4.5.08

PEDRO FASHION

Passos Coelho teve, no Correio da Manhã, um assomo de "ideias" que é aquilo que chamam às "tiradas" que não visam exclusivamente a intendência. Todavia, fizeram-lhe a enorme maldade de titular a entrevista com um tema que não interessa nada e que só serve para a "correcção" o achar mais "moderno" e menos trivial que os restantes candidatos. Se os portugueses classificam de "erradas" as relações entre "samesexers", imagine-se o que dirão de casamentos entre eles. A começar pelo seu "colégio eleitoral", as maravilhosas bases do PPD/PSD. Os seus spin doctors andam a falhar-lhe, Pedro.

Adenda: Aqui está um tema que interessa, e muito, infelizmente. Não tenho é a certeza que a candidata apoiada pelo autor esteja à altura dele. Do tema, naturalmente.

5 comentários:

Anónimo disse...

parece que a manutenção do casamento se fará futuramente só com a participação de paneleiros e fufas
o outro pedro já inaugurou à caça ao coelho
ambos, tal como sócrates, esquecem-se da vida dificil dos portugueses

observador disse...

Caro João,

Creio que Pacheco indicou uma ferida social, que a médio prazo terá resultados terríveis.

Parece-me que o que ele descreve é a ponta dum iceberg silencioso, que arrastará todo um "cimento social", que mudou o nosso paradigma social desde os anos 60/70.

Aliás, o mesmo já se passa à bastante anos nas Escolas, sem que alguém lhe tenha ligado.

Custa-me ouvir comentários do tipo "no meu tempo uns valentões cortaram a gravata do professor X", sem perceberem que uma coisa é "violar uma lei, mas saber que ela existe", e outra é "estou nas tintas para a Lei / a Lei é me apetece fazer".

(A tal diferença entre balda e bandalheira).

De qualquer forma, não espero, como sucedeu nas Escolas, que alguém se preocupe com isso, pelo menos até que lagum caso "telemóvel" ocorra.

Muito menos de alguém que impôs turmas com o máximo de alunos legal (28), diminuição do Numero Clausus em medicina, redução para 1 professor para turmas difíceis/"em recupereção", só para poupara no Deficite ....

Anónimo disse...

Não é só a candidata caro João, que não está á altura do tema. Os candidatos também não, a situação tambem não, o resto da oposição também não, os doutores pensantes da choldra também não, o conjunto das diversas esquerdas e direitas e demais furta-côres tambem não, os analistas-comentadores e os gurus-gestores-decisores económicos a começar pelo Cavaco tambem não. O Constâncio também não. O Louçã tambem não e o Pedrito Santana Lopes muito menos para já não falar do Patinha Antão. E esse é o verdadeira drama e a verdadeira questão. O meta-tema por assim dizer (aposto que o Pacheco gostava de ter dito isto). Que já vem de muito antes e continuará por muito depois até ao final escatológico, como rezam as escrituras: Portugal irá, inevitávelmente, pelo cano.Oremos

douro disse...

Isto é uma farpa ao Gorjão? Se o é, está bem tirada.

Nuno Castelo-Branco disse...

Quanto ao tema desemprego, fábricas fechadas, deslocalizações e outras trivialidades do nosso quotidiano, o JPP devia tentar explicar o porquê disto tudo. Julgo estar a sonhar! Esta gente andou a bater palmas nas costas uns dos outros durante 30 anos e agora descobrem que o país fez opções erradas, porque já não existe indústria que se veja, porque o campo foi abandonado, porque a floresta foi adulterada, porque as escolas nem a ler ensinam... Que belo epitáfio de regime. Só espero é que a liberdade continue. Tudo o resto é susceptível de substituição. Basta um pequeno número de atrevidos bem decididos.