirectamente, DESCASCAR no Pinamonti, uma vez que ele, SEC, não tem tomates (nem raízes!!!) para enfrentar nos olhos quem quer que seja!Olha que DOIS!!!!
Quanto à encomenda, é verdade que:
- Nunes não acabou a obra;
- Pinamonti enviou-lhe o contrato em 1 de Fevereiro de 2006;
- Nunes não o assinou!!

Está tudo documentado.

batuta disse...

Tanta gente a opinar sobre música e tão poucos a fazê-la. O tal Nunes, que sempre me pareceu uma disparatada criatura musical, coitado, pelo menos tenta fazer. Mas não com o sucesso que por aí se diz. Ensinar é uma coisa, fazer música é outra muito, muito diferente.

Anónimo disse...

A "disparatada criatura musical" devia realmente deixar de ligar a esta choldra para a malta ficar mais à vontade comprazendo-se na sua mediocridade. É que afinal de contas ele tem o resto do mundo e o batuta só tem um quintal neste cantinho.

Anónimo disse...

Oh anónimo(a) anterior:

ELE quem?? ...o "batuta"...quem???

Veja lá se sabe escrever português que se endenda....

Anónimo disse...

Aprenda a ler.

Anónimo disse...

Aprenda VOCÊ a escrever!!!!