20.4.07

A SOLIDÃO ASSASSINA

Não dei por a habitual matilha de psicólogos "sociais" - sempre pronta a exibir a sua língua de pau por dá cá aquela palha - se pronunciar acerca da gravação do adolescente sul-coreano. Imagino que a trágica melancolia e a pulsão assassina que ressumou do seu "testamento" perpasse pelas mentes de mais adolescentes, domésticos ou de qualquer outra proveniência. O seu "discurso" - proferido por alguém que sabe que só será visto e escutado depois de morto - é uma peça que, em vez de ser vetada pelo puritanismo maricas norte-americano, devia ser exibido e explicado sem quaisquer mistificações. O fracasso, a solidão, o ensimesmamento, o ódio ao outro, a inveja e tudo o mais que aquilo evidencia, solidifica, da forma mais horrível o imenso falhanço do "multiculturalismo", da cultura da felicidade e do "idiotismo" optimista estilo "we are the world, we are the children" em vigor que apenas infantiliza, e, pelos vistos, mata.

2 comentários:

Ricardo disse...

E então se tivesse sido um wasp as declarações finais já seriam outras?

Il Dissoluto Punito disse...

Matilha? Desde quando os psicólogos são uma matilha?