31.12.09

BALANÇO DO ANO


Uma boa merda.

23 comentários:

Anónimo disse...

De longe o seu melhor e mais eloquente post.

ó és tão linda! disse...

Para culminar,li agora não sei onde,que ha quem pense no canastrão político do Capucho para candidato laranja à presidência da república! Este burocrata cinzentão,uma nulidade sombria que nunca fez nada que se visse,a não ser pela sua própria vidinha,e que por ironia e malas artes chegou a conselheiro de estado(!),tambem é uma prova da merda a que isto chegou.

Nuno Oliveira disse...

Não! Não! Não caro João!

Um belo esgoto!

radical livre disse...

pilos lupus mutat, sed animum non item
o lobo muda de pele mas de hábitos

o belzebu ou "portador da luz" partiu para férias no exterior

preparem-se para pagar a pesada factura
criada por esta escória

Anónimo disse...

Bom ano João.

Olha que não foi tão mau assim. O Sócrates por exemplo não se pode queixar, pois o Cavaco ofereceu-lhe um RELÓGIO.

Se os tiver, pode dar motivo para EXONERAÇÃO por justa causa.

A

Rui

PS. Apenas para apreciadores, em "jeito" de valsa: Annett Louisan - Das grosse Erwachen (...und jetzt...)

Anónimo disse...

Ahahah.

João Villalobos disse...

Espantoso poder de síntese :) Olha, um 2010 melhor para ti. Abraço.

Anónimo disse...

LOL...Clássico!

De nihilo nihil disse...

Precisamente. :-)

Anónimo disse...

Não concordo com esta generalização. Na política indígena é sem dúvida uma grande merda personalizada num PM mentiroso, burlão. Um tipo execrável.

Mas veja o lado positivo. Na Bolsa foi um grande ano. Pena que muitos não tenham sido assaz dinâmicos para daí tirar proveito.

J.Costa

Jacinto disse...

E tudo o mais é retórica.
Um bom ano para si ( a falta de imaginaçõa propicia o lugar-comum...)

João Costa disse...

Ora aqui está um belo post, com o qual concordo em absoluto. Infelizmente, temo que 2010 seja uma merda ainda maior.

Anónimo disse...

Pensa bem e escreve bem, mas sua pretensa altivez está a dar NOJO.
Para que conste, não é só o sr. que pensa e escreve bem, há muitos em todo lado e bem mais humildes.
Quanto ao acordo ortográfico, é de respeitar opções como a sua e como a minha quando digo que é retrógrado, xenófabo e muito, mas. muito antipático.
Um ano mais feliz!
Analfabeta Funcional, brasileira devo dizer, porque claro, em Portugal o nível de letracia é do mais alto que há.

Nuno Castelo-Branco disse...

Eu diria mais: uma grande "machimba"!

José Hermínio da Costa Machado disse...

Não é comentário que lhe fique bem, nem que fique bem neste blogue. Você não pode descer, homem, contenha-se, aguente e dilucide o problema, mas nunca se fique pela asneira, pode parecer-lhe justa, mas é limitadíssima.

Eduardo F. disse...

Temo que, na altura de fazer o balanço de 2010, haja que recorrer a eloquência bem mais sombria. Gostaria muito de estar enganado, mas não vejo como.

A. Castro disse...

Os comentadeiros que aqui aparecem a discordar do post não passam, em minha opinião, de moscas varejeiras pousadas na grande merda de que fala João Gonçalves.
Que lhes faça bom proveito, se é disso que gostam.

Buicinha (Bom) manda xi-coração disse...

Vamos a ver se é no vindouro ano que se quilha o sarrafaçana-mor.

Raça de bicho, que nos ensarna a todos !
Xó, xó bicharoco, sum'te liru, te arrenego diacho - lagarto, lagarto, lagarto !

De qualquer modo: hoje é pior que ontem - mas amanhã, será pior que hoje. :))))

Teodora disse...

subscrevo-o na íntegra!

Anónimo disse...

Apesar da dita BOM ANO!!!!!!!!!

Queque disse...

Foi.
A merda mole e a dita dura.

Zorro disse...

Durante 2009 o país esteve transformado numa pocilga onde tresandam os porcos e os ratos.
Que 2010 seja o ano da lavagem purificadora da nação com o extermínio dos ratos-porco.
Que a Paz e o Amor Divino venham sobre nós e permaneçam até ao dia da colheita...
Cumprimentos,
Zorro

Anónimo disse...

Cara anónima brasileira,

Estou de acordo consigo. O "post" relativo ao acordo ortográfico foi muito infeliz, trauliteiro e cheio de empáfia, muito ao gosto das mentes quadradas que não conseguem gostar das suas coisas sem tentar diminuir as coisas dos outros.

É pena o autor tenha sentido necessidade, em sua argumentação, de ofender os brasileiros. É um recurso miserável.

Um abraço português para si, com votos de um Brasil cada vez mais lindo.

João.